RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 417 registros para a palavra: Agenor Santos

Artigo - Agora, a ressaca junina!

Quadrilha junina “Brilho de Vagalume”, de Uauá-BA

Nada mais próprio e adequado para definir os sentimentos deixados pela festa de São João, durante alguns dias, do que a palavra “ressaca”, seja por representar o sentido etimológico do “mal-estar causado pela ingestão excessiva de bebidas” ou ainda pela “indisposição causada por ter passado uma, ou várias noites, sem dormir”;..

Artigo - São João: Uma bela tradição

Imagem do São João de 2019 na fria cidade de Maracás-BA

No instante em que procurava mais um tema semanal, em meio a tantos que o cenário político oferece a qualquer cronista do cotidiano, eis que a mente me lança um leve desafio e uma gostosa provocação: por que não abordar a respeito dos excitantes efeitos da Festa Junina sobre a sociedade nordestina?..

Artigo - STF: Reforma urgente!

Uma prática indesejável e que teima em permanecer vigente e sem qualquer expectativa de mudança por parte dos legisladores brasileiros, é o processo superado de indicação dos Ministros do Supremo Tribunal Federal-STF.

Como se esperar dos Senhores Ministros eleitos uma postura e julgamentos independentes, se cada um foi escolhido pelo Presidente da República para posterior sabatina e aprovação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal e, em seguida, submetido ao voto da maioria absoluta do Plenário do próprio Senado?..

Artigo – O massacre contra a urna eletrônica

Esse é um tema que vem sendo objeto de grande polêmica no cenário político nacional, além de polarizado pela alta cúpula do Executivo e Legislativo, de quem se poderia esperar mais equilíbrio, sensatez e responsabilidade, nunca o interesse em desmoralizar um sistema moderno e avançado, que veio eliminar - e tem eliminado -, um processo de coleta de votos arcaico, viciado e corrompido, que não cabe mais numa era tecnologicamente em ebulição na qual vivemos.

A propósito, permito-me reproduzir um comentário que me foi encaminhado pelo leitor Paulo Maurício, de Brasília, na crônica da última semana, que é bem emblemático ao presente texto:..

Artigo – A visão de um Apocalipse Político?

O nosso sistema eleitoral vem evoluindo na busca do aperfeiçoamento, desde os primórdios de 1532, quando Martin Afonso de Souza (1500-1571), militar português, comandante da primeira expedição colonizadora - enviada pelo rei de Portugal D. João III, no ano de 1530 -, assumiu como conselheiro da Coroa e primeiro donatário da Capitania de São Vicente, e aí realizou a 1ª. eleição para Vereadores do Brasil.

As condições iniciais fixadas eram que os votantes deveriam ser “HOMENS BONS”, o que evoluiu depois para exigir que também os votados o fossem, regra essa corrompida durante toda trajetória histórica, salvo algumas raras exceções!..

Artigo – A “Ficha Suja” ainda existe?

Se foi criada a Lei Complementar nº 135, de 4 de junho de 2010, naturalmente foi face a abundante existência dos FICHAS SUJAS na política nacional. E lei nenhuma teve o condão de extinguir a corrupção nesse país.

E o mais grave aconteceu: criaram outra lei para perdoar e tornar LIMPOS os FICHAS SUJAS: bastou pagar a multa - com o próprio dinheiro público surrupiado! -, e deixaram de ser inelegíveis, e assim 1.705 ficaram aptos a se candidatarem novamente!..

Artigo - A rainha-mãe e sua monarquia

Mais uma vez a alegria e o sorriso voltam a encantar a família no segundo domingo do mês de maio, numa tradição que se repete para homenagear uma pessoa muito especial e que preserva com grandeza a sua própria Monarquia na condição de RAINHA-MÃE. 

Para melhor entendimento dos próprios filhos, nada melhor do que relembrar detalhes históricos de como tudo começou, a partir do desejo de uma jovem americana em homenagear as mães, logo após a morte da sua mãe no ano de 1905...

Artigo – Uma República muito confusa

Praça dos Três Poderes, em Brasília-DF

O título da semana pode gerar no leitor uma grande e óbvia controvérsia, visto que estamos diante de um povo que venceu os momentos mais críticos de uma Pandemia, sentiu a dor da morte de 664.000 brasileiros e, de repente, já se diverte com o desfile das Escolas de Samba, superlota as praias e já sonha com os tradicionais festejos do S. João...

Crônica - É chegada a hora das promessas

Ao longo dos próximos seis meses as atenções do povo brasileiro, e mais objetivamente, dos eleitores, estarão voltadas para as eleições de 2 de outubro, cujos resultados terão um grande significado para a história atual e futura do País.

A disputa política, não importa a corrente inspiradora, se Esquerda, Direita ou Centro, é sempre muito salutar, porque inerente ao Sistema Democrático, excetuado o radicalismo exacerbado de algumas alas sectárias. Impossível não buscar reforço na sábia afirmativa do grande Nelson Rodrigues, in memoriam: “Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar”.

