RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 13 registros para a palavra: guerra de espadas

“Criminalização da Cultura da Espada na Bahia” será debatida em audiência na Alba, nesta quinta (4)

Uma tradição no São João de municípios como Senhor do Bonfim, Cruz das Almas e Cachoeira, a Guerra de Espadas será o tema de uma audiência pública nesta quinta-feira (4), a partir das 14h, na Assembleia Legislativa da Bahia. Entre os objetivos do evento, está o debate sobre a sua regulamentação e a importância dessa cultura para as cidades envolvidas.

Proponente da audiência “Criminalização da Cultura da Espada no Estado da Bahia”, o deputado estadual Jacó (PT) estará presente na mesa de abertura ao lado do antropólogo Rodrigo Gomes Wanderley, dos professores Jânio Roque e Filipe Cezarinho, do presidente da Associação dos Espadeiros de Senhor do Bonfim, Darlan Valverde, e da espadeira Rosângela Silva...

Juazeiro tem noite de São Pedro com guerra de espadas e estouro de fogos de artificio

Moradores dos bairros Quidé,  Bairro Maringá, Alagadiço, avenida Adolfo Viana, Luiz Inácio Lula da Silva e imediações do bairro São Geraldo registraram imagens de jovens estourando fogos de artifícios na noite de ontem terça-feira (29), Dia de São Pedro, mesmo com a prática sendo proibida e com a presença da Polícia Militar. O decreto do governo, que proíbe aglomeração e a realização de festas no período junino também não foi respeitado.

Na manhã desta quarta-feira (30) foi possível ver o resultado das batalhas de fogos. Vestígio dos fogos, caixas vazias e rojões estourados foram deixados no chão...

Mesmo com proibição, 'guerra de espadas' é flagrada por moradores em Cruz das Almas

Moradores da cidade de Cruz das Almas, no recôncavo baiano, registraram imagens de uma “guerra de espada”, prática comum no período junino apesar de proibida desde 2011, ocorrida na noite de sábado (19), no bairro Suzana.

Outro ponto de encontro para a “brincadeira” foi flagrado no bairro da Coplan, durante a noite de domingo (20), que, segundo os moradores, teve início à luz do dia...

Juazeiro: Moradores da avenida Flaviano Guimarães denunciam desrespeito ao toque de recolher e guerra de fogos

O principal assunto na manhã desta segunda-feira 8, nas ruas e avenidas de Juazeiro, foi a "Guerra de fogos e desrespeito ao toque de recolher", promovido na noite deste domingo (7), na Avenia Flaviano Guimarães.

O ato considerado ilegal pelos moradores da Avenida Flaviano Guimarães que questionam a falta de fiscalização por parte das autoridades. "Nós moradores que seguimos o toque de recolher e as regras de isolamento social nos sentimos até bestas e enganados pois cumprimos as regras. Ai vem estes vandalos e brincam com fogo e a saúde de nossa gente", declarou um morador que pediu para não ser identificado...

Promotoria diz que há mais de dez anos trabalha a questão da “guerra de espadas”, com intuito de reduzir os danos gerados pelo evento

Durante cinco dias de festas juninas nos municípios de Cruz de Almas e Senhor do Bonfim, as equipes do Ministério Público estadual, compostas por oito promotores de Justiça, vinte servidores, nove Policiais Militares e três fotógrafos, realizaram inspeções e fiscalizações das estruturas montadas e já existentes nos municípios para a oferta de serviços essenciais à população local e visitantes, garantindo a segurança e tranquilidade do evento festivo. 

As visitas resultaram em oito recomendações e uma requisição de instauração de inquérito policial, com o objetivo de solucionar as irregularidades encontradas. Um dos resultados mais positivos, segundo a assessoria do Ministério Público,  foi a redução de ocorrências graves, relacionada à atuação conjunta com instituições parceiras, como as Polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros, para conscientização da população quanto aos danos à integridade das pessoas e ao patrimônio público e particular causado pela “queima” de espadas juninas. ..

