RedeGN - Imprimir Matéria

Janela partidária, já aberta, pode movimentar quadro de filiações de candidatos por Juazeiro. Confira:

15 de Mar / 2022 às 22h48 | Política

Iniciada em 3 de março e aberta até o início de abril, a janela partidária, que permite a troca de partidos sem riscos de penalidades, deve provocar um troca-troca de partidos nos próximos 15 dias.

Cada provável candidato a deputado está de olho no cenário nacional e nos riscos ou vantagens que cada legenda representa para sua eleição, em termos de viabilidade, fundo partidário e outras variáveis que facilitam ou complicam a matemática eleitoral.

O ex-prefeito Joseph Bandeira, filiado ao Solidariedade, que a nível estadual definiu apoio a ACM Neto, deve deixar a legenda, mais ainda não confirmou para onde vai. Até poucos dias o ex-prefeito de Juazeiro anunciava aos quatro cantos o apoio a Wagner, mas este desistiu de ser candidato ao governo do estado, cedendo a vaga para outro petista, gerônimo, que tem estatura política bem menor.

Depois do troca-troca de candidato na base governista, Joseph ainda não se manifestou sobre sua posição, mas o indicativo é que siga com o apoio ao candidato petista, já que seu interlocutor no processo de reaproximação com o PT, é Rui Costa, o governador.

O pré-candidato já externou em algumas entrevistas anteriores que não se filiaria ao PT, mas há 15 dias para fechar a janela partidária, a dúvida continua.

Na mesma base governista outro dilema acompanha o deputado estadual e candidato à reeleição, Roberto Carlos. Filiado ao PDT, partido que está de braços dados com ACM Neto para o governo da Bahia, Roberto optou por seguir na base de Rui Costa e não restou outra alternativa que não seja deixar o PDT, onde está a cerca de duas décadas.

O Avante, o Partido Verde, o PSB e o próprio PT poderia ser o destino de Roberto Carlos, mas não há definição, por enquanto só ensaios.

Jordávio Ramos, estreante, por enquanto segue filiado ao PSDB, mesmo partido de Suzana Ramos, sua mãe e prefeita de Juazeiro, mas com a calculadora na mão faz contas e cálculos eleitorais para escolher uma legenda que lhe permita disputar com chances, é o que se comenta.

Definidos estão Isaac Carvalho (PT) e Zó (PCdoB), os dois candidatos disputando vaga para a Assembleia Legislativa da Bahia. Com a possibilidade quase concreta de uma aliança nacional, numa federação entre PT e PCdoB, além do PV, os dois pré-candidatos vão disputar vaga para a ALBA mesmo bloco partidário, conforme determina a regra das federações.

O Coronel Anselmo Brandão, pré-candidato a deputado federal, já se adiantou e garantiu vaga no Avante, partido do Pastor Isidoro, que tamém concorre à reeleição para a Câmara Federal. Anselmo, ex-comandante Geral da Polícia Militar da Bahia, assim como outro políticos baianos, veem no avante, que tem no Pastor Sargento isidoro um possível puxador de votos, a grande chance de pavimentar o caminho para Brasília.

Targino Gondim, filiado ao Republicanos, é outro que estuda o terreno e avalia cenários antes de bater o martelo sobre candidatura e por qual partido.

Tudo por enquanto segue apenas na especulação, já que o cenário nacional e estadual também está confuso, indefinido.

Da redação redeGN

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.