RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 86 registros para a palavra: Gervásio Lima

Artigo - Uma apresentação sem plateia, mas com muito o que mostrar para a vida

Início da tarde de domingo, três adolescentes dançam ao som de rapper e pop, de forma harmoniosa, cadenciada e com movimentos equilibrados; até aí tudo bem, já que a dança é uma das principais diversões do jovem. Mas quando isso acontece ao ar livre, tendo como palco os degraus de uma escadaria pública a história muda.

Lara Miranda, Natália Nascimento e Yasmin Jesus, esses são os nomes das três dançarinas que protagonizaram uma verdadeira demonstração artística ao se apresentarem, mesmo sem plateia, em uma das partes da escadaria da Rua Deocleciano da Rocha Passos, entre os bairros Conceição e Caixa D´água, em Jacobina, local escolhido como cenário para mais um ensaio que aconteceu no domingo, dia 8, quando se comemorou justamente o Dia Internacional da Mulher...

Artigo - É preciso ver para crer

São Tomé foi um dos 12 apóstolos de Cristo, o abusado que disse que só acreditaria na ressurreição de Jesus se pudesse ver e tocar as chagas da crucificação. A partir daí nasceu a expressão "ver para crer".

Assim como o apóstolo Tomé, que duvidou da ressurreição de Jesus e exigiu tocar suas chagas para que se convencesse, o mais precavido dos mortais também evita fazer juízo de valor para não incorrer no grave e perigoso erro de julgar algo que não conhece ou que não viu...

Artigo: Na política quem ganha nem sempre é o melhor

No dia 4 de outubro deste ano todos os municípios brasileiros estarão escolhendo seus prefeitos e vereadores. Serão 5.570 (cinco mil, quinhentos e setenta) vagas para o Executivo e quase 60 mil para o Legislativo.

Em 2018 havia mais de 147 milhões de eleitores aptos a votar. Na Bahia, especificamente, existem 417 municípios e o número de votantes em 2018, conforme informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) chegava a 10 milhões e 400 mil, sendo Salvador a cidade com o maior colégio eleitoral (1.827.436 eleitores), enquanto Feira de Santana (384.050) e Vitória da Conquista (221.849), aparecem em seguida...

Não deixe de fazer agora o que não sabe se vai ter a oportunidade de fazer depois

A estupidez, a insensatez e a arrogância destroem não apenas a capacidade intelectual e social dos impensantes e irracionais interlocutores, como também, e com efeito dominó, todos aqueles que seguem suas tortas e falhadas linhas construídas a partir das mais absurdas conclusões à respeito do que é e como se comporta o ser, humano.

Conceitos antecipados são tão cruéis e nocivos quanto os tardios. Julgar pela aparência física, profissional e de classe social é imoral. A satisfação precisa ser estendida para além do ego pessoal numa demonstração de que a alegria é um sentimento que depende de provocações externas, independente de cor, raça, clero e gênero. A felicidade vem de fora para dentro, e como outros ciclos e momentos da vida só é completa quando envolve outros atores e coadjuvantes...

Artigo: A alcateia travestida de rebanho

Os cargos eletivos são todas as funções ocupadas por cidadãos eleitos pelo voto do povo. No Brasil as eleições são realizadas de dois em dois anos, alternadas entre gerais (quando são eleitos presidente e vice-presidente da República, governadores e vice-governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais e distritais) e municipais (quando se elegem prefeitos, vice-prefeitos e vereadores).

Poder se candidatar a um cargo político eletivo é um entre vários direitos políticos garantidos ao cidadão brasileiro, mas para isto, o cidadão precisa cumprir algumas condições que estão previstas na Constituição. Para ser candidato a pessoa precisa, entre outros requisitos, ter nacionalidade brasileira ou ser naturalizado; ter domicílio eleitoral na circunscrição há pelo menos um ano antes do pleito, ser filiado a um partido político também há pelo menos um ano antes da eleição e possuir idade mínima exigida para cada cargo ao qual se deseja concorrer...

Artigo: O Sol nasce e se põe para todos

Na simbologia universal, mitológica e esotérica o Sol é a Luz e relaciona-se diretamente com a ampliação da consciência superior. A luz é o símbolo do conhecimento, a busca pela realização e a capacidade criadora.O Sol é um elemento presente em muitas crenças, rituais e costumes desde a antiguidade, representando a força vital e o poder cósmico; e, por isso está presente em muitos mitos da criação do mundo.

