RedeGN - Imprimir Matéria

Corpo de Bruno Pereira é velado no Recife com homenagem de indígenas

24 de Jun / 2022 às 13h00 | Variadas

O corpo do indigenista Bruno Pereira está sendo velado nesta sexta-feira (24/6) no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife. A cerimônia é aberta ao público. A cremação está marcada para as 15h. O pernambucano foi morto com o jornalista Dom Phillips no Vale do Javari, no Amazonas. Ambos desapareceram em 5 de junho durante uma viagem de duas horas. 

A cerimônia teve início às 9h30 e contou com a presença de indígenas da etnia Xucuru, que entoaram cantos em homenagem ao indigenista.

O caixão de Bruno foi exposto com uma bandeira de Pernambuco e do Sport Clube do Recife. O cemitério disponibilizou uma página na internet para que as pessoas possam prestar homenagens a Bruno. A página já conta com mais de 300 mensagens. 

O corpo de Bruno chegou no Recife na noite desta quinta-feira (23/6) depois de passar por perícia em Brasília. A investigação apontou que ele foi morto com três tiros, dois no tórax e um na cabeça, com munição típica de caça. 

Bruno Pereira tinha 41 anos, era indigenista e servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai) por 11 anos. Ele estava licenciado do cargo para trabalhar em um projeto no Vale do Javari. O pernambucano era considerado um dos maiores especialistas na área. De acordo com a Univaja, devido ao trabalho dele, Bruno já tinha recebido diversas ameaças de invasores da região.

Os restos mortais de Dom Phillips já estão no Rio de Janeiro. O corpo dele deve ser cremado no domingo (26/6), em Niterói. 

Folha Pernambuco

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.