RedeGN - PROFESSORES DA UNEB EM JUAZEIRO FAZEM AVALIAÇÃO DA GREVE QUE JÁ DURA 25 DIAS

PROFESSORES DA UNEB EM JUAZEIRO FAZEM AVALIAÇÃO DA GREVE QUE JÁ DURA 25 DIAS

Em greve há vinte e cinco dias, os professores da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) receberam os veículos de comunicação de Juazeiro e Petrolina na manhã desta quinta-feira (19), no Departamento de Ciências Humanas, em Juazeiro, quando fizeram uma avaliação do movimento grevista e um panorama sobre a situação das universidades públicas na Bahia.  

Manoel Ernesto e Edmerson Reis, representando os demais líderes do movimento, explicaram que a greve não era apenas por reajuste salarial, mas também em favor da contratação de professores, da anulação do decreto 12.583/11, que o direito da progressão e promoção seja mantido, e contra a chamada cláusula da mordaça que congela os salários por quatro anos.

“Esse governo está marchando para privatizar as universidades do Estado da Bahia. Ele (governador) já disse que não é interesse manter as quatro universidades, por várias vezes esse governador e os outros, disseram que não é função do Estado manter universidade, é função do governo federal. É preciso dizer que a UNEB é um patrimônio histórico do povo baiano que nós não vamos aceitar ele desmantelar”, declarou Manoel Ernesto.

Edmerson dos Santos Reis lamentou que os deputados anteriormente porta-vozes dos anseios dos docentes em governos passados, hoje aliados do governo petista, emudeceram. “É preciso lembrar que a gente ajudou também a construir esse governo e os maiores defensores que nós tínhamos, hoje olham para a universidade como se ela não lhes dissesse mais respeito”.

Manoel e Edmerson reconheceram o apoio ao movimento dos alunos da universidade, da sociedade regional e da Câmara de Vereadores, enaltecendo uma proposta do ex-vereador de Casa Nova Avoni Moura, durante audiência pública na Casa Aprígio Duarte de unificar os legislativos municipais do Norte da Bahia no sentido de encaminhar documento único ao governador Jaques Wagner.