RedeGN - Imprimir Matéria

Espaço do Leitor: Uma tragédia anunciada.

08 de Jan / 2013 às 12h30 | Espaço do Leitor

Estamos passando em nossa região por um longo período de estiagem que está levando os nossos agricultores/pecuarista da zona de sequeiro a uma situação de calamidade.

Esta situação já era prevista e debatida em âmbito nacional desde janeiro de 2012, ou seja, durante praticamente um ano não foi feito nada para prevenir esta tragédia que se avizinha, foram pouquíssimas ou quase nenhuma as providências tomadas pela Secretaria de Agricultura de nosso município para enfrentar este flagelo da seca. E aqui não cabe o velho e surrado discurso que não fez nada, pois esta dependendo do Governo Estadual ou Federal, estamos falando aqui em ação, buscar soluções, mobilização se antecipar ao fato. Eu fico a me perguntar, porque não foram tomadas decisões mais enérgicas para amenizar tal situação, foi por falta de visão administrativa ou simplesmente descaso com a população?

Fico triste e ao mesmo tempo indignado quando vejo o empenho e a mobilização da Prefeitura e dos Srs. vereadores para viabilizarem o carnaval em nossa cidade, o empenho da Prefeitura em declarar estado de calamidade financeira (só lembrando: três meses antes em plena campanha o Sr. Prefeito falou aos quatro cantos que a prefeitura estava com as contas sanadas e agora era a hora de investir na cidade), isto para mim é estelionato eleitoral. E estes senhores durante todo este período nada fizeram, nem projetos nem ações para amenizar esta situação.

Na Bahia já existem centenas de cidades que declararam estado de emergência, prefeituras fazendo contenção de gastos, cancelando festas tradicionais, prefeitos e vereadores reduzindo seus salários, de certa maneira estão tomando algumas atitudes para amenizar e até mesmo sobrar recursos para aplicar no combate à seca. Aqui, aqui é outra historia até parece que estamos em outro planeta, é aumento de salários, é gasto com festas e outras coisas mais.

Gostaria de encerar com um verso de Patativa do Assaré, mesmo com toda esta dificuldade e abandono por parte daqueles que deviam prezar pelo nosso bem estar, o povo Juazeirense é igual e tão forte como o juazeiro e com certeza vai superar estas dificuldades e voltar a ser frondoso, é uma pena que a figura do vaqueiro não esteja sendo representada a altura neste momento.

Um é ver, outro é contar

Quem for reparar de perto

Aquele mundo deserto,

Dá vontade de chorar.

Ali só fica a teimar

O juazeiro copado,

O resto é tudo pelado

Da chapada ao tabuleiro

Onde o famoso vaqueiro

Cantava tangendo o gado.

 

Julio Almeida

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.