RedeGN - Juazeiro: Uma crise chamada Centro de Cultura João Gilberto. Desafinada e fora do tom a cultura pede socorro

Juazeiro: Uma crise chamada Centro de Cultura João Gilberto. Desafinada e fora do tom a cultura pede socorro

Uma crise cultural afeta o Centro de Cultura João Gilberto. Uma crise que se arrasta nos ultimos anos e parece não ter uma solução em breve periodo. O tom encontra-se desafinado e fora do ritmo da grandeza do homenageado.

Um dos capítulos mais recentes envolve a exoneração do publicitário Marcio Fabiano da diretoria do Centro de Cultura e o não dado pelo turismólogo e produtor cultural Iuric Pires. Iuric gravou video dizendo que não aceitaria o cargo.  "Não posso assumir a direção do Centro de Cultura João Gilberto neste momento", disse Iuric. Durante uma das entrevistas ele adiantou que o valor para a recuperação do Cento de Cultura João Gilberto ultrapassa a casa de um R$ 1 Milhão.

O publicitário Márcio Fabian foi publicada no dia  (07) fevereiro, no Diário Oficial do Estado.

Ano passado, a redeGN publicou uma carta aberta dos artistas juazeirenses reclamando da atual situação do Centro Cultural João Gilberto. Um texto o ator Edvaldo Franciolli, relatou as principais reivindicações cobradas diretamente ao Governador Rui Costa, durante visita a Juazeiro.

Vale a pena conferir visto que os problemas só aumentaram:

Desde o último dia 9 de julho de 2029, um grupo de artistas juazeirenses sendo a maioria ligada ao teatro, se reuniu no Centro de Cultura João Gilberto para discutir uma pauta específica que foi a reforma estruturante do espaço Centro de Cultura João Gilberto. O movimento que passou a ser chamado de Café com Teatro.

Inicialmente era apenas para ser um encontro de artistas para falar sobre vários assuntos, porém ao iniciar o bate papo a pauta foi direta a um dos pontos mais delicados no momento que é a colocação de novas poltronas no referido espaço e que, para os artistas que usam constantemente o teatro não é o suficiente, pois o Centro de Cultura João Gilberto está em péssimo estado de  funcionamento. 

O ator Devilles Senna que é um dos maiores usuários do Teatro de Centro de Cultura com seu projeto Teatro Escola destacou a criação do Grupo Café com Teatro que tem como objetivo discutir a cultura local e seus entraves e conquistas, bem como a reforma do Centro de Cultura João Gilberto que deve ser  integral e não somente uma ação paliativa com troca de poltronas. Deviles destacou ainda a importância da união da classe artística no que se refere à politicas públicas voltadas para a cultura.

O ator Edvaldo Franciolli falou sobre sua experiência de 50 anos do fazer teatral e sua participação como gestor em vários órgãos público de cultura, mas chamou a todos para unidos lutarem por melhores condições de se fazer teatro na região e principalmente sobre a reforma completa do Centro de Cultura João Gilberto que deve ser integral e não somente parcial.

O  então presidente do Conselho Municipal de Cultura Marcos Velasch, chamou à responsabilidade do papel do Conselho como órgão fiscalizador das ações de cultura do município e solicitou que os artistas estivessem mais presentes às reuniões e cobrassem mais dos conselheiros e que o Conselho dispõe de todos os documentos referentes às ações municipais e que é preciso estar mais atentos ao trabalho desenvolvido pela Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes do município.

Marcos Velasch falou ainda que já existe um documento na Secretaria de Cultura do Estado da Bahia enviado pelo Conselho Municipal de Cultura onde fala das prioridades de uma reforma completa do teatro do Centro de Cultura João Gilberto e que é preciso cobrar dos políticos interferência junto ao Governo do Estado para que estas exigências sejam concretizadas.

