RedeGN - Imprimir Matéria

Zé Manoel recebe homenagem na Câmara de Petrolina pela indicação do álbum 'Do Meu Coração Nu' ao Grammy Latino

27 de Oct / 2021 às 07h30 | Variadas

Eleito um dos melhores trabalhos da atual música popular brasileira, o álbum 'Do Meu Coração Nu", do petrolinense Zé Manoel, que está na corrida pelo Grammy Latino 2021, na categoria de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, recebeu na manhã desta terça-feira (26), uma homenagem na Câmara Municipal de Petrolina. Aprovada por unanimidade, a Moção de Aplausos foi apresentada pelo Vereador Gilmar Santos (PT).

Ao tratar de assuntos como racismo e violência o álbum, composto por 11 músicas autorais, escancara as emoções que atravessam o povo negro, e conta com participação de diversos artistas, como o Grupo Bongar, Luedji Luna, Bell Puã e Beatriz Nascimento.

"Do Meu Coração Nu", terceiro álbum de Zé Manoel, traz melodias, harmonias, letras e arranjos, de muita qualidade, remetendo a clássicos de  Tom Jobim, Johnny Alf, Francis Hime, Edu Lobo, Egberto Gismonti, Ivan Lins, que usam o piano como base para compor, e dialogam com outros instrumentos.

De forma intensa, mas também sutil, o disco tem identidade e contempla as lutas das populações negras, indígenas e mulheres, além de tocar em questões identitárias e regionais. Na opinião da crítica, é um trabalho "engajado, libertador e tem personalidade". Confira a biografia do homenageado.

Trajetória de Zé Manoel

José Manoel de Carvalho Neto, ou simplesmente Zé Manoel, filho de Petrolina, é compositor, cantor e pianista pernambucano. Em 2015, se destacou, ao lançar o elogiado disco Canção e Silêncio, com produção musical de Carlos Eduardo Miranda. É atualmente considerado uma das grandes revelações da música pernambucana e brasileira.

Aos 13 anos, foi recebido com surpresa pelos jurados do concurso para escolha do hino do centenário de Petrolina, presidido pelo também petrolinense Geraldo Azevedo, oportunidade em que chegou até a final, ao lado de veteranos como a compositora e cantora Mônica Sangalo e Maurício Dias Mauriçola, ambos de Juazeiro-BA.

Por volta dos 18 anos, iniciou suas atividades profissionais fazendo piano bar. Em seguida integrou o grupo Chaleira Blues (com a cantora Camila Yasmine e o violonista e compositor Eugênio Cruz), onde iniciou as suas pesquisas sobre a música brasileira, especialmente a que foi produzida na década de 70. Integrou como acordeonista, a banda Matingueiros, excursionando por cidades como Salvador – BA [Espaço Cultural Xisto Bahia], Picos – PI [Festival Internacional da Pedra Furada], Lençóis – BA [Festival de Inverno de Lençóis], São Gabriel – BA [Cantoria de São Gabriel], dentre outras cidades. Acompanhou diversos artistas locais, além de participar da banda dos musicais Pocket Shows do diretor de teatro Cássio Lucena.

Em 2004, participou pela primeira vez do Festival Edésio Santos da Canção em Juazeiro-BA, onde foi premiado com a segunda colocação. Nesse mesmo festival, voltou a ser premiado com o terceiro lugar por 2 vezes e primeiro lugar por 4 vezes, nos anos posteriores. Passou por outros festivais nas cidades de Ponta Grossa-PR (1º lugar em 2010), Angra dos Reis-RJ, Ilha Solteira, Ribeirão Preto e Tatuí no estado de São Paulo, Petrolina-PE (1º lugar em 2006 e 2007 e 2º lugar em 2008).

Em 2005, escreveu e acompanhou ao piano a música tema do evento 'Um Mundo para a Criança e o Adolescente do Semiárido', da UNICEF, cantado por um coral de 120 crianças num evento realizado na Ilha do Fogo, entre os estados de Pernambuco e Bahia, com a presença de representantes políticos, de comunidades e o embaixador da UNICEF no Brasil Renato Aragão, a fim de discutir projetos voltados para as crianças e adolescentes que vivem em situações de risco no semiárido brasileiro.

Em 2007, Zé Manoel mudou-se para a capital pernambucana, onde deu início aos seus estudos acadêmicos na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no curso de Música – Licenciatura. Em 2009, gravou o seu primeiro EP, onde toca e canta composições próprias, com produção musical do também petrolinense radicado em Recife, Albérico Júnior. Este trabalho lhe rendeu participações no projeto Observa e Toca Malakoff, no Festival RecBeat, ambos em Recife, no Festival de Inverno de Garanhuns-PE e no festival Pré-Amp, que tem como premiação a gravação de um CD. A partir daí várias portas se abriram para a carreira do pianista fora do estado e do Brasil. Duas de suas canções compuseram a trilha sonora da série televisiva Louco por Elas, do diretor pernambucano João Falcão e lançaram o Livro – CD infantil 'O Inventor do Sorriso', com o escritor Pernambucano Walther Moreira Santos, pela editora Melhoramentos.

Mandato Coletivo

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.