RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 389 registros para a palavra: Agenor Santos

Artigo – Renda Cidadã: Mais Um Natimorto?

(Foto do lançamento do novo Renda Cidadã)

Apesar de reconhecer o quanto é delicado e complexo gerir Políticas Sociais em qualquer governo, o problema se torna mais grave quando o objetivo é menos humano e mais populista-eleitoreiro, em total contraponto à enorme importância que representa para milhões de brasileiros esse socorro emergencial. O pior é esse jogo de invenções que fazem para cada um aparecer como o pai de uma criança sempre diferente, tentando fazer de nós uma plateia que só aplaude...

Artigo - Uma História Lambuzada (II)

Nada melhor para subsidiar uma análise ou reflexão sobre o cenário político do presente, do que olhar um pouco para trás e localizar alguns fatos históricos recentes ou passados, não importa o tempo decorrido. Eles sempre nos trazem lições preciosas, que podem nos oferecer explicações sobre alguns questionamentos.

Por exemplo, tinha pelo Partido dos Trabalhadores-PT um grande respeito pela potencialidade político-partidária que detinha no cenário nacional nas últimas décadas, mas, de repente, foi relegado ao ostracismo e as suas lideranças hoje silenciosas, para não dizer mudas e caladas, cujo comportamento se assemelha àquela criança que fez algum mal feito e se esgueira envergonhada pelos cantos da sala! Fui encontrar melhor clareza ao reler a crônica editada em 24/11/2016, cujo título acima foi inspirado em entrevista do líder petista Jacques Wagner, ex-governador da Bahia e atual Senador da República. ..

Artigo – “Renda Brasil” recebe cartão vermelho!

Qualquer gesto extremo de violência ou atitudes reprováveis praticadas por atletas, técnicos e dirigentes, em algumas modalidades de jogos, principalmente no futebol, a forma encontrada pelas leis esportivas para estabelecer a disciplina e reprimir esse tipo de comportamento julgado inadequado pelo árbitro do evento, é a punição com o: CARTÃO VERMELHO! Às vezes ele é precedido do Cartão Amarelo, que significa uma primeira advertência e um alerta de que na reincidência haverá a sua exclusão da partida.

Fora do esporte, por analogia, sempre acontecem fatos atípicos que sugerem decisões rigorosas desse nível. Provavelmente, porém, nunca passou pela cabeça de qualquer mortal desse nosso Brasil, de que o Presidente da República fosse capaz de utilizar desse recurso para ameaçar de maneira genérica, de possível exclusão, e em declaração pública, qualquer membro da sua equipe e integrante do Ministério mais técnico e importante da Administração: o Ministério da Economia! A forma dura e indireta como se pronunciou, gerou tanto susto e inquietação, que foi chocante ouvir as palavras quase chorosas do Ministro Número 1, o Paulo Guedes, ao se apressar em responder aos repórteres: “Não, o Cartão Vermelho” não foi para mim”! Que alívio, em Ministro Guedes? Ainda que a sua reação de autodefesa jogou às cobras algum importante Assessor direto e graduado da sua equipe!..

Artigo – FHC e o “mea-culpa” da reeleição

Ao se valorizar o sistema democrático, obviamente que se tem presente um conjunto de regras e princípios que legitimam a alternância no Poder, principalmente pelo fundamento básico que é o direito ao voto e a opção da livre escolha do candidato preferido. Entre os concorrentes, contudo, deveria existir deveres e direitos iguais, o que não ocorre com o candidato à reeleição, que não se afasta do cargo e mantém o Poder à sua disposição e regularmente usando-o ao seu bel prazer. Como se diz normalmente, tem a máquina administrativa, além de um elenco de fiéis Servidores, comissionados ou não, a serviço de uma campanha eleitoral, devidamente remunerados pelos recursos públicos. E, por favor, não me digam que não é bem assim!

São claros os pressupostos contidos na Lei Complementar 64/90, que definem as condições de Inelegibilidades dos eventuais pretendentes a cargos eletivos, fixando o prazo de quatro meses ou 120 dias para a desincompatibilização dos servidores públicos, estatutários ou não, dos órgãos ou entidades da Administração direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e dos Territórios. Assim, não há qualquer razão lógica que justifique a permissividade vigente em benefício dos ocupantes de um primeiro mandato. O Congresso Nacional deveria pensar em corrigir essa incoerência tão discrepante na próxima Reforma Política...

Artigo – O importante é polemizar!

