RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 11 registros para a palavra: diz pesquisador

"O Brasil tem todas as condições para ser vanguarda na agroecologia",diz pesquisador

Inovações recentes colocam o agro convencional em xeque: agricultura vertical e carnes cultivadas podem levar a uma mudança drástica de um dos mais importantes setores da economia global, o mundo das commodities agropecuárias. 

A agricultura vertical tem ambientes mais controlados e é menos dependente de agrotóxicos. Já as carnes cultivadas são elaboradas no laboratório a partir de células de animais que ficam num ambiente que permite o crescimento de algo que vai se assemelhar à carne desses animais, uma vez abatidos...

SUS sofre com falta de financiamento e condições e estruturas precárias,diz pesquisador

O SUS (Sistema Único de Saúde), embora criticado por problemas estruturais em seu sistema, foi defendido durante a pandemia no processo de vacinação da população.

O professor Paulo Capel Narvai, do Departamento de Política, Gestão e Saúde da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, conversa em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição sobre o seu livro SUS: uma reforma revolucionária, lançado no Dia Mundial da Saúde. ..

2022 e clima: “Não precisamos esperar o futuro, o clima já está mudando”, diz pesquisador

Um dos responsáveis por acompanhar e tentar prever as chuvas e inundações que cada vez mais têm afetado e colocado em risco a vida de muitos brasileiros, o climatologista peruano José Marengo — coordenador geral do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) — diz que não é preciso olhar para cima ou esperar o futuro para se dar conta da emergência climática que vivemos: o clima já está mudando no presente. 

E a tendência é que os eventos extremos se tornem cada vez mais extremos e corriqueiros. “É um problema do que seria o clima do futuro. Não tanto um clima quente, seco, frio ou chuvoso, mas um clima extremo”, diz Marengo, que é um dos responsáveis pelos relatórios sobre o Brasil do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês)...

Coronavac: terceira dose amplia em 20 vezes o nível de anticorpos, diz pesquisador

A dose de reforço da vacina Coronavac contra a Covid-19 amplia em cerca de 20 vezes o nível de  anticorpos neutralizantes, que são aqueles capazes de combater a infecção por todas as linhagens do novo coronavírus, incluindo a variante Ômicron.

A informação foi dada nesta quarta-feira (8) pelo cientista Xiangxi Wang, pesquisador do Laboratório de Infecção e Imunidade do Instituto de Biofísica da Academia Chinesa de Ciências, durante um simpósio promovido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac...

Campanhas para 2ª e 3ª doses podem caminhar juntas, diz pesquisador da Fiocruz

O Ministério da Saúde anunciou, nesta terça-feira (16), uma redução de intervalo de seis para cinco meses entre a segunda dose da vacina contra Covid-19 e a dose de reforço, além da ampliação da faixa etária de quem deve receber a terceira dose.

Segundo a nova orientação, todas as pessoas acima de 18 anos, independentemente de que vacina tomaram antes, precisarão receber uma terceira dose de reforço do imunizante contra a infecção...

Mais de 180 mulheres foram mortas na Bahia em 2020: 'É preciso entendimento social para mudar esses dados', diz pesquisadora

O levantamento anual feito pela Rede de Observatórios da Segurança aponta que 181 mulheres foram mortas na Bahia em 2020. Desse total, 70 foram vítimas de feminicídio, crime de ódio em que a mulher é assassinada em contexto de violência doméstica ou por misoginia – aversão às mulheres.

Além da Bahia, a organização analisa dados de outros quatro estados: Ceará (138 casos, entre homicídios e feminicídios), Pernambuco (144, somando homicídios e feminicídios), Rio de Janeiro (84, contando homicídios e feminicídios) e São Paulo (200, também entre homicídios e feminicídios)...

Brasil está em posição privilegiada para acesso a vacinas contra a covid-19, diz pesquisadora da OMS

Caso os testes clínicos em curso comprovem a eficácia das vacinas contra a covid-19, o Brasil está bem posicionado para obter doses já no ano que vem. Além disso, os acordos já assinados pelo governo federal e pelo estado de São Paulo dão alternativas ao país, embora seja necessário se apressar no planejamento para preparar os mais de 30 mil postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). A avaliação é da professora da Universidade Federal de Goiás, Cristiana Toscano, que integra o Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE) da OMS.

