RedeGN - ITABERABA: SANEAMENTO SOB SUSPEITA

ITABERABA: SANEAMENTO SOB SUSPEITA

Uma equipe constituída de técnicos da Codevasf, Prefeitura Municipal, Polícia Federal, Ministério Público Federal entre outros órgãos, esteve pela manhã reabrindo a rede de esgotamento sanitário (saneamento) do bairro Itaberaba, alvo de inúmeras denúncias por parte da oposição no governo do ex-prefeito Misael Aguilar (PMDB).

CONHEÇA O CASO

Em 2009, a Codevasf notificou a administração municipal Isaac Carvalho (PCdoB) para que a prefeitura devolvesse o valor de R$ 712 mil, que deveriam ter sido aplicados no projeto de saneamento do bairro Itaberaba durante a administração do então prefeito Misael Aguilar (PMDB).

A Procuradoria Municipal de Juazeiro deu entrada no dia (04/09) na Justiça Federal em uma ação contra o ex-prefeito Misael Aguilar cobrando a restituição de mais de 700 mil reais aos cofres públicos, referente ao saneamento do bairro Itaberaba no ano de 2006. O processo com mais de 2 mil páginas foi entregue pelo procurador do município, Carlos Luciano de Brito Santana à Justiça Federal.

A Controladoria Geral da União (CGU), através da tomada de conta especial detectou tal valor, concluindo haver desvio de recurso. Por sua vez, a administração municipal ajuizou ação  de improbidade contra as pessoas envolvidas no processo, entre elas: o ex-prefeito Misael Aguilar, Alberto Martins, Aloísio Lopes de Carvalho, Francisco Dalmo Coelho Pedrosa, Humberto Gonçalves Sales, Quimil Indústria e Comércio LTDA, Antonio Mário Campelo, Real Saneamento Comércio e Serviços LTDA, Edvan Melo Sobral, US Matic Industria e Comércio de Equipamentos de Irrigação S/A, Edmilson Marcondes dos Santos e José Oliveira.

Na ação em 2009, foi solicitada ao Ministério Público Federal  a indisponibilidade  dos bens de todos os envolvidos. O MPF acolheu o pedido e a Justiça Federal iniciou o procedimento requerido.

O vereador Crisóstomo Lima (PCdoB), um dos denunciantes à época, esteve acompanhando a ação nesta quinta-feira e informou que a mesma é para observar a qualidade da tubulação, diâmetro etc, bem como o desvio de parte dos recursos. Ele argumenta que desconfiou da qualidade obra em função de inúmeras reclamações dos moradores.

Flávio Luis Secretário Municipal de Obras Estruturantes esclareceu que a participação da Prefeitura nesse processo era apenas de auxílio técnico e de equipamentos, atendendo pedido da Justiça Federal.

Membros da Polícia Federal em Juazeiro não concederam entrevistas. O processo corre em segredo de justiça.