RedeGN - VEREADOR REPRESENTA CONTRA PREFEITO (PT) E VICE-PREFEITO (PMDB) DE SOBRADINHO POR ABUSO DE AUTORIDADE

VEREADOR REPRESENTA CONTRA PREFEITO (PT) E VICE-PREFEITO (PMDB) DE SOBRADINHO POR ABUSO DE AUTORIDADE

O vereador de Sobradinho Cícero Alves da Silva (PTB), no último dia 17, impetrou REPRESENTAÇÃO contra abuso de autoridade do prefeito Genilson Barbosa da Silva (PT) e do  vice-prefeito Adeilson Bezerra de Melo (PMDB). Segundo o vereador, o prefeito e o vice, num gesto antidemocrático, irresponsável por abuso de autoridade, arbitrário e autoritário, feriram de morte no dia 1º de maio o direito sagrado de reunião que é um meio de manifestação coletiva de liberdade de expressão, amplamente respeitada pela sociedade e defendida pela Constituição Federal.

O evento objetivava a reabertura do único Hospital de Sobradinho que desde o inicio da atual gestão encontra-se fechado, sem perspectiva de abertura. Para tanto, o vereador argumenta: "Preocupado com o bem estar da comunidade em geral, em especial com a saúde pública do município, a gente promoveu um evento ordeiro encaminhando ofícios às autoridades constituídas (Ministério Público, Delegacia de Policia Civil, Comandante da Policia Militar, Secretário de Infraestrutura e inclusive ao Prefeito) tentando desse jeito fazer cumprir o Art. 5, XVI da Constituição Federal que diz - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente -, no entanto o que se viu foi a tentativa explicita de ressuscitar a ditadura militar, que outrora utilizava-se de meios desumano, violento e odiento para mitigar o direito da liberdade de expressão e da cidadania" argumentou Cícero Alves.

 “Juntamente com os vereadores de oposição Carlos Passos – PSL, Ranilson Nery – DEM, e Gabriel Farias – PP continuaremos incansavelmente lutando pela reabertura do Hospital Municipal de Sobradinho, pois acreditamos que o direito a saúde que é inalienável não pode ser negado pelo o poder Executivo, uma vez que as pessoas mais humildes e carentes é que sentem na pele o caos na saúde do nosso município", concluiu o parlamentar do PTB.