É muito comum nos encontros sociais do dia a dia, quando nos bate-papos proliferam assuntos de toda ordem, desde religião, política e até se discute o sexo dos anjos, de se ouvir comentários do tipo “Fulano é polêmico!”, como forma de definir alguém que busca exibir conhecimento sobre tudo, desde que seja para contestar ou contrariar os outros no debate. Quase sempre nos lembramos de alguém com essas características no nosso círculo de amizade, sempre irredutível nos seus pontos de vista e contumaz dono da verdade. Esse é o perfil do verdadeiro polêmico, para início de conversa.

Quando o nosso pensamento se desloca para avaliar os grandes debates nacionais e internacionais, geralmente estamos interessados em encontrar um porto seguro de ideias firmes e que alimente as nossas convicções sobre determinados temas. Isso significa dizer que as declarações emanadas de pessoas com poder representativo, em qualquer nível, sejam revestidas de fundamentação lógica, equilíbrio e coerência, inspirando na população confiança e credibilidade. Jamais poderá ensejar a dura crítica popular de que “o que Fulano fala não se escreve”. E aqui vamos ser sinceros, tem determinadas figuras que realmente são assim, e não que sejam polêmicas, na verdade, são mentirosas mesmo!..

ARTIGO – Quando os “mitos” atrapalham

Vivemos em um País onde as coisas funcionam dentro da premissa de que a Nação brasileira enquadra-se na categoria de um Estado Democrático de Direito, onde está vigente o sistema de garantia dos direitos humanos. Diante desse pressuposto, todo e qualquer cidadão ou autoridades constituídas, deverão respeitar, observados os limites da lei, os princípios inerentes ao bom exercício da liberdade e da ordem, sem a prática de atitudes radicais preconceituosas de raça, religião ou ideologias.

Mediante esse entendimento, por aqui sempre se afirmou que os EUA se constituíam no modelo de democracia no mundo e um exemplo a ser seguido. Ainda que no campo político se notabilizem por esse parâmetro, vêm pecando grosseiramente na ascendência do vil ódio dos brancos contra a raça negra, os quais têm, também, naturalidade americana e representam em torno de 28% da população...

Artigo – As eleições em dois tempos (II)

Fiquei sensibilizado com um dos comentários à crônica anterior, no qual um estimado leitor manifestou o seu desejo de que “gostaria de ler análises e notícias de um cenário nacional menos ruim e com foco só em fatos positivos”. Isso significa, no seu entendimento, de que há coisas boas acontecendo e que não são vistas, no que, em parte, concordo, e tenho reafirmado aqui, várias vezes. Respeitosamente, contudo, diria que fazer as coisas certas e corretas, é uma obrigação inerente ao cargo ocupado pelo gestor público, e que essas não podem acobertar as eventuais atitudes de insensatez, omissão e abuso no exercício do poder. Por isso não podemos silenciar...

E, pelo jeito, silêncio é coisa do passado, porque as ferramentas tecnológicas do momento nos animam, quando não a botar a boca no trombone, mandar ver nas redes sociais que atingem o mundo todo! E nisso “aqueles meninos” são especialistas!..

Artigo – COVID-19: Entre verdades e mentiras

Nossa homenagem a esses dois médicos, falecidos pelo COVID-19

É motivo de grande perplexidade para todos nós, o fato de que, mesmo decorridos quase nove meses do surgimento da primeira vítima do vírus COVID-19, em Wuhan, anunciado pelo governo da China em 31/12/2019, e seis meses depois do anúncio pelo Ministério da Saúde (26/02/2020), da sua chegada ao Brasil, ainda persistem, aqui e no resto do Mundo, as angustiantes dúvidas quanto aos medicamentos usados no tratamento das pessoas infectadas, já popularizados com o nome de “protocolo”...

Artigo – Qual dos vírus é o pior?

O rico universo das redes sociais tem permitido tanto a proliferação de verdades e informações úteis, como Fakes News com todo tipo de maldades que desconstroem a uns ou favorecem aos interesses malévolos de outros. Nas últimas eleições, por exemplo, já foram utilizados todos os recursos nos dois sentidos, beneficiando ou prejudicando conforme a direção aplicada. Daí é que já existe uma CPI-Comissão Parlamentar de Inquérito constituída na Câmara de Deputados, justamente para investigar o mau uso dessa tecnologia.

Não tenho dúvidas de que será um eficiente instrumento a ser utilizado por todos os Partidos nas futuras eleições. E nesse sentido, quanto mais frouxa estiver a legislação, mais e mais essa guerra de baixarias será utilizada...

