RedeGN - Imprimir Matéria

Jornada das águas: “Tem gente que quer que os ladrões voltem a comandar o país”, diz presidente Jair Bolsonaro

21 de Oct / 2021 às 12h00 | Política

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aproveitou a passagem pelo município de São José de Piranhas, nesta quinta-feira (21), para atacar a atuação do Consórcio Nordeste, união de governadores da região, a respeito da compra de vacinas para o combate à Covid-19.

O paraibano questionou o número de imunizantes comprados pelos governadores e destacou a atuação do Governo Federal na aquisição dos produtos.

“Um consórcio disse que ia trazer vacinas e quantas trouxeram? Nenhuma. Todas foram trazidas pelo governo Bolsonaro e elas só têm um dono que é o povo brasileiro”, afirmou em discurso durante solenidade de entrega o Eixo Norte da transposição do rio São Francisco.

Queiroga ainda falou sobre o conservadorismo do governo e afirmou que este se reflete nas ações de combate à corrupção e no compromisso com os investimentos. “Estamos cumprindo a missão que o presidente nos deu”.

Durante o discurso em solenidade de entrega do entrega o Eixo Norte da transposição do rio São Francisco, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar as gestões do PT.

“Tem gente que quer que os ladrões voltem a comandar o país”, disse o presidente.

Ao comentar a atuação da CPI da Pandemia, Bolsonaro questionou a idoneidade do relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL). “Vagabundo é elogio pra Renan”, destacou, alegando que o senador enfrenta diversos processos em Brasília.

Se dirigindo ao público que prestigiava o evento, o presidente criticou a atuação da imprensa e voltou a defender o uso da cloroquina como tratamento para a Covid-19. “Por que essa perseguição? Eu tomei e no dia seguinte estava bom”, disse, ao se referir ao medicamento ainda sem eficácia comprovada.

Mais Paraiba Foto Reprodução

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.