Muitos feridos e revolta em Senhor do Bonfim após ação policial que impediu a tradicional guerra de espadas

Continua repercutindo muito em Senhor do Bonfim e no estado a ação policial que tentou suspender a tradicional guerra de espadas que acontece a décadas no município. O confronto entre espadeiros e a polícia, no dia 23, resultou em quase 40 pessoas feridas, segundo relatos. Em entrevista ao Blog do Cleber Vieira, George Nascimento, o representante da Associação Cultural de Espadeiros de Senhor do Bonfim (Acesb), negou que o grupo que se concentrava na praça principal da cidade estivesse soltando busca-pés: “O pessoal se reuniu para manifestar e estava soltando morteiros e bombas. Ninguém soltou espadas, foi quando os policiais chegaram e começaram os confrontos. Fizemos um levantamento nos postos de saúde e tivemos duas pessoas atendidas com ferimentos leves, 27 com ferimentos de bala de borracha, e sete por efeitos do gás lacrimogênio. A quantidade de feridos foi maior que na guerra de espadas”, explicou.

De acordo com George alguns casos mereceram destaque, como o de uma mulher que foi transferida para Recife com risco de perder a visão, em virtude de um tiro com bala de borracha. De acordo com o estatuto do desarmamento soltar espadas é proibido e a polícia alega que estava apenas cumprindo determinação da justiça, a pedido do ministério público, que proíbe a atividade desde 2017...

Justiça Federal mantém decisão de liminar que proíbe guerra de espadas em Senhor do Bonfim, na Bahia

O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a decisão de uma liminar que proibia a tradicional guerra de espadas na cidade de Senhor do Bonfim, norte da Bahia. A decisão foi tomada pelo ministro Luiz Fux, que é o presidente em exercício da corte. No documento, ele repetiu uma medida da ministra Carmen Lúcia, tomada em maio de 2018, que fala sobre o risco de morte dos praticantes da guerra de espadas.

O pedido de suspensão da liminar foi feito pela prefeitura da cidade, que alegou que a proibição prejudica a economia do município, porque implica diretamente na redução das receitas e na diminuição do turismo no período dos festejos juninos. No entanto, a decisão do ministro Fux diz que há ausência de plausibilidade na alegação. A mesma avaliação já havia sido feita pela ministra Carmen Lúcia no ano passado...

Espadeiros descumprem decisão da justiça e realizam Guerra de espadas em Senhor do Bonfim

A suspensão da guerra de espadas em Senhor do Bonfim continua repercutindo nas redes sociais e foi o “prato” mais degustado nas redes sociais, rodadas de conversas e movimentos e manifestos em defesa da bonfinenese.

Ontem várias manifestações foram realizadas na cidade, incluindo uma caminhada que saiu da Praça do Congresso e passou pelas principais ruas da cidade. De acordo com informações colhidas pelo BLOG GERALDO JOSÉ a manifestação foi acompanhada de perto pela Polícia Militar, o que não impediu que espadeiros descumprissem a determinação judicial que proibia o uso do artefato e travassem confrontos de espada...

Polícia apreende espadas na Bahia para evitar tradicional guerra no São João

A Polícia Civil apreendeu 105 espadas de São João na tentativa de evitar a tradicional guerra de espadas na cidade de Senhor do Bonfim, no Centro-norte do estado. A ação, realizada em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE), cumpriu mandados de buscas e apreensão expedidos pela Justiça.

Os mandados foram determinados pelo juiz Teomar Almeida de Oliveira, da comarca de Senhor do Bonfim. A maioria das espadas apreendidas veio da cidade de Cruz das Almas, conhecida pela fabricação dos fogos. Uma dúzia delas custa em média R$ 250.  ..

Mostra Audiovisual "Também Sou Guerreiro" acontecerá no dia 01 de junho em Senhor do Bonfim

A Casa de Farinha Produções e os Grupo de Espadeiros de Senhor do Bonfim apresentam no dia 01 de junho a Mostra Audiovisual sobre a Guerra de Espadas de Senhor do Bonfim: "Também Sou Guerreiro". Serão lançados o curta-metragem (documentário) de Guto Peixinho "No rastro do Fogo", uma realização Peixinho Produções, e o média-metragem documentário de Biel Fagundes "Guerra de Espadas: tradição não se apaga", da Chapow produções.

