RedeGN - Imprimir Matéria

Rio São Francisco: moradores e pescadores do bairro Angary começam a retornar para as casas depois da "cheia"

18 de Mar / 2022 às 12h00 | Variadas

Durante este período de cheia das águas do Rio São Francisco, A REDEGN acompanha a saga dos moradores e pescadores do bairro Angari.

Nesta sexta-feira (18), em visita a comunidade, foi constato o retorno de alguns moradores que haviam deixando as moradias. A energia elétrica será religada para que os demais moradores possam retornar a suas casas.

Em janeiro o quadro de Situação de Cheias na bacia Hidrográfica do Rio São Francisco foi formalizado e os moradores do bairro Angari começaram a saír do local, visto que o setor com construções de casas é reconhecida como zona de atenção prioritária de risco. A situação começa a ser considerada agora "normal".

A reportagem da REDEGN desta vez constata que as águas baixaram. Nestes três meses, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Juazeiro, a força-tarefa da Prefeitura de Juazeiro deu assistência às famílias de áreas atingidas devido à elevação do nível do Rio São Francisco.

De acordo com o titular da Sedes, Teobaldo Pedro, as mudanças das famílias para escolas da rede municipal iniciaram em janeiro, dia 15, conforme reportagens realizadas.

MARÇO: Na última quarta-feira o reservatório da Barragem de Sobradinho atingiu 90,14% de sua capacidade em volume útil. A expectativa é que essa semana ultrapasse 93%. Isto será possível devido a vazão de afluência (água que chega) que será de 6.460 metros cúbicos por segundo.

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) anunciou a redução da vazão afluente(água que sai) a partir das Usinas Hidrelétricas de Sobradinho (BA) e Xingó (SE) que agora é de 3.000 m³/s.

No último sábado, a reportagem da REDEGN fotografou vários pontos, onde é possível contemplar os primeiros sinais na orla de Juazeiro que o Rio São Francisco, com a vazão menor, a água começa a baixar. A pista de corrida da orla que parte estava "coberta"  pelas águas agora já é percebida novamente.

 No ponto do M, o ponto das barquinhas também voltou ao "normal" e o desembarque dos passageiros das barquinhas já é feito no local.

 A redução se dá por conta da diminuição na incidência de chuvas no alto São Francisco e da necessidade de manutenção dos níveis dos reservatórios na Bacia do São Francisco, diante da aproximação do final do período úmido, entre final de abril e início de maio.

Outros pontos com Ilha do Fogo e Ilha do Rodeadouro a água também baixaram.

As vazões deverão permanecer no patamar indicado até nova avaliação. A Chesf ressalta que a situação hidrológica da Bacia do São Francisco (e demais bacias onde possui Usinas e reservatórios) é permanentemente monitorada, podendo haver alterações das vazões ora praticadas, conforme sejam as necessidades de geração de energia apresentadas pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) ou a alteração dos volumes pluviométricos nas regiões.

A Companhia chama atenção, ainda, para a importância da não ocupação das áreas no leito do Velho Chico, haja vista eventual aumento no nível do Rio, durante o período úmido.

Redação redeGN Texto e Fotos Ney Vital

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.