RedeGN - Imprimir Matéria

Artigo – COMO O MUNDO DÁ VOLTAS...!

07 de Dec / 2014 às 23h00 | Espaço do Leitor

No cotidiano das pessoas é frequente a ocorrência de fatos e acontecimentos que, às vezes, parecem estar se repetindo, com grande similaridade de conteúdo entre eles, e que induz o cidadão a um tipo singular de manifestação, do tipo: “Eu já vi esse filme...!”. Certamente o leitor já passou por essa experiência. Também há outro episódio bem tradicional, com ênfase na mudança de posições pessoais ou políticas assumidas por indivíduos ou grupos em certo momento de um tempo passado, ou até mesmo recente, e que dá uma reviravolta comportamental de 360 graus e levam os mais incrédulos da honestidade dessas posições, a esse profundo desabafo crítico: “Como o mundo dá voltas...!”.

Somente para um leve exercício de memória, é bom que se recorde alguns episódios marcantes da história política brasileira recente e atual. a) PAULO MALUF? Ex-Prefeito e ex-Governador de São Paulo, candidato derrotado nas Eleições Indiretas (1985) para Presidente da República (esclarecendo para os mais jovens: aquelas eleições realizadas nos tempos da Ditadura Militar, pelo Congresso Nacional); atual Deputado Federal; b) SARNEY? Velha raposa da política do Maranhão onde foi Governador, Deputado Federal e Senador; com grande ascendência na política nacional, foi eleito Vice-Presidente na Indireta (1985) que elegeu Tancredo Neves Presidente; com o falecimento do Presidente eleito Tancredo, um dia antes da posse, Sarney assumiu a Presidência da República para o período 1985/1990 (a presidência lhe caiu de bandeja, por uma fatalidade!); c) COLLOR DE MELLO? Ex-Governador por Alagoas, eleito Presidente da República em Eleições Diretas, em 1989, em acirrada disputa com o Lula; voltou à política e, atualmente, é Senador por Alagoas.

Mas, o leitor naturalmente perspicaz e curioso, está indagando por que o registro dos nomes e fatos históricos acima, se não apresentam qualquer evidência muito especial que justifique a ativação de uma memória que, talvez, esteja ligeiramente esquecida? Assim, vejamos na mesma ordem, qual a curiosidade marcante de cada caso: a) PAULO MALUF, conquanto tenha sido em São Paulo uma liderança incontestável, tem a imagem pessoal das mais controvertidas, responsável por vários processos em Tribunais brasileiros e internacionais, inclusive com mandado de prisão expedido pela Promotoria de Nova Iorque, e impedido de qualquer viagem ao Exterior ou será preso pela INTERPOL-Polícia Internacional; em 1989, apoiou Fernando Collor contra o Lula, nas Eleições Diretas para a Presidência da República; combatido e execrado pelo PT ao longo de décadas, na última eleição presidencial apoiou o PT e hoje anda aos abraços e afagos com o Lula! b) SARNEY, responsável por inflação das mais altas que o país já vivenciou; amor tão exacerbado pelo poder, ao ponto de mudar, irregularmente, o domicílio eleitoral para o Estado do Amapá, onde se elegeu Senador da República, a fim de dar espaço no Maranhão aos filhos (ex-senadora, Governadora, a filha, e Deputado Federal, o filho) e os amigos mais chegados (Edison Lobão pai e filho, Senadores). É o que se tem de mais retrógrado atualmente na política brasileira. c) COLLOR DE MELLO – Eleito como o mais jovem Presidente da República (1989) com 40 anos de idade, para o período 1990/94, e o primeiro por eleição direta após 20 anos de ditadura; em face de um conjunto de fatores negativos políticos, éticos e morais, ao lado da situação caótica da economia e a repulsa popular pela corrupção que envolveu o seu governo, juntaram-se os partidos de oposição na direção do impeachment do Presidente, fato que veio a ser consumado na sessão do Congresso Nacional de 29/09/1992, não só com a cassação do mandato, mas com os direitos políticos suspensos por oito anos. Foi empossado em seguida o Vice-Presidente Itamar Franco. Não obstante a gravidade da situação que levou o seu governo a essa catástrofe, há quem diga que, comparada à CORRUPÇÃO atual, o seu caso seria hoje julgado pela Instância de Pequenas Causas! Outros casos mais poderiam ser lembrados.

O resumo da ópera? Em 2014, terceira eleição presidencial sob o comando do PT, partido que representava o símbolo da identidade de princípios ideológicos e do compromisso de fidelidade aos ideais que inspiraram a luta da classe trabalhadora, hoje está mancomunado, exatamente, com essas e outras lideranças que menos exemplos podem oferecer para a valorização da sua história!  As coligações partidárias são legítimas e um instrumento político válido; condenável é assimilarem as práticas inescrupulosas que tanto deprimem a nação!

Talvez seja cansativo relembrar os fatos históricos acima, contudo, são indispensáveis ao entendimento do leitor. E como os ditados populares enriquecem e simplificam a compreensão dos fatos, sou induzido a usá-los como ilustração e forma de oferecer ao leitor uma síntese do perfil político atual. As citações aqui contidas, certamente foram repetidas pelo leitor em algum instante reflexivo da vida:

“Esse filme eu já vi...!”;  “Como o mundo dá voltas...!”,  e para concluir, uma verdade bíblica incontestável e que bem define as tendências do quadro político, hoje:                    

“NÃO VOS ENGANEIS. AS MÁS COMPANHIAS CORROMPEM OS BONS COSTUMES”. (Apóstolo Paulo, em I Coríntios 15-33)

Autor:   Adm.  Agenor Santos,  Pós-Graduação Lato Sensu em Controle, Monitoramento e Avaliação no Setor Público –  de Salvador-BA.

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.