Artigo – Pós-vírus ou “Novo Normal”

São inúmeras as inquietações que ora perturbam o estado emocional das pessoas, seja pela dúvida atroz de muitos quanto à funcionalidade das medidas adotadas para a preservação da saúde, através do uso da inseparável máscara ou pelo isolamento e distanciamento social. Há, também, as incertezas que rolam quanto à eficácia dos medicamentos muito comentados, mas de efeitos não comprovados pela ciência médica para vencer o vírus da Pandemia. E, assim, seguem os dias sem sabermos ao certo para onde estamos indo.

Naturalmente que as duas primeiras medidas preventivas para evitar o contágio ou a sua propagação, não podem ser combatidas, pelo que representam como gesto de prudência. Quanto aos medicamentos em voga, não haveria qualquer atitude contrária se houvesse uma unanimidade médica, pelo menos relativa, da parte dos Infectologistas e Epidemiologistas. A pergunta é: Finalmente, qual o remédio que combate esse mal? Para os que estão sendo curados, qual a fórmula utilizada? O povo quer saber...

Artigo - “Você sabe com quem está falando?”

Nos tempos amargos em que vivemos, as dificuldades econômicas se repetem de maneira cíclica, tendo como causas as influências dos mais diversos matizes, e pelo natural comportamento dos mercados pelo mundo, com fortes impactos na economia de cada país.

Como se isso não bastasse, a civilização moderna foi atingida de forma pandêmica pelo advento de um Vírus matador, que insistem em chamá-lo de “Novo Coronavírus” ou COVID, cujo complemento numérico “19” atribuído pelos Laboratórios que o descobriram, indica que ele não representa nada de “Novo”...

Artigo – Um recesso para os conflitos!

Em qualquer país do mundo atingido pela presença do COVID-19, o normal de se esperar é um trabalho solidário do Chefe de Estado, as instituições e as respectivas autoridades a elas vinculadas, absolutamente integrados em ações de combate à Pandemia, numa dedicação humana e responsável para salvar milhares de vidas, trabalho esse coordenado por alguém centrado, bem articulado, sem, necessariamente, possuir Doutorado.

Mas, aqui no Brasil, é inacreditável se testemunhar a existência de um estúpido e vergonhoso estado de guerra entre os Poderes, fato que não se tem uma explicação plausível, ainda que se compreenda que num sistema político seja normal a existência de posições político-partidária-ideológicas divergentes. Quando a prioridade é a vida do cidadão, porém, o equilíbrio e a moderação recomendam um recesso para os conflitos, pelo menos temporariamente...

Artigo – Gripezinha ou COVID-19, mesmo?

Por mais que se queira diversificar a crônica semanal na direção de outros temas, na intenção de poupar aos leitores um novo contato com o fatídico e estressante COVID-19, o desejo se torna irrealizável. Os números sempre crescentes da Pandemia no Brasil, que já superaram 1.804.000 de infectados e mais de 70.500 mortos, colocam o país numa posição preocupante de segundo colocado no Mundo, superado apenas pelos EUA.

Não obstante o pesado conjunto de ações controladoras e disciplinadoras instituído pelas autoridades ligadas à Saúde, além da coordenação de Prefeitos e Governadores nos Estados, a verdade é que o Coronavírus vem exibindo o seu poder invisível e destruidor. Disponível para todos os níveis sociais, tanto pobres como ricos, sem preconceitos raciais, está até mesmo apto a alcançar os que se julgam poderosos e que minimizam a sua capacidade mortífera. ..

Artigo – Uma educação sem rumo

Quando numa conversa entre amigos em que o papo está sintonizado na avaliação de alguns comportamentos e atitudes observados durante as experiências de viagens realizadas pelo mundo, com realce para o grau de civilização desses povos, a conclusão costuma ser: “é uma questão de educação, de cultura”! Essa é uma forma de sermos comparados, ou seja, no mínimo falta civilidade, vamos ser sinceros!

Tem circulado nas redes sociais um vídeo interessante, em que numa fila de atendimento num país asiático, aproxima-se um deficiente físico para ser atendido. Um jovem, que é o primeiro na ordem, cede-lhe o seu lugar e logo se desloca para o final da fila. Num belíssimo exemplo de cidadania, o segundo, o terceiro, o quarto e assim todos da fila, numa sequência, acompanharam a iniciativa daquele jovem, um após o outro, de maneira que ele recuperasse o seu direito de ser o próximo a ser atendido, após o deficiente. O seu gesto de grandeza e dignidade, foi assimilado pelos demais da fila. Todos que assistem o vídeo logo reagem: “que educação”! E novamente, surge a expressão: que civilidade!..

