RedeGN - Reportagem Especial: Alunos da rede pública de ensino enfrentam dificuldades com atual situação educacional

Reportagem Especial: Alunos da rede pública de ensino enfrentam dificuldades com atual situação educacional

A Unesco, órgão da ONU para a educação e cultura, realizou a contagem global da situação educacional impactada pelo novo coronavírus. No relatório, foram registrados quase 300 milhões de alunos afetados em 22 países de três continentes pelo fechamento de escolas devido à expansão do vírus.

De lá para cá, os números cresceram e mais instituições de ensino ao redor do mundo suspenderam as aulas. O professor e especialista em gestão pública Renato Casagrande diz que ainda é preciso estudar mais a dimensão do problema e o impacto.

Com as suspensão das aulas, muito se fala do uso das tecnologias para ensino e aprendizagem como uma forma de reparação dos danos aos alunos. Aulas a distância e plataformas digitais são mais palpáveis quando se trata de ensino superior, já que muitas faculdades já usam diferentes mídias. “Na educação básica, o problema é um pouco maior, porque as escolas não estão preparadas e rapidamente devem encontrar uma forma de introduzir e se adaptar às novas tecnologias”, ressalta Casagrande.

Além disso, na educação infantil e no ensino fundamental, do 1º ao 5º ano, é muito difícil as crianças trabalharem sozinhas, elas precisam de acompanhamento e tutoria. O ensino a distância da maneira que conhecemos não é possível.

Na Bahia são cerca de 800 mil estudantes matriculados da rede estadual de ensino. As escolas estaduais foram fechadas desde 18 de março, devido à pandemia do novo coronavírus. As aulas na rede pública deveriam ter sido substituídas por modalidades a distância, como as aulas transmitidas pela TV e pela internet, mas nem todos conseguem acompanhar. 

A reportagem da redeGN obteve informações que o único incentivo na prática é dos estudantes receberem o vale alimentação, na quantia de R$55,00, reais. 

No quesito educação, estudantes, pais e professores relatam “apagão” na educação. Só na rede estadual, a suspensão das aulas impacta e mais uma vez a classe estudantil menos favorecida é a mais prejudicada, devido a desigualdade social que atinge a falta de estrutura para promover, de uma hora para a outra, a modalidade de ensino a distância, já que essa metodologia demanda uma estrutura específica.

"Ninguém está tendo aula. Tudo mentira. Não existe condições dos alunos acompanhar por falta de suporte técnico", informou uma fonte a reportagem redeGN. No portal www.estudantes.educação.ba.gov.br/roteirosdeestudo, até que existe a boa vontade, mas os alunos consultados apontam que não "tem estrutura apropriada para estudar e acompanhar os estudos principalmente por falta do acesso a internet".

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) disponibiliza, novos Roteiros de Estudo nas áreas de Matemática e Ciências da Natureza, para auxiliar os estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, no período de suspensão das aulas. Os roteiros são lançados no Portal da Educação.
 
A iniciativa visa contribuir para que os estudantes tenham uma rotina de estudos durante o período de suspensão das aulas, em virtude da pandemia do Coronavírus. Até o momento, já foram disponibilizadas mais de 250 atividades.

A superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manuelita Falcão, destacou as vantagens dos roteiros e falou de que forma essa rotina proposta é importante para o aprendizado dos estudantes durante o isolamento social. 

“A ideia é oferecer sugestões de conteúdos a serem trabalhados nos diferentes componentes e áreas. A nossa expectativa é que, neste período, a gente possa canalizar um pouco da energia desses jovens para algo que seja construtivo para o processo de aprendizagem deles, incentivando o engajamento em uma rotina que não seja de estudo aleatório, mas que seja algo mais organizado e compatível com cada série. Além disso, este material pode dar uma contribuição também para os professores que queiram se conectar com os seus alunos ou interagir de forma qualificada em salas virtuais ou grupos de WhatsApp”.
 
Os estudantes tem (ou deveriam ter) uma rotina de estudos à disposição com conteúdos e atividades que envolvem a área de Linguagens, reunindo os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa, Produção Textual, Literatura, Arte, Educação Física e Inglês. Nesta semana, os roteiros incluídos englobam conteúdos de Matemática, Biologia, Física e Química. O cronograma propõe uma rotina das 9h às 12h e as atividades são explicativas, descrevendo tópicos da atividade, objetivo e sugestão de exercícios, buscando contemplar tanto estudantes que têm acesso à internet, quanto os que não têm.
 
Em função da situação de emergência de Saúde Pública provocada pelo Coronavírus, as aulas foram suspensas em toda a Bahia conforme decretos do Governo do Estado. A reposição das aulas dos dias letivos englobados nos decretos será realizada na rede estadual de ensino. A redefinição do calendário escolar está sendo discutida com as diferentes representações da Educação Básica e do Ensino Superior.

Redação redeGN Foto Ilustrativa