RedeGN - Crianças com sintomas gripais superlotam hospitais de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE)

Crianças com sintomas gripais superlotam hospitais de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE)

Pais de várias crianças e profissionais da saúde chamaram à atenção da superlotação nos hospitais que atendem crianças em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).

Em Juazeiro, a sala de atendimento está tão lotada que as pessoas estão formando fila na área externa da unidade hospitalar. Vídeos e fotos foram encaminhadas à redação da Rede GN dando conta da grande demanda no Hospital São Lucas que atende as crianças em Juazeiro bem como da Upa na vizinha cidade de Petrolina.

Na manhã desta quarta-feira (05) a reportagem já tinha repercutido matéria sobre o assunto após visitar o Posto de Saúde do bairro São Geraldo.

A constatação foi de que continua intensa a procura por consultas médicas devido aos sintomas da gripe.

Relatava a matéria: A recomendação é que a população mantenha os protocolos de biossegurança usados para a Covid-19, a fim de mitigar a disseminação do vírus da Influenza H3N2.

Quanto a cobertura vacinal, ano passado à época da Campanha da Influenza, o Ministério da Saúde havia definido um público alvo destinado a imunização de grupos específicos.

No Programa Viva Bem, apresentado na Rádio Petrolina FM, e nas redes sociais, o médico @ivangalvaoficial, clínico geral, em carta aberta denunciou o que ele considera descaso da Prefeitura de Juazeiro e de Petrolina diante dos casos de influenza.

"Iniciamos o ano com uma epidemia terrível de uma nova variante do vírus influenza A, denominada H3N2, para a qual ainda não existe vacina. Aguardamos as medidas por parte da secretaria de saúde de Juazeiro. Precisamos de testes rápidos para o vírus influenza nos serviços públicos de saúde e da disponibilização do medicamento específico para o tratamento dos casos graves", escreveu o médico.

Ontem, dia 4, a REDEGN publicou que as unidades de saúde de Juazeiro e Petrolina estão sendo bastante procuradas por causa dos sintomas da gripe. Pacientes buscam atendimento com sintomas que são parecidos com os da Covid-19.

Pacientes afirmam que enfrentaram aglomerações nas unidades de saúde. Em Petrolina, a UPA "está muito cheia, a coisa está séria", diz um dos leitores da REDEGN, via rede social.

INFORMAÇÕES PREFEITURA JUAZEIRO:

A assessoria da Secretaria Saúde de Juazeiro, através de nota, ressaltou que no final de 2021 e primeiros dias de 2022, notou um crescimento nos atendimentos a pessoas com sintomas gripais tanto nas unidades de saúde da Atenção Básica, bem como na rede de atenção especializada.

Durante o mês de dezembro, o Ponto de Testagem, que funciona no Centro de Cultura João Gilberto, realizou 1.319 testes em pessoas com sintomas gripais. Destes, apenas 130 tiveram resultado positivo para Covid-19. Os demais, eliminando a possibilidade de Covid-19, estavam com gripe.

Na segunda-feira (3), primeiro dia útil de 2022, somente o Ponto de Testagem atendeu quase 200 pessoas com sintomas gripais. Antes, o local recebia em média 70 pessoas. "A procura pela testagem está muito grande. Estamos realizando testagem por livre demanda, mas as pessoas precisam compreender que existe um limite de horário e testes realizados neste local pela própria equipe", destacou o diretor de Vigilância em Saúde, Djalma Amorim.

A orientação para testagem da Influenza, segundo orientação da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) aos municípios, é que seja feita em pacientes internados, com teste negativo para Covid-19. "Nestes casos, quando o paciente testou negativo para a Covid-19, a amostra é submetida ao teste de Influenza, como o estado da Bahia orienta", disse a superintendente de Vigilância em Saúde de Juazeiro, Caroline Morgado.

Hospital de Campanha: Muitas pessoas com sintomas gripais, neste período de pandemia, buscam pelo Hospital de Campanha. A unidade está realizando uma média de 150 atendimentos diariamente, mas a maioria não possui resultado positivo para Covid-19, apenas gripe leve, portanto não demanda internação. Na segunda-feira, das 170 pessoas atendidas no Hospital de Campanha, apenas uma positivou para Covid-19.

"Por dia, apenas 3 ou 4 pessoas que procuram o Hospital de Campanha testam positivo para Covid-19. Estamos atendendo todos os casos de gripe e os casos leves são triados e orientados para as unidades pertinentes. Todos os casos mais severos e todos os casos com febre são encaminhados para medicação e realização de exames, quando necessário", explicou o diretor administrativo do hospital, Régio Cunha.

Vacinação gripe: A vacina contra a influenza não é um imunizante de rotina, ou seja, ele é enviado aos municípios para a realização da campanha anual. Porém, diante do surto de gripe em algumas cidades do país, o município já realizou a solicitação de vacina contra a gripe ao Núcleo Regional de Saúde Norte e aguarda o recebimento da remessa por parte do estado, mas ainda sem previsão.

Orientações de prevenção: As orientações para a prevenção da transmissão do vírus da gripe são as mesmas relativas às da Covid-19. "É preciso que a pessoa com gripe ou com Covid-19 esteja em isolamento, evitando contato com outras pessoas, principalmente com quem esteja com sintomas gripais. Então deve-se evitar aglomerações. O uso de máscara é muito importante, assim como a higiene das mãos e superfícies com água e sabão ou álcool 70%", disse Djalma Amorim.

Confira Nota resposta // UPA 24h Petrolina:

A coordenação da Unidade de Pronto Atendimento de Petrolina (UPA 24h) reconhece a grande demanda na unidade, motivada, principalmente pelo aumento dos atendimentos de casos de síndromes gripais, situação comum em todo o País.

Mesmo assim, o serviço tem atuado para garantir o atendimento a todos os usuários que dão entrada, com prioridade para os casos de maior gravidade, de acordo com o sistema de classificação de risco.

Importante ressaltar, no entanto, que a UPA de Petrolina é a única porta aberta para o atendimento de urgência e emergência adulto e que diante do surto de influenza orienta que deve ser procurada prioritariamente em casos de desconforto respiratório, dor ou pressão no peito, sinais de desidratação como tontura, dificuldade para urinar ou confusão mental e queda brusca do estado geral.

Casos mais simples podem ser referenciados para as unidades básicas de saúde.

Por fim, é importante reforçar a necessidade de manutenção dos cuidados básicos, como distanciamento social, uso da máscara e higienização das mãos para evitar a disseminação do vírus.

Da redação