RedeGN - Imprimir Matéria

ALUNOS DA UNIVASF RECOLHEM MATERIAIS PARA AJUDAR COMBATE AOS INCÊNDIOS NO PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DIAMANTINA

19 de Nov / 2015 às 20h27 | Variadas

Os alunos de Ciências Biológicas da UNIVASF juntamente com o CRAD/UNIVASF (Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas da Caatinga) sensibilizados com os profissionais que há vinte dias combatem os incêndios que atingem o Parque Nacional da Chapada Diamantina, na Bahia, considerados os mais graves desde 2008, quando quase metade da área foi atingida, resolveram criar uma campanha de apoio aos membros do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e outros organismos que trabalham incessantemente na tentativa de debelar os diversos sinistros.

Os alunos estão recolhendo doações de equipamentos que possam auxiliar no combate aos incêndios, como:  Água potável, Alimentos que não precise cozinhar, Pomada (hipoglos, bepantol), Lanternas, Pilhas (AA e AAA), Botas resistentes, Luvas resistentes, Máscaras, Macacões de obra, Ferramentas de corte (foices, facão, serra...), Cordas, tala de imobilização, colar cervical, antisséptico, spray para "pancadas", gaze, atadura, esparadrapo.

O material recolhido será encaminhado para o Parque Nacional da Chapada Diamantina na próxima terça-feira, dia 24. O posto de arrecadação em Juazeiro é o Blog do Geraldo José que está localizado à rua Floriano Peixoto, número 73, telefone: 3613-3479.

“As perdas são muito grandes. Talvez não se possa superar [danos]”. Assim o secretário de Meio Ambiente da Bahia (Sema), Eugênio Spengler, define os prejuízos que os incêndios espalhados pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina provocam em todo o estado. Identificado pelas equipes de combate no dia 12 de novembro, o fogo já consumiu mais de 15 dos 152 mil hectares de vegetação entre os municípios de Andaraí, Ibicoara, Itaetê, Lençóis, Mucugê e Palmeiras, cerca de 10% do total.  A destruição de orquídeas, a morte de animais e impacto sobre as nascentes são apontados como as principais consequências do incêndio.

Localizada no Centro da Bahia, a Chapada Diamantina é apontada pela Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) como coração do estado. Embora vital, Spengler detalha que a região está ferida. O Rio Paraguaçu, por exemplo, responsável por parte do abastecimento das regiões metropolitanas de Salvador e Feira de Santana, sofre com os impactos do fogo.

(Foto: Divulgação/ICMBio)

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.