Segundo ela, o Brasil está numa posição privilegiada por possuir mecanismos bilaterais e o envolvimento do Brasil no Covax, que é um mecanismo multilateral. Esse consórcio, organizado pela OMS para garantir acesso à imunização em todo o mundo, espera captar US$ 18 bilhões com o investimento de 80 países considerados autofinanciáveis, como o Brasil, para fornecer as vacinas para estes e mais 92 países que não teriam condições de fabricar ou comprar as doses. Com isso, o país vai investir cerca de R$ 2,5 bilhões e espera adquirir um portfólio que, até então, tem nove vacinas em desenvolvimento, para garantir a proteção de 10% da população até o final de 2021...

Imunização com anticorpos de pessoas curadas do Covid-19 é uma possibilidade a ser usada na Bahia, diz pesquisador

O uso de anticorpos isolados de pessoas já curadas pela Covid-19 na Bahia, semelhante ao que tem sido usado por pesquisadores chineses, é uma possibilidade a ser avaliada na Bahia, de acordo com declaração feita o médico infectologista e pesquisador-chefe do Instituto de Tecnologia em Saúde do Senai-Cimatec, Roberto Badaró.

Em entrevista à Rádio Metrópoles, em salvador, o pesquisador disse que tem discutido com o Secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, essa possibilidade:..

O ex-secretário Alvim é parte de um governo que flerta com ideias fascistas, diz pesquisador

Ao copiar uma fala de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista, o ex-secretário da Cultura Roberto Alvim não foi um peixe fora d'água no governo Jair Bolsonaro. A simpatia por ideias que flertam com totalitarismos do século 20, o fascismo e o nazismo, não é inédita nessa administração.

Desta vez, não é banalizar o uso do termo fascista para toda e qualquer pessoa que discorde de você, como vemos acontecer tanto por aí. É o que diz Odilon Caldeira Neto, professor de história contemporânea da Universidade Federal de Juiz de Fora e um dos principais estudiosos no Brasil do neofascismo e da extrema direita verde e amarela...

Se for detectado metal pesado nos melões ou nas mangas produzidas no Vale do São Francisco, as exportações serão afetadas, diz pesquisador

Os efeitos do desastre ocorrido em Brumadinho, Minas Gerais, poderão ser sentidos pela população pernambucana. É o que temem pesquisadores da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), que estão realizando um estudo emergencial a partir de imagens de satélites para descobrir o alcance de uma provável contaminação da bacia do Rio São Francisco. O responsável pelo estudo e pós-doutor em risco de desastres pela Universidade de Buenos Aires (Argentina), Neison Freire, está avaliando os volumes em quilômetros quadrados e a velocidade de movimentação da lama. 

“Teremos a extensão da área de contaminação até determinada data. Saberemos se haverá possibilidade de atingir a bacia do São Francisco. Se houver contaminação lá, com certeza sentiremos aqui. Fatalmente o rio será contaminado. Procuramos agora o nível de contaminação. Mais cedo ou mais tarde isso chegará à foz, em Piaçabuçu, Alagoas”, explicou o pesquisador. A bacia está ligada a mais de 500 municípios 18 milhões de pessoas. Em Pernambuco, Neison demonstra preocupação especialmente com a produção frutiovinocultura de Petrolina...

Formar professor é fundamental para implementar Base, diz pesquisador

A aprovação da Base Nacional Comum Curricular, na última sexta-feira (15), pode ser uma oportunidade para que, finalmente, o Brasil invista na formação dos seus professores. É o que pensa o pesquisador da Universidade de Stanford, David Plank, que estuda o documento brasileiro em comparação ao Common Core, norma semelhante que está em vigor nos Estados Unidos desde 2010.

Mas, para o especialista, a Base só vai chegar às salas de aula se houver apoio financeiro do governo federal para os programas de treinamento dos professores, principalmente para os Estados e municípios mais pobres. “Aprovar a Base é uma grande vitória para o Brasil, dedicou-se muito tempo, foram muitas discussões para se chegar a isso, mas agora é que o trabalho duro começa”, diz...