RedeGN - Imprimir Matéria

Família denuncia ato de negligência na Maternidade de Juazeiro

02 de Jan / 2022 às 13h25 | Variadas

Familiares de uma parturiente procuraram a redação da Rede GN para denunciar o que consideram mais um ato de negligência na Maternidade de Juazeiro (BA).

Segundo Paula Micaelen Ribeiro Ferreira que é irmã e acompanhou a paciente Érika Maiane Ribeiro Barros na Maternidade Municipal “a gente passou a semana toda com ela indo pra maternidade, ela já sentindo as dores do parto e eles dando buscopan na veia e mandando ela prá casa até passas as dores” revelou.

“Na sexta-feira (31), um dia antes do parto, ela esteve no médico e a criança estava bem, porém no sábado (01) Érica apresentou um quadro febril e a gente retornou com ela na maternidade e passou o dia inteiro nos corredores sentindo dores e nada de atendimento” continuou Paula Micaelen.

“Somente no finalzinho da tarde um médico fez o parto e a bebê já estava morta” explicou Paula. Nos diversos áudios encaminhados à nossa redação, familiares, inclusive, o pai revelam que a criança estava toda cortada sinais da dificuldade no parto tendo em vista que a paciente não teve indução para fazer a criança nascer.

A principal reclamação da família de Érica Maiane que reside no bairro Dom José Rodrigues é evitar que esse trauma se repita com outras pessoas.

Recentemente a diretora da Maternidade de Juazeiro, Érica Góes declarou que “o objetivo da Maternidade de Juazeiro é atender as mulheres que chegam aqui sempre da melhor forma, sem distinção, fazendo com que todas se sintam acolhidas e seguras. Temos o intuito de estar sempre melhorando o nosso atendimento”, mas não foi essa a sensação da família.

O caso foi encaminhado para a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juazeiro que enviou a seguinte nota:

Secretaria de Saúde de Juazeiro nega negligência em atendimento à gestante que deu entrada na Maternidade com bebê morto na barriga

A Secretaria de Saúde de Juazeiro esclarece que não houve qualquer negligência por parte da equipe da Maternidade Municipal à paciente Érika Maiane Ribeiro Barros. Ela chegou à unidade no fim da tarde do dia 31 de dezembro já sem movimentos fetais, segundo ela, há mais de 24 horas e foi constatado que o bebê já não apresentava os sinais vitais. O protocolo médico, neste caso, orienta que o feto nasça de forma normal. Porém, como não houve evolução, foi realizado procedimento de cesárea no início da tarde deste sábado (1º). 

A Maternidade de Juazeiro ressalta que foram prestados todos os atendimentos necessários à paciente. Destaca, também, que o feto apresentava descamação pelo corpo, evento natural e esperado após o óbito dentro do útero, que nada tem ligação com traumas ou maus-tratos. A Maternidade de Juazeiro se solidariza com a família, lembrando que todo o atendimento seguiu os protocolos médicos. A unidade se mantém à disposição da família para maiores esclarecimentos.

Da redação

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.