RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 5 registros para a palavra: alienacao parental

Senado aprova novas regras para impedir alienação parental

O Senado aprovou hoje (12) um projeto de lei (PL) que proíbe pais investigados por violência doméstica a terem a guarda dos filhos, mesmo compartilhada. O projeto 634/2022 modifica regras sobre alienação parental, que é a prática de manipulação psicológica da criança por um dos pais, de modo a prejudicar a construção de um vínculo dela com o outro. O projeto segue para sanção presidencial.

O projeto altera trechos da lei 12.318, de 2010, que dispõe sobre alienação parental. Inclui no artigo 2, que traz a definição de alienação parental, um novo inciso. Esse inciso amplia o conceito trazido pela lei, incluindo o abandono afetivo da criança ou adolescente pelos pais ou responsáveis, e a omissão desses de suas obrigações parentais...

ALIENAÇÃO PARENTAL OCORRE TAMBÉM FORA DO ÂMBITO FAMILIAR

*Josemar Santana

A ALIENAÇÃO PARENTAL, como se sabe, é a prática adotada pelos pais separados em relação a seus filhos, objetivando excluir a parte alienada da vida dos filhos comuns, isto é, o pai busca incutir na mente dos filhos ideias negativas sobre a mãe, ou vice-versa, fazendo com que os filhos criem maus conceitos contra a parte que sofre a alienação...

A ALIENAÇÃO PARENTAL E SEUS EFEITOS NEGATIVOS EM FILHOS DE CASAIS SEPARADOS/DIVORCIADOS

*Josemar Santana

A convivência conflitante entre pais separados/divorciados traz conseqüências traumáticas aos filhos menores, que são causadas por relacionamentos nocivos...

Alienação Parental!

 
(by Cinthya)
 
Já escrevi sobre esse tema, mas vendo hoje uma cena de novela, senti a necessidade de expor mais uma vez a minha opinião sobre um assunto tão sério e de consequências tão drásticas.
 
Alienação Parental não é brincadeira. É crime. Usar os filhos como arma contra a pessoa que lhe feriu o orgulho é mais do que infantilidade, egoísmo, imaturidade, descontrole. É crueldade. Usar da inocência da criança e manipulá-la contra o pai  (ou a mãe) só pelo fato de uma separação ou de um casamento que nunca aconteceu é um absurdo. É inadmissível.
 
Conheço casos onde os adultos envolvidos na história têm menos noção de responsabilidade do que as crianças. Pais que perdem por completo o controle sobre seus sentimentos, que se julgam vítimas da vida, vítimas de amor falido, de uma relação abortada. Pais que tomam o cônjuge (ou ex cônjuge) como inimigo fatal e contra eles usam a sua maior e mais poderosa “arma”: O Filho!
 
Pessoas mal resolvidas estão por trás desse quadro. Pessoas que não se aceitam, que não aceitam suas “derrotas”, que não aceitam terem sido deixadas pra trás, preteridas, jogadas para escanteio. Sei que não é agradável, mas isso passa muito longe de ser embasamento para sacrificar a saúde emocional de uma criança, principalmente, sendo essa criança o seu filho.
 
Como muita gente sabe, sou mãe solteira. Tenho um filho de um relacionamento casual. Embora o pai jamais tenha mencionado a palavra DNA, não assumiu o “pacote” inteiro. Doeu? Óbvio que sim. Eu senti revolta em algum momento? Claro que sim. Eu chorei muitas vezes e me senti uma merda? Sim, aconteceu tudo isso comigo. No entanto, nunca coloquei meu filho nesse emaranhado de sentimentos meus em relação ao pai dele.
 
Meu filho jamais me ouviu falar mal do pai dele, muito pelo contrário. Ele tem o pai como um herói. Faço o melhor que posso. Engulo o orgulho até o fel doer no meu estômago, mas não mancho a imagem do pai diante dele.  O meu filho vai crescer e vai caber a ele julgar as atitudes do pai dele. Não cabe a mim esse papel. O meu papel é zelar pela saúde e pelo bom crescimento dele e isso eu faço. O resto, eu engulo, passo por cima. Se doer muito, eu afundo o rosto no travesseiro e choro escondido. Me resolvo com as minhas dores. O meu filho não tem nada a ver com isso. Afinal de contas quem “escolheu” o pai e as circunstâncias da minha gravidez fui eu.
 
Gente, as crianças não somos nós. Nós somos os adultos responsáveis pelas crianças. Vamos brincar de levar a sério o bem estar de nossas crias? Nossos filhos são tesouros. Vamos zelar pela felicidade deles. Nosso egoísmo, orgulho ferido ou dor de cotovelo não podem JAMAIS respingar na vidinha deles. Eles são puros. As impurezas existentes são nossas, então, que apenas nós sejamos responsáveis por limpá-las.

Alienação Parental É CRIME! Abra o olho!

Por Cinthya Danielle do Blog "O Divã Dellas" ..

ANTIPATIA OU INIMIZADE ENTRE FILHOS E PAIS (Alienação Parental e os Efeitos da Lei 12.318/2010)

  • Josemar Santana

Está em vigor desde 26 de agosto deste ano a Lei 12.318/2010, que ficou conhecida entre os operadores do Direito (advogados, promotores e juízes), como Lei de Alienação Parental. 

De início, precisamos conhecer a origem do termo ALIENAÇÃO PARENTAL, para entendermos melhor o seu significado. O termo tem origem na língua inglesa: ALEINAÇÃO é do inglês ALIENATION (pronuncia-se ALIENÊICHAN) e significa criar antipatia ou inimizade. PARENTAL significa paterno, diz respeito aos pais (pai e mãe). ..