Artigo – Mais um título mundial, negativo?

O bom articulista Acordadinho, no seu último e oportuno texto sob o título “Como será o amanhã?”, num momento de feliz percepção da realidade atual, lançou vários questionamentos que, provavelmente, estão a povoar as mentes de milhões de pessoas no Brasil e no mundo, para os quais ainda não se visualizam respostas adequadas. Nada é mais verdadeiro do que o fato de que as coisas não mais serão como antes em praticamente todos os sentidos da vida.

Cada País e cada povo aprenderá a sua própria lição de vida para o pós-Pandemia, na exata proporção em que se comportou durante toda a crise. Nos países que não adotaram medidas preventivas ou flexibilizaram de forma mais apressada a volta a uma vida de normalidade, sofrerão as consequências do crescimento do número de infectados ou mortos. Exemplo disso ocorreu com os EUA e Suécia. Quando voltaram a relaxar os cuidados e as pessoas passaram a circular sem uso de máscaras e a fazer piqueniques em Parques, logo ocorreu a brusca reincidência do vírus. Sobre isso, está provado que, o chamado “novo normal”, não mais nos permitirá esses momentos tão singulares em nossas vidas...

Artigo – Não basta ser honesto!

Ainda que para alguns mortais, obviamente brasileiros, tornou-se uma prática comum encontrar embasamento de natureza cultural para justificar os desvios de conduta nos seus atos de desonestidade, existem as poucas exceções para as quais “ser HONESTO não é virtude, é obrigação”!

O comportamento humano sofre influência de vários matizes, tanto para o bem como para o mal. Pode parecer recorrente, mas nunca é demais repetir o sábio pensamento do ilustre baiano Ruy Barbosa, quando em discurso no Senado Federal, em 1914, definiu com raríssima felicidade que: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”...

Artigo – Uma nação assustada!

Entre os pressupostos naturais que definem o sentido de cada voto dado pelo eleitor num pleito, além do básico e tradicional cumprimento do dever cívico, está embutido o desejo de escolher entre os candidatos aquele que possa assumir a responsabilidade da gestão pública no encaminhamento dos mais elementares e diversificados problemas que acometem uma comunidade.

Obviamente, que cada cidadão tem a sua vida diária sempre conectada a todos os acontecimentos à sua volta, bem como se mantém mais vigilante no acompanhamento do desempenho do Prefeito Municipal, figura pública responsável pela condução da cidade...

Artigo – Onde a Suécia não deve ser imitada

(A “arriscada” aposta da Suécia para enfrentar o Coronavírus)

Ainda que as eleições de outubro próximo contemplem apenas os cargos de Prefeitos, Vice-Prefeitos e Vereadores, o que causa menor impacto do que se fossem as eleições gerais, não sei se realmente não seria mais prudente alongar esse prazo por uns seis meses adiante, face as consequências decorrentes dessa intensa crise socioeconômica, política e de saúde pública originada pela tragédia do COVID-19...

Artigo – Vem aí a “Operação Lava Vírus”?

Aqueles que são vocacionados a escrever a História do Brasil, e que por dever de rotina e compromisso com os acontecimentos se incumbem de compilar os fatos do dia a dia, estão sendo praticamente atropelados por um farto e diversificado material, que irá exigir um amplo esforço de interpretação literária diante de tantas variáveis.

Com o privilégio de vivermos num país de belezas naturais incomensuráveis, de uma floresta enaltecida como o “pulmão do mundo”, e uma costa marítima de 7.491 kms de extensão composta de praias belíssimas, todo esse universo poderia se constituir no sonho literário único de qualquer escritor...

Artigo - Pandemia: Receita por Decreto?

Nada mais dramático e doloroso quanto ouvir o pranto de dor de centenas ou até milhares de pessoas, em portas de Hospitais, clamando pela morte de seus entes queridos acometidos do coronavírus, às vezes pela falta de atendimento por indisponibilidade de espaços nas Unidades, fato que atormenta aos bravos médicos e enfermeiros por se sentirem impotentes para socorrer a todos.

E o que é mais trágico em todo esse cenário, é ver alguns morrerem sobre as macas nos corredores de espera dos Hospitais, assim como é desumano os familiares apenas receberem a informação das mortes nas UTIs, sem qualquer possibilidade de acesso para uma última visão e identificação do corpo inerte!..