No mesmo dia estará aberta ao público a exposição fotográfica "Brincando com Fogo", do Antropólogo Rodrigo Gomes Wanderley, que retrata o dia da Guerra de Espadas, um breve ensaio de Antropologia Visual sobre a manifestação da Cultura Popular que acontece no dia 23 de junho em homenagem a São João. A exibição será realizada no Centro Cultural Cecíliano de Carvalho, em Senhor do Bonfim. O número de vagas é limitado a 300 pessoas...

A GUERRA DE ESPADAS E O “QUASE FIM DO MUNDO”

Desde que comecei a me entender como gente, em Senhor do Bonfim, em minhas moradas e estadias pelo Campo do Gado, Bandeira,  Pernambuquinho, Costa Pinto e Cotegipe, ao imaginar e ver a “Guerra de Espadas”, sempre me veio à mente o alerta de Jesus Cristo a seus apóstolos, alerta que os deixava com certeza atentos e hesitantes entre o medo e a curiosidade: “Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, Para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai”.(*Marcos 13:34-37).

Mesmo nos dias de hoie, não há como, no dia 23 de junho, véspera do grande dia da Festa de São João Batista, não retornar a essas palavras de Jesus quando circulo pela Vila Nova da Rainha, sobretudo a partir das quinze horas. Claro que tudo vem desde o nascer do sol, em câmara lenta: desde o esfregar de olhos matinal que a cidade procura esconder o seu nervosismo, comprando milhos em carros e lonas abarrotados;  adquirindo amendoim em mil pontos que se multiplicam a cada esquina e a cada metro; entrando nervosamente nos bancos, como se o dinheiro dos caixas eletrônicos estivessem prestes a serem engolidos por alguma força misteriosa. Até mesmo na feira, e nos supermercados, as longas conversas ao pé das bancas e gôndolas quase não existem, as pessoas se apressam como se alguém estivesse a lhes dizer: “já estamos fechando!”. Isto sem falarmos nas sempre novas placas de compensado que protegem vidraças e fachadas de bancos e casas comerciais...

Reunião discute a continuidade da guerra de espadas no São João de Senhor do Bonfim

A possibilidade de acontecer a tradicional guerra de espadas durante os festejos juninos na Cidade de Senhor do Bonfim foi discutida na noite desta quinta-feira (6), na câmara de vereadores, em uma reunião entre o Promotor de Justiça Gilber Santos, o Presidente da Câmara Laércio Muniz, o Secretário Municipal de Indústria, Comércio e Turismo Valberto Silva, o Secretário Municipal de CulturaArinaldo Urbano, vereadores, representantes dos espadeiros, o Major PM Sidney Lima, Subcomandante do 6º Batalhão e o Soldado BM J Carlos, representando o comando do Subgrupamento de Bombeiros da Polícia Militar.

O Soldado BM J Carlos apresentou uma planta baixa do circuito da guerra de espadas autorizado pelo Subgrupamento de Bombeiros Militares, além do plano de atuação desenvolvido pela unidade e elencou todos os equipamentos obrigatórios para serem utilizados por brigadistas de incêndio disponibilizados pela prefeitura...

Universidade de Coimbra sediará a exposição Guerra de Espadas, do artista Marcos Cesário

O fotógrafo Marcos Cesário, natural de Senhor do Bonfim, estará a partir desta sexta, 15, expondo sua arte do outro lado do oceano atlântico. Ele fará uma mostra no Instituto Dom Diniz, da Universidade de Coimbra, em Portugal. “Guerra de Espadas”, nome da mostra, exprime toda a beleza da cultura junina bonfinense.

O evento é promovido pela Universidade de Coimbra e apresenta todas as sextas-feira um elemento da cultura brasileira. Marcos Cesário vai expor 10 imagens, capturadas em um período de seis anos, nos quais ele documentou a tradicional Guerra de Espadas de Senhor do Bonfim...