RedeGN - Bar desviava energia capaz de abastecer cerca de 315 residências por um mês em Petrolina

Bar desviava energia capaz de abastecer cerca de 315 residências por um mês em Petrolina

Uma operação da Neoenergia identificou desvio de energia no Boteco do Bosquinho, bar localizado na Avenida da Integração, em Petrolina, na última sexta-feira (10). As equipes técnicas constataram um desvio embutido, controlado por disjuntor. A ação foi promovida pela área de inteligência da empresa.

Segundo a Neonergia, o volume de energia recuperada com esta ação foi de 38.000 kWh, quantidade que seria suficiente para abastecer cerca de 315 residências por um mês. Toda energia não medida será cobrada por meio de processo administrativo. A fraude no restaurante foi retirada, o cliente foi regularizado e a energia voltou a ser medida de forma regular.

“Cada vez mais os fraudadores tentam encontrar formas diferentes de furtar energia, inclusive, utilizando recursos tecnológicos. No entanto, temos uma área de inteligência capaz de identificar os mais variados mecanismos de fraude. O recado que passamos é que não adianta burlar, uma hora vamos encontrar as irregularidades e cobrar a energia não medida”, relata o Supervisor Operacional da Neoenergia Pernambuco, Ícaro Bezerra.

A Neoenergia Pernambuco reforça que o furto de energia é crime sujeito às penalidades do artigo 155 do Código Penal Brasileiro. Além de acarretar prejuízos à população, a prática representa riscos de acidentes graves. Em caso de denúncias, os clientes podem entrar em contato pelos canais de atendimento da concessionária, sem a necessidade de identificação.

Denúncia

Caso alguma pessoa desconfie de ligações clandestinas ou mesmo de furto de energia por fraude no medidor, ela pode entrar em contato com a Neoenergia Pernambuco, por meio do 116, e fazer a denúncia. Não precisa se identificar. Além de crime, essas ações colocam em risco a segurança de toda a localidade e prejudicam consideravelmente a qualidade, a continuidade e confiabilidade da rede de distribuição de energia elétrica.

Da Redação RedeGN