RedeGN - Após reunião, PDT orienta voto contrário à PEC dos Precatórios

Após reunião, PDT orienta voto contrário à PEC dos Precatórios

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) orientou nesta terça-feira (9) voto contrário à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios. A votação da matéria em segundo turno na Câmara dos Deputados está prevista para a tarde de hoje.

“Em reunião na sede do PDT em Brasília, a Executiva Nacional e a Bancada Federal concordaram em encaminhar voto contrário no segundo turno da PEC dos Precatórios”, escreveu Carlos Lupi, presidente da sigla, no Twitter.

Conforme antecipado pelas repórteres da CNN Bárbara Baião e Rachel Vargas, o posicionamento contrário ao texto acontece após críticas do ex-governador do Ceará Ciro Gomes – depois que membros do partido votaram a favor da PEC, o pedetista anunciou a suspensão de sua candidatura à Presidência da República.

No primeiro turno do texto-base da PEC dos Precatórios, 15 dos 21 deputados do PDT votaram com o governo. Em entrevista à CNN após a votação em primeiro turno, Carlos Lupi afirmou que partido poderia mudar de posição e que falaria pessoalmente com cada deputado que votaram a favor da PEC.

Ao justificar a suspensão de sua candidatura pelo partido, Ciro afirmou que votar a favor da medida é o mesmo que “compactuar com as farsas e os erros bolsonaristas”. Ao avaliar a votação à CNN, Lupi afirmou que a aprovação do texto “é um cheque em branco para um governo despreparado e corrupto”.

Lupi diz que pelo menos dez votos favoráveis foram revertidos

Durante coletiva de imprensa no diretório do PDT nesta terça-feira, Lupi afirmou que o partido já tem pelo menos dez votos revertidos dentro do partido – deputados federais que no primeiro turno foram favoráveis devem, portanto, votar contra a matéria no segundo turno. A bancada do PDT na Câmara é formada por 25 parlamentares.

Lupi agradeceu ao líder do PDT na Câmara dos Deputados, Wolney Queiroz (PE), e ao vice-presidente nacional do PDT, André Figueiredo (CE), pelo trabalho realizado nos últimos dias para convencimento dos demais parlamentares.

“Quero agradecer esses dois. Wolney, à sua compreensão, à sua grandeza de que acima das suas próprias convicções está a questão partidária. Ao meu companheiro André, da mesma maneira. Ele foi aviltado publicamente pelas pessoas que não compreendem e não conseguem compreender o que ele tentou fazer. Nossa solidariedade e permanente confiança.”

O presidente do PDT ainda explicou que apenas um deputado do partido manteve o voto favorável ao texto da PEC. “Agora, por proposta do líder Wolney, foi encaminhado que ele mudaria esse encaminhamento à votação hoje com o voto não. E apenas uma pessoa, de todos os membros, manteve seu voto sim, foi o deputado federal subtenente Gonzaga, que está, inclusive, de saída do partido”, disse Lupi.

PDT não abre mão de Ciro candidato

Ao comentar a suspensão da candidatura de Ciro Gomes, Lupi afirmou que a candidatura à Presidência da República “não pertence a ele, pertence ao partido”.

“Eu disse pra ele e vou repetir pra vocês. A candidatura do Ciro não pertence a ele, pertence ao partido. Ele tem o direito de dizer que não é mais candidato, mas o partido não abre mão dele ser candidato. Então, ele fez uma suspensão e foi uma maneira que ele encontrou pra mostrar a sua divergência. E isso está superado.”

CNN / foto: Estadão