RedeGN - Imprimir Matéria

Artigo - Barrados no baile

30 de Mar / 2022 às 23h00 | Espaço do Leitor

A expressão "Barrados no Baile",  é uma analogia que pode exemplificar uma situação em que se deseja ir a um lugar, ou participar de algum evento, mas, em razão de alguma coisa é impedido  de fazê-lo.

Isso se aplica ao fato do torcedor Juazeirense ficar impedido de assistir a partida entre Juazeirense x Palmeiras, valendo pela terceira fase da Copa do Brasil.

O regulamento da competição estabelece que o estádio deve ter uma capacidade para 10 mil torcedores sentados, enquanto que o nosso estádio Adauto Moraes que no dia 2 de abril completará 82 anos de fundado, comporta apenas 5 mil torcedores.

Em outros tempos, quando as exigências e os protocolos de segurança e comodidade eram mais flexíveis, o Adautão já recebeu público superior a 10 mil torcedores, a exemplo de Flamengo x Bahia na década de 80 e da final do Campeonato Baiano de 2001, na partida entre Juazeiro x Bahia.

É paradoxal, ver no jogo de bola a evolução da Juazeirense e, ao mesmo tempo, viver com a situação vexatória do estádio Adauto Moraes, toda vez que um grande clube nos visita.

A Juazeirense em dois anos conseguiu bater adversários grandiosos do futebol brasileiro, jogando em nosso campo: Sport, Cruzeiro, Santos, Bahia e Vasco, mostrando a importância do Adauto Moraes, no entanto, as estruturas precárias, sobretudo, gramado e iluminação, ao contrário dos resultados da Juazeirense, nos mostra para todo o Brasil de forma negativa.

Pois é, não veremos em nosso estádio o Bicampeão da Libertadores, que seria um grande presente para os torcedores, ver o Palmeiras jogar.

Será que vai para Alagoinhas?

Tony Martins - Pedagogo e Radialista.

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.