A estrela central do Sistema Solar talvez seja o principal e mais importante astro para a vida na terra, mas, corroborando com o primeiro parágrafo, ele pode ser visto e interpretado de diversas maneiras. Fonte inspiradora de versos, prosas e, inclusive de superstições, o Sol é também usado como 'sinônimos' para termos positivos e negativos do cotidiano. Como um alento de resignação ou justificativas de percalços, a luz e o calor emitidos por ele são usados por grande parte da população mundial...

Artigo - Fazer o bem sem olhar a quem

O sentimento de gratidão talvez seja um dos mais nobres da natureza humana. Aflorado geralmente em momentos de alegria e empatia, o reconhecimento é digno dos que buscam e pregam o bem, independente de momento e situação. Agradar é dar prazer e contentamento, muitas vezes momentâneo e individual, beneficiando mais o ego, em detrimento da bondade.

Fazer o bem sem olhar a quem e não esperar nada em troca é uma atitude dos fortes, dos que buscam a felicidade plena não apenas para si, mas para o coletivo, mesmo que para isso seja preciso enfrentar a maldade intrínseca dos que pregam a tirania e o desamor...

Artigo - Todo dia é dia novo

Os dias que antecedem a virada de um ano para outro servem como uma espécie de 'arranque', de provocações e regressos. Nem sempre partindo da vontade própria, mas quase sempre do que se é norteado, seja pelas enxurradas de mensagens recebidas nas redes sociais ou encontradas em publicidades muitas vezes apelativas nas mídias escritas, faladas e televisionadas.

Saber que fumar, não controlar o peso corporal, não praticar exercícios físicos e não se preocupar com uma alimentação saudável e equilibrada podem prejudicar a saúde, e mesmo assim são ações corriqueiras (entra ano, sai ano), isto todo mundo, ou quase todo mundo, já sabe. Fazer o bem sem olhar a quem, idem. Mas, para muita gente é preciso que se aproxime um novo ano (do calendário cristão) para a consciência doer, as ações acontecerem e as inúmeras promessas surgirem...

Jacobina: Rio do Ouro, um patrimônio que insiste em não ser moribundo

Cantado em versos e prosas, o rio que melhor caracteriza a história de Jacobina e seu codinome 'Cidade do Ouro' agoniza, apesar de insistir por existir. O lendário e importante Rio do Ouro, outrora responsável em fornecer energia elétrica e água para consumo para a população que teima em subestimá-lo, timidamente e ferido segue combalido, mas perene.

Local utilizado para passeios, piqueniques, banhos e até utilizado como 'lavanderia comunitária', o leito do Rio do Ouro foi fonte também de riqueza de garimpeiros que buscavam o metal precioso que empresta o seu nome. O sofrimento vem de longe, da época quando não se discutia sustentabilidade, preservação, condutas éticas, consciência ambiental e outros temas relacionados. Passaram-se os intendentes, os coronéis e inúmeros mandatos de prefeitos, e o Rio do Ouro sendo o mesmo, desprezado...

Opinião: Tecnologias do bem são utilizadas para o mal

É indiscutível a importância da tecnologia para a vida, em vários aspectos. Ela é uma necessidade absoluta que responde a diversos problemas da humanidade. Viver sem tecnologias é algo que a cada dia se duvide mais. Elas estão presentes nos lares, nas escolas, no trabalho, no centro médico, no lazer, na mais simples atividade corriqueira... Em quase tudo.

O dia a dia está cheio de tecnologias que facilitam uma série de processos, isso é fato. Infelizmente, o uso inadequado e irresponsável também é fato, principalmente quando se trata da área da comunicação, onde em menos de três décadas todo o mundo passou a ter acesso ao sistema global de redes de computadores interligados, o fenômeno da internet que além de ser uma forma altamente eficaz de comunicação, processamento de dados, transmissão de informação e pesquisa se constitui em um espaço global para a socialização...

Artigo - A política não tem maldade, o político sim

Não bastasse a prática de corrupção, da mentira e da enganação intrínsecas em muitos sujeitos, vítimas e potenciais vítimas de malfeitores estão sujeitas a uma série de outras atrocidades que influenciam diretamente em suas vidas, atingindo desde a social como a pessoal. A perversidade assusta e preocupa, além de ferir o corpo e a alma. O mal machuca e alcança não apenas um sofredor, mas um grande número de sofredores.

Todos que buscam uma sociedade mais humana e mais justa esperam daqueles que lhe representam, seja na religião, na educação, na política e outras áreas influenciadoras, a serenidade e a sapiência para se tornarem em verdadeiras referências benignas. Disseminar o ódio não é bom nem para o odioso...

