RedeGN - Imprimir Matéria

Artigo – Pai: Esse amigo eterno!

08 de Aug / 2021 às 11h30 | Espaço do Leitor

Todos nós comemoraremos, nesse domingo, 08 de agosto, mais um dia tradicionalmente dedicado ao “Dia dos Pais”. Como acontece com tantas outras “Datas” do Calendário Universal, essa é uma das marcantes por reconhecer o valor incomensurável de um homenageado notável, enquanto outras são criadas com sentido estritamente comercial.

Importante neste momento festivo, não é pensar no Dia ou data específica, mas o que representa o ilustre homenageado e o seu papel na estrutura social. Ao lado solidário das Mães, essas consagradas rainhas do lar, repositórios de amor, dedicação e doação permanente aos filhos, encontra-se essa figura ímpar dos Pais, baluartes na luta diária pela sustentação da casa e os responsáveis pela moldagem dos valores morais nos seus filhos. Festejá-los num dia em especial, certamente permitirá a lembrança de que eles estão presentes nos 365 dias do ano, e não exclusivamente em um deles, apenas!

Como parceiro da Mãe, cabe ao Pai a relevante tarefa na construção do arcabouço da educação doméstica, e responsabilidade direta pela formatação dos preceitos morais e regras sociais, itens de particular significado no conjunto das qualidades que devem caracterizar a personalidade do adulto do futuro.  

O despertar de uma criança para a vida, sempre será marcado por descobertas surpreendentes a cada hora e a cada dia do seu crescimento, e o mérito desse aprendizado tem maior valor pela assimilação dos fundamentos básicos dos laços de família. O amor e o carinho tão comuns no aconchego do lar, consolida a estrutura física e moral desse novo ser, que progressivamente se alimenta do exemplo que emana da família.

A presença inspiradora do Pai, gera uma profunda influência no amadurecimento da sensibilidade humana de cada filho. Como líder natural do grupo familiar, tem no exemplo de vida uma valiosa e representativa importância em todas as conquistas e etapas do desenvolvimento dos filhos.

Em razão da Pandemia que assola o mundo, a dor e a saudade trouxeram sofrimento a muitos lares que perderam o seu líder. Um filho expressou assim o seu sentimento: “Se eu soubesse que aquele seria o último dia que te vi, teria te abraçado com tanta força! Se soubesse que seria a última vez que ouviria a tua voz, te pediria para ouvir uma última mensagem: eu te amo”! Alguém mais afirmou: “Um pai presente é como a luz que guia o peregrino durante sua longa jornada, ajuda a escolher o melhor caminho, oferece o conforto e calor, dá abrigo e segurança nos momentos mais difíceis da vida”. 

São frases como essas, que demonstram carinho e respeito por aquele que o Lar tem como o seu Porto