O ator Elder Ferrari aumentou o tom ao falar como que, numa espécie de desabafo sobre a situação do teatro do Centro de Cultura João Gilberto e que, a exemplo do que fizeram com a ação do OCUPE, fizesse uma grande manifestação para que, a reforma do referido espaço não fique apenas em troca de poltronas mas, que vá muitos mais além com uma reforma completa do espaço. O ator propôs  então uma manifesto para que chegue aos ouvidos do Governador do Estado da Bahia Rui Costa que é preciso reforma completa urgente do Centro de Cultura.

Atores, atrizes, músicos, poetas, agitadores e produtores culturais de várias gerações de Juazeiro, de Petrolina e até mesmo de outros municípios se uniram para que, juntos fortalecesse o movimento Café com Teatro a exemplo de artistas como Hertz Félix, Nilton Miranda, Fabricio Fatel, Arlinda Maia, Kátia Gonçalves, Liniker Pereira, Ana Cecília Araújo entre muitos outros.

Muitas foram as discussões provocadas durante 4 reuniões agendadas onde cada um dos artistas presentes puderam fazer suas colocações e reivindicações que foram registradas em relatórios e encaminhados anexos ao ofício que foi entregue ao Governador Rui Costa quando da sua estada em Juazeiro para inauguração da Policlínica no dia 30 de julho 2019.

Destacou Franciolli um dos coordenadores do movimento Café Com Teatro: “ É claro que para que tudo acontecesse até chegarmos ao Governador do Estado da Bahia contamos com a colaboração de muitas pessoas e parceiros a exemplo da Empresa de Transportes Joalina que transportou os artistas do Samba de Veio do Rodeadouro, de grupos culturais do Kidé e dos artistas que estavam caracterizados e foram ver de perto a recepção que tivemos do Governo do Estado que nos recebeu muito bem, nos dando a atenção necessária e  recebendo de nossas mãos um importante documento para que tenhamos uma reforma estruturante do nosso Centro de Cultura João Gilberto”.

Deviles Sena que também encabeça o movimento ressaltou que para tudo acontecer precisa de forças políticas através do empenho dos deputados estaduais Roberto Carlos, Zó, Tun, Paulo Rangel, e dos federais Zé Neto, Daniel Almeida e Josias Gomes além do apoio do Senador Jaques Wagner que se mostrou solícito em abraçar a causa da classe artística não só de Juazeiro mais de todos os 10 município que integram o território da região Norte Baiano a quem podem usar o Centro de Cultura João Gilberto com suas produções.

AÇÃO PARA REFORMAR:
O movimento Café com Teatro criou forças e dentro da “Ação Para Transformar” fez as seguintes solicitações ao Governo do Estado da Bahia através do oficio ao governador Rui Costa: AQUISIÇÃO DE 2 BEBEDOUROS COM 4 TORNEIRAS (01 para ser colocado na área do Foyer do Teatro e o outro na área dos camarins), REFORMA GERAL DO PALCO (que se encontra comprometido com cupins e madeiras danificadas afundando),TROCA DA CENTRAL DE REFRIGERAÇÃO ( a que existe é de um modelo ultrapassado que não encontram nem mesmo peças para reposição se fizer necessário) POR UM EQUIPAMENTO DE AR MAIS MODERNO E ECONÔMICO ( uma vez que, o atual consome cerca de mais de 20 mil litros de água incompatível com a política ambiental e uso conscientes dos Recursos Hídricos), REFORMA GERAL DOS CAMARINS, REPARO EM TODA INSTALAÇÃO HIDRÁULICA E ELÉTRICA, MANUTENÇÃO DOS BANHEIROS PARA O PÚBLICO, INSTALAÇÃO DAS PORTAS ANTI-PÂNICO, REQUALIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS FÍSICOS (atendendo as politicas de inclusão e acessibilidade) IMPLANTAÇÃO DE POLTRONAS E SINALIZAÇÃO,MELHORIA DA ACÚSTICA DA CAIXA CÊNICA, TROCA DAS CORTINAS, INSTALAÇÃO COMPLETA DOS EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO, REFORMA DAS SALAS MULTIUSOS, PRÓ-MEMÓRIA E ARENA, CONTRATAÇÃO DE SERVIDORES (para atender as demandas do local).

Redação redeGN/Blog Geraldo José