Embora o pensamento seja livre e assegurado o direito constitucional à concorrência por cargos públicos, o exagerado número de pré-candidatos à Presidência da República ultrapassa os limites da seriedade. Chega a ser ridículo imaginar a existência de 15 pretendentes, dentre os quais alguns nomes destituídos das qualidades mínimas para o cargo!

A fim de permitir a análise crítica do leitor, relaciono a seguir os nomes atualmente em vigor: Jair Bolsonaro (PL); Lula (PT); Ciro Gomes (PDT); João Doria (PSDB); Simone Tebet (MDB); Luciano Bivar (União Brasil); Sergio Moro (União Brasil); Felipe D’Ávila (Novo); André Janones (Avante); Leonardo Péricles (UP); Aldo Rebelo (sem partido); Eduardo Leite (PSDB); Eymael (DC); Vera Lúcia (PSTU) e Sofia Manzano (PCB). É pouco ou quer mais? Como se diz, tem candidatos para todos os gostos!

A única lógica visível para tamanha avalanche de candidatos, são as tradicionais negociatas para as vantagens de cargos em Autarquias, Estatais e Ministérios, em troca de apoios partidários. Daí a desistência começa a ser progressiva e já se ouve falar de alguns recuos estratégicos, logo que deixam os jantares taticamente programados para esse fim. É o que dizem? Não, é a mais pura verdade!..

Crônica – A vida voltando ao normal... será?

O tema pode sugerir duas situações bem diversas. A primeira, está conectada ao encerramento do XXVI CINFAABB, realizado na bela cidade de Balneário Camboriú-SC, que tive a honra de comparecer, destinado à competição em atividades esportivas de vários níveis por parte de aposentados do Banco do Brasil.

O evento se caracterizou como o maior exemplo de Integração Nacional, promovido pela Federação das AABBs de todo o Brasil, ou FENABB. E aqui cabe registrar que a AABB de Salvador, além de ter brilhado nos jogos de futebol de várias faixas etárias, destacou-se como a maior Delegação visitante, presente com 170 membros...

Crônica – As duas faces do Brasil

Diante da queda observada nos índices de infecção pela Pandemia, alguns eventos e viagens que sofreram cancelamentos no espaço dos últimos dois anos, foram agraciados com a possibilidade de reprogramação, e assim visitei o próspero Estado de Santa Catarina, no Sul do Brasil, em particular as belas cidades de Florianópolis (Capital) e Balneário Camboriú, além de algumas outras do seu entorno, como Itajaí, Brusque, Nova Trento, Blumenau e Pomerode.

Dentre os tantos eventos adiados, o que se realizou de 1º.  a 08/04, em Balneário Camboriú-SC foi um deles, com a participação de mais de 3.000 aposentados do Banco do Brasil e organizado pela FENABB-Federação das AABBs, para a disputa de atividades esportivas de toda natureza, não importa a idade. Foi extraordinário o espírito de confraternização presente no Encontro, além da simpatia do acolhimento dos catarinenses e a beleza da cidade, fatores que encantaram a todos e o sucesso superou todas as expectativas...

ARTIGO – Eleições: Em busca da felicidade!

Mais uma vez a Nação vive a grande expectativa produzida pela proximidade de um pleito eleitoral, que ocorrerá em outubro de 2022, revestido da importância representada pela escolha dos Governadores dos Estados, Deputados Estaduais e Federais, e Senadores, além do comandante maior do país, o Presidente da República. 

Somente um povo que desfruta desse inusitado privilégio de poder escolher pelo voto pessoal os seus governantes e legisladores, tem a capacidade de dimensionar o real significado de que o ato se reveste, e avaliar o quanto deprime a um povo a submissão à vontade absoluta dos poderosos que se eternizam no poder!..

Artigo – Abraço de afogado (II)

Geraldo Alckmin abraçando o Lula nos novos tempos

“Em ano eleitoral [...] são diversas as situações e configurações de quadros políticos por coligações antes inimagináveis. Nessa ocasião se sucedem os afagos de tamanduá dos inimigos de ontem, juras de amor e fidelidade de adversários que se trucidavam no passado, e tantos outros maus exemplos que ferem a boa decência a certos princípios éticos, nem sempre muito presentes na política”. (Crônica “Abraço de afogado-I”, do autor, publicada em 01/08/2011)...

Artigo - Que história queremos?

Em 1997, na Câmara de Deputados e no Senado Federal, foi aprovada a Emenda Constitucional nº. 16, que permitia a reeleição dos ocupantes de cargos no Poder Executivo, logo promulgada. Tudo rápido e rasteiro no dizer popular! Já no ano seguinte de 1998, o Fernando Henrique Cardoso se reelegeu para um 2º. Mandato Presidencial.

Os parlamentares embarcaram nas pretensas boas intenções do principal interessado que, desejando conquistar a sua reeleição, desenvolveu articulações de todos os matizes e recebeu de presente a aprovação. Nos últimos tempos, já que não mais reúne qualquer expectativa política, opõe-se de maneira contundente à existência da reeleição! Coisas da política ou dos políticos, como assim podemos dizer...

