RedeGN - Imprimir Matéria

Em Senhor do Bonfim, Adolfo Menezes ironiza proposta de Bolsonaro para CPI da Petrobras

19 de Jun / 2022 às 22h00 | Variadas

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Adolfo Menezes, que criticou o reajuste nos preços dos combustíveis, voltou a tocar no assunto, neste sábado (18.06), em Senhor do Bonfim, ironizando a proposta de CPI da Petrobras, ao participar da Plenária da Educação, no Campo Clube, no Bairro Marisa, ao lado de Jerônimo Rodrigues e Geraldo Junior, pré-candidatos ao governo da Bahia. 

"Seria cômico, não fosse trágico, o presidente Bolsonaro querer CPI da Petrobras, por causa dos preços absurdos dos combustíveis. Ele que já trocou quatro vezes o presidente da estatal em três anos e seis meses de (des)governo. A pergunta que não quer calar é: quem manda na Petrobras, que tem controle estatal? A resposta é óbvia: é o presidente", crítica Menezes. 

"Seis dos onze conselheiros da Petrobras, que foram indicados por Bolsonaro, votaram pelo aumento da gasolina e do óleo diesel. Então, a primeira tarefa de uma CPI será mostrar qual a responsabilidade do presidente da República em tudo isso, mas também na destruição de nosso país, no desmonte da nossa indústria, em 33 milhões de brasileiros passando fome, aumento da inflação, carestia no preço dos alimentos", enumera o chefe do Legislativo estadual. 

O presidente da ALBA diz que Bolsonaro sempre procura um culpado pela incompetência de seu governo. "Primeiro eram os governadores, por causa do ICMS - cuja alíquota não mudou nos últimos cinco anos. Agora, a responsabilidade é do presidente e da maioria dos conselheiros da Petrobras. O problema é mesmo a incompetência da atual gestão do país", finaliza o deputado. 

PGP

O presidente da ALBA passa também o domingo em Senhor do Bonfim, onde participa de mais uma plenária territorial do Plano de Governo Participativo na Rua dos Operários da Leste nº215, no Bairro Gamboa.

Ascom Presidência ALBA

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.