Artigo - Manda quem pode e obedece quem tem juiz

Os diálogos que têm vindo a público envolvendo o então juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, e deste com seus pares no Ministério Público, são considerados por juristas e outros especialistas e estudiosos do assunto uma 'aberração judicial'; o maior escândalo do judiciário brasileiro.

As trocas de mensagens através do aplicativo Telegran, reveladas a partir das reportagens do The Intercept Brasil, uma premiada agência de notícias internacional, extrapolam o que é legal nas funções de cada um dos envolvidos. A 'vaza jato', como está sendo chamado o episódio, tem apresentado gravíssimos crimes ocorridos geralmente em nações sob regime ditatorial, totalitário e em estado de exceção...

Artigo - A verdade saindo do poço

Inúmeros episódios ocorridos no Brasil antes e após as últimas eleições estão deixando o povo brasileiro encucado. Uma ‘aura sombria’ ronda o país num momento de incertezas, impotências e de medo. O brio está cedendo espaço para o esmorecimento e o antes envaidecido agora anda cabisbaixo e desolado, quiçá envergonhado.

Conseguir lidar com as situações inevitáveis da vida é uma grande e importante virtude e demonstração de força, e a população brasileira com sua peculiar resiliência sabe muito bem o que é isto, por viver ainda uma cultura onde o sofrimento é enaltecido e valorizado. Talvez por ter cerca de 90 por cento de seus habitantes declarados cristãos, o Brasil se apega à fé para acreditar que ‘depois da tempestade vem a bonança’...

Opinião: Nem tudo na vida passa

Ao afirmar que tudo na vida passa se joga fora não somente a importância do passado, mas a experiência de viver o presente e o de contemplar e desejar o futuro. Na verdade o momento em si é passageiro e não seria este motivo que o faria tornar-se não necessário. Assim como as boas e más experiências, o aprendizado está interligado nas fases vencidas; sendo este o responsável para a definição da índole.

A viagem tem partida e chegada e não início e fim. As partidas e as chegadas são infinitas, enquanto o início e o fim são finitos. Ao partir em busca dos objetivos em comunhão com o que se espera de um verdadeiro vencedor as linhas de chegadas serão sempre motivos para se comemorar; já iniciar apenas para agradar a si próprio ou a um 'seleto grupo', o fim se dará como certo...

Artigo - As aparências enganam

Algumas pessoas ficam 'cegas' a julgar apenas pela aparência, pela maneira que se apresenta ou é apresentado um semelhante. A função que exerce, a condição financeira e até o sobrenome (descendência) do julgado não têm sido, e nunca serão, parâmetros para identificar um '171' (aquele que engana para conseguir benefícios próprios). O bandido nem sempre é reconhecido em um primeiro momento, pois muitas vezes as aparências enganam.

A honestidade de alguém não está relacionada a estereótipos do tipo 'padrão televisivo' e sim ao seu caráter. Assusta saber que a farsa nunca esteve tão presente e o pior, profissionalizada e em todos os setores da sociedade...

Opinião: O forró agora é pop, agora está tudo americanizado

Entra ano, sai ano, e a história se repete. A descaracterização do tradicional forró 'pé de serra' e das festividades juninas atinge o mais tradicional dos eventos do nordeste. Quase virando assunto para 'almanaque de farmácia'' o forrobodó de raiz tem perdido espaço para a mecanização e sons eletrônicos, se tornando cada vez mais em uma saudosa reminiscência e, o que é pior, com a complacência de figuras que se dizem defensores culturais.

Valorizar as tradições é uma maneira de manter vivo os costumes que identificam a história de um povo, é um importante e louvável reconhecimento ao patrimônio imaterial cultural de um lugar. 'Estelionato cultural', caso existisse, seria o crime cometido por aqueles que utilizam da fama de outras culturas para enganar seus seguidores. Forró sempre remeteu à sanfona, o zabumba e ao triângulo; aos ritmos e melodias musicais dos saudosos Jaques do Pandeiro, Luiz Gonzaga e Dominguinhos e dos ainda na ativa, Flávio José, Alcimar Monteiro, Jorge de Altinho, Adelmário Coelho, Santana Cantador, Targino Gondin e alguns outros que seguem a mesma linha do autêntico forró, gênero musical original...

Artigo - No Dia dos Namorados quem ganha presente é a sogra

O brasileiro costuma se vangloriar por o país não fazer parte de zonas de riscos de catástrofes naturais como furacões, erupções vulcânicas, terremotos e grandes nevadas. A população que chega a comemorara inexistências destes eventos tem vivido momentos de pânico tão quanto os moradores de locais atingidos pelos fenômenos. Na contramão de tudo que foi pregado, o Brasil atravessa um dos seus piores momentos desde o fim da ditadura militar (1964/1985).

