RedeGN - Khoury vota MP que socorre vítimas de desastres naturais e pede prevenção contra as tragédias

Khoury vota MP que socorre vítimas de desastres naturais e pede prevenção contra as tragédias

O deputado Jorge Khoury (DEM BA) participou de mais uma atividade em Brasília durante este período de recesso parlamentar. Como membro da Comissão Representativa do Congresso Nacional, Khoury acompanhou a reunião convocada em caráter emergencial para debater medidas que possam atender as vítimas das chuvas na região Sudeste. Dessa forma, Khoury exerce com dignidade todas as funções que lhe foram confiadas no Parlamento brasileiro, mesmo há 11 dias do encerramento do seu mandato.  
 
Durante a reunião, deputados e senadores também discutiram políticas de prevenção dos desastres naturais. Para o deputado Jorge Khoury “é preciso que o Congresso Nacional e o Executivo trabalhem juntos com o objetivo de minimizar essas tragédias que vêm acontecendo em nosso País”, afirmou.  
 
A Comissão Representativa também analisou a importância da Medida Provisória 522/11, que libera R$ 780 milhões para os municípios atingidos pelas chuvas  e pela seca prolongada . Serão destinados R$ 700 milhões para o Ministério da Integração Nacional, sendo R$ 600 milhões para Ações de Defesa Civil e R$ 100 milhões para Apoio a Obras Preventivas de Desastres. Outros R$ 80 milhões beneficiarão o Ministério dos Transportes. Além disso, a Defesa Civil utilizará parte do dinheiro para aquisição de roupas, colchões e alimentos não perecíveis.
 
O presidente da Câmara, Marco Maia, anunciou que será criada uma comissão especial da Casa para acompanhar o que está sendo feito nas áreas atingidas pelas fortes chuvas do início deste ano.
 
O deputado Jorge Khoury assinou uma moção de solidariedade às vítimas das chuvas e deslizamentos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais e uma recomendação para que o Congresso estude propostas e soluções preventivas de catástrofes climáticas. Durante a reunião, o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antonio Barreto, afirmou que o governo federal não realizou as medidas necessárias para prevenir os problemas. “Nós falamos muito e não fizemos nada.”