Artigo – O tamanho da perversidade

Essa imagem de vídeo que ocupou os noticiários ao longo da semana, mostrando a dor e as lágrimas desse garoto ucraniano de 11 anos, sozinho e desprotegido, mexeu com a sensibilidade e o espírito de revolta das pessoas em todo o mundo. Ele faz parte do universo de mais de 1,0 milhão de crianças que saíram sozinhas ou acompanhadas dos pais em busca da paz nos países fronteiriços à Ucrânia.

No caso desse garoto, consta que teve os seus genitores barrados e impedidos de fugir, visto que foi baixada uma Lei que impede a saída de ucranianos entre 18 e 60 anos, retidos para lutar, nem que morra pelo País. Como outras crianças, os seus pais o deixaram ir, só e chorando para um destino desconhecido e uma incerta perspectiva de vida. Entrevistado na Polônia, um outro garoto ucraniano, de 12 anos, disse: “eu não quero uma casa; quero um país”...

Artigo – “À espera de um milagre!”

Parodiando o título de uma bela produção cinematográfica americana, só nos resta esperar que um milagre divino efetivamente aconteça em favor do Mundo. Como se não bastasse uma guerra contra um vírus que já matou 7.8 milhões de pessoas, os chamados líderes mundiais estão inflamados por uma guerra em torno de um poder territorial estratégico e político, cujas consequências são imprevisíveis!

A Segunda Guerra Mundial teve uma duração de 6 anos – de setembro de 1939 a setembro de 1945 -, durante a qual morreram em torno de 60 milhões de pessoas, sendo 40 milhões de civis e 20 milhões de soldados. Tem algo mais estúpido? Certamente, tem sim!..

Artigo – Ruas, ruelas e becos passados

Ruas, Ruelas e Becos históricos do Pelourinho, em Salvador

É incrível como a imaginação das pessoas é rica em produzir situações especiais, particularmente quando elas mexem com o arquivo do tempo, e dele faz eclodir registros de toda ordem e as mais interessantes fantasias construídas em cada etapa da vida. Obviamente, que o tom e a intensidade dependem do grau das emoções envolvidas e vivenciadas.....

Artigo – Um mundo de cabeça para baixo!

São muito confusas à compreensão humana, as milhares de controvérsias que se sucedem no dia a dia da humanidade. Algumas chegam a ser inqualificáveis pelo grau de violência animalesca, como, por exemplo, vem se configurando nos casos de separação de casais, seja uma união desfeita após um casamento de longos anos, ou até mesmo de um simples namoro de pouca duração. As manchetes dos jornais que o digam.

Verdadeiras tragédias vêm entristecendo famílias pela ocorrência de crimes revoltantes, principalmente praticados por homens que não aceitam o fim de uma relação de amor que não mais existe. O sentimento de posse reflete uma grosseria inominável!..

Artigo – A verborreia palaciana

Para começo de conversa gostaria de lembrar o cronista Acordadinho que, eventualmente, para melhor entendimento do seu leitor quanto a algum título mais complexo, sempre opta por reproduzir a definição etimológica de alguma palavra, e assim o farei com o título acima: VERBORREIA - “Psicopatologia. Imposição interna e compulsiva para falar, que fala muito, de modo exagerado e compulsivo, ocasionando em certos casos de neurose e psicose”.

O Brasil passa por uma fase da sua história político-administrativa que poderia até ser considerada como interessante, se não estivesse mais para intrigante. Isso porque, tendo uma população de 210 milhões de habitantes, com variados níveis culturais, mas com um triste registro estimado de 11 milhões de analfabetos ou 6,6%, na faixa acima de 15 anos, e 40,8% das crianças brasileiras entre 6 e 7 anos que não sabiam ler ou escrever em 2021 (conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua-PNAD-Contínua, do IBGE), era de se esperar que palavreados impróprios e inadequados, emanassem das pessoas de linguajar tosco, com excesso de grosseria e indelicadeza, e nunca da autoridade maior do país, ou seja, o seu Presidente da República! ..

Artigo – Lava jato e “mãos limpas”: Mera coincidência?

Por mais que pretenda me distanciar, semanalmente, dos temas inquietantes que possam de alguma forma mexer com os sentimentos político-ideológicos das pessoas, em particular dos meus leitores habituais, inevitavelmente isso acontece face à farta disponibilidade de fatos provocados pelas duas correntes políticas mais fortes na disputa do noticiário atual, sobretudo pela influência do ano eleitoral e a importância dos cargos em disputa. Lembrando que esse ano, além da política ainda tem futebol, com a Copa do Mundo batendo na porta e, aqui para nós, como não aglomerar?     

Nos últimos tempos, por exemplo, o Judiciário tem se notabilizado pela presença exageradamente frequente nas discussões políticas nacionais. Em razão dessa exposição pública, o perfil de cada Magistrado passou a ser questionado, não pelo vasto saber jurídico de cada Juiz, mas, quanto à preocupação em identificar qual a sua posição política e o caráter partidário emanado dos Pareceres e decisões. Impossível não recordar que cada Ministro tem memória, e não esquecerá, jamais, que foi indicado pelo Presidente e que, antes da aprovação, visitou o Gabinete de cada Senador, humilhantemente cabalando votos para a sua aprovação! ..