RedeGN - Justiça suspende a licitação de tablets em Pernambuco

Justiça suspende a licitação de tablets em Pernambuco

A Justiça determinou, no último sábado, a suspensão da maior licitação realizada em 2011 pela Secretaria de Educação de Pernambuco. Além de paralisar o processo de compra de 156 mil tablets (computadores de mão), o desembargador José Carlos Patriota Malta determinou que a fase de tomada de preços seja retomada com a inclusão da empresa que impetrou mandado de segurança contra a secretaria.

O desembargador acatou as razões expostas pela Digibras Indústria do Brasil S.A. que considerou injustificada sua exclusão do processo licitatório. A empresa alega que ofereceu um tablet com a mesma configuração da vencedora, mas não teve sequer tempo de apresentar preço menor, por ter sido desabilitada do pregão eletrônico.

Quando a Secretaria de Educação de Pernambuco abriu edital para a compra dos tablets, centenas de empresas manifestaram interesse em concorrer. Dez foram habilitadas para disputar o pregão eletrônico, mas apenas duas (a fabricante e a distribuidora do mesmo produto) tiveram chance de apresentar seus preços. As demais foram excluídas do processo.

RECURSO - O secretário de Educação, Anderson Gomes, classificou como "normal" uma empresa excluída de uma licitação recorrer do resultado. Anderson Gomes asseverou que a secretaria irá entrar com recurso para derrubar a liminar que suspendeu a licitação.

Os 156 mil tablets serão distribuídos para alunos do 2º e 3º anos do ensino médio, dentro do Programa Aluno Conectado. A expectativa da Secretaria de Educação é que as primeiras unidades sejam entregues a partir de março do próximo ano.

(Com JC)