Diversos episódios negativos têm balançado literalmente a nação canarinho, deixando seu povo atônito. Enquanto a economia não dá sinais de melhoras, o desemprego atingindo taxas estratosféricas, direitos constitucionais sendo menosprezados e até mesmo extinguidos, noticiários informam a todo o momento alguma trapalhada envolvendo os três poderes...

ESPAÇO DO LEITOR: Ajoelhar-se não resolve

Tudo que o povo brasileiro que viveu ou acompanhou a história do Brasil entre as décadas de 60 a 90 temia que acontecesse inacreditavelmente dá sinais de que pode vir acontecer. Na contramão do que era esperado para uma nação que outrora dava sinais de pujança e ascensão nos setores essenciais para o seu desenvolvimento, o país, que era conhecido no mundo como a 'terra do futebol e da alegria', por ter o maior número de títulos mundiais e por realizar a maior e mais diversificada festa popular do planeta, perde o seu status de protagonista, se tornando um antagonista.

Tomados por uma emoção instantânea, instigada irresponsavelmente por determinados grupos que deturpam a formação de opinião, muitos foram induzidos ao erro. Infelizmente a 'vaca foi para o brejo', e o que era emoção virou em sentimento de decepção, angústia, incerteza e medo...

Opinião: Violência desenfreada

"Pecuarista é raptado e após três dias é encontrado morto com requintes de crueldade. Acusados foram presos e com eles foram apreendidas duas espingardas e uma pistola". Este fatídico acontecimento chamou a atenção de autoridades policiais e da população baiana pelo modus operandi utilizado pelos criminosos, que agiram com frieza e crueldade. A vítima, um pai de família trabalhador, confiou ao seu vaqueiro – o principal suspeito de ter arquitetado e participado do crime – os serviços de sua propriedade.

A cada dia acontecem diversos casos de violência no Brasil. A banalização de atitudes ruins, que fazem mal e que até mesmo matam é preocupante. O brasileiro tem dado sinais claros de egoísmo, onde o que importa é apenas a sua defesa pessoal. Quem está em sua volta que se vire, que dê seus pulos...

Artigo - O problema é o 'sócio-histórico'

As manifestações populares sempre foram os principais 'termômetros' para avaliar as conjunturas. Geralmente, com raras exceções, as presenças organizadas de populações nas ruas, por exemplo, é uma das principais formas de apresentar o descontentamento ou a desaprovação a determinadas ações impostas a um coletivo.

O povo na rua é sinônimo de insatisfação, uma demonstração de que alguma coisa está (muito) errada. Subestimar o sentimento da 'massa' é tão perigoso quanto se vangloriar. Quando os que gozam de funções eletivas acreditam representar apenas os que lhe confiaram o voto, em detrimento do todo, as respostas são imediatas, independe se este comanda a união, um estado ou um município. 

Com força, uma população revoltada é capaz de enfrentar situações adversas. Se o motivo de determinado movimento for a traição política, o antônimo do que foi defendido ou a retirada de conquistas e direitos, a adesão e a revolta tendem a ser mais acaloradas.

O sujeito que confunde 'sou' por 'estou', talvez por desconhecer o significado desses dois verbos, inevitavelmente 'escorregará' em suas atividades. Como um aluno indisciplinado, que não segue as regras estabelecidas pela escola, o mau timoneiro tem o erro como ação corriqueira e acredita ser o 'dono da verdade', irrefutável. Assim como um ditador, o comportamento do fascista é uma 'mistura' de burro, com estúpido, ignorante, imbecil, inepto, palerma, pateta, cretino e tonto, ou seja, um verdadeiro IDIOTA, que possui dificuldade de aprendizado e de relação humana.

Conforme a teoria do professor e pesquisador Lev Vygotsky (1896 – 1934), da Bielorrússia, o desenvolvimento do indivíduo faz parte de um resultado de um processo sócio-histórico, ou seja, a evolução humana se dá por meio das relações sociais em que o indivíduo mantém no decorrer de sua vida; é a partir das interações sociais que esse indivíduo desenvolve suas funções psicológicas superiores. Traduzindo: me diga do que tu sempre gostou, praticou e andou que eu te direi quem és tu, sua nota de três reais.

Que os cidadãos se reúnam publicamente para expressar suas insatisfações e inquietações. Vale lembrar que para uma manifestação ter êxito, quanto maior o número de participantes mais visibilidade e resultado ela conseguirá...