RedeGN - Imprimir Matéria

81% dos brasileiros apoiam a exigência do 'passaporte de vacina' em locais fechados, diz Datafolha

17 de Jan / 2022 às 20h00 | Coronavírus

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (17) aponta que 81% dos entrevistados são a favor da exigência do “passaporte de vacina” para que seja liberada a entrada em locais fechados como bares, restaurantes e órgãos públicos, entre outros. Ainda segundo o Datafolha, 18% são contra a exigência do comprovante e 1% não soube responder.

O chamado "passaporte" é o certificado que comprova que o cidadão já concluiu o esquema de vacinação contra a Covid-19. No Brasil, o documento é emitido pelo ConecteSUS ou por sites e aplicativos estaduais. O presidente Jair Bolsonaro, que alega não ter se vacinado, é contra a exigência do passaporte, já adotado por diversos estados do país.

Os percentuais são resultado de pesquisa feita por telefone em 12 e 13 de janeiro com 2.023 pessoas de 16 anos ou mais em todos os estados do Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Quem mais apoia o passaporte?
De acordo com a pesquisa, os mais favoráveis ao passaporte são mulheres (87%), pessoas com mais de 60 anos (87%), com ensino fundamental completo (86%) e aqueles que ganham até dois salários mínimos por mês (85%).

Já os grupos que concentram os maiores percentuais dos contrários à medida são os homens (24%), pessoas de 25 a 34 anos (22%) e aqueles que têm renda mensal de mais de 10 salários mínimos (28%).

Em um recorte geográfico, os entrevistados da região Sudeste são os mais favoráveis à medida (84%), enquanto o Sul tem a menor taxa de aceitação (75%). Profissionalmente, as pessoas identificadas como donas de casa são as mais favoráveis (90%), enquanto as empresárias carregam a menor taxa (60%).

Medo de infecção

Os entrevistados também foram questionados se têm medo de serem infectados pelo vírus da Covid-19. Nesse caso, 39% afirmou ter muito medo de se infectar, enquanto 37% diz ter pouco medo. Além desses, 18% dos entrevistados disseram não ter medo da infecção (os demais perguntados deram outras respostas).

De todos os participantes, aqueles que se declaram como donas de casa são o grupo com maior medo de infecção (50%), seguido de perto pelos aposentados (47%). Por outro lado, os empresários são aqueles com maior percentual de pessoas que afirmam não ter medo de se infectar (28%).

Outra percepção apontada pelo Datafolha é que houve um aumento na quantidade de pessoas preocupadas com o atual momento da pandemia da Covid-19: somente 4% dos entrevistados acreditam que a pandemia esteja totalmente controlada.

Além disso, a quantidade de pessoas que sentem a situação da pandemia como "fora de controle" subiu de 20 para 45%. Para outros 48% ela está controlada em partes.

Utilização de máscaras

A mesma pesquisa aponta que 81% afirmam sempre utilizar máscaras quando saem de casa, 13% de vez em quando, 3% raramente e 2% disseram que não utilizam.

A população que utiliza o acessório de proteção com mais frequência é a da região Sudeste (85%). Por outro lado, o Norte e Centro-Oeste (pesquisa agrupou as duas regiões) é a região com a menor utilização (75%).

G1 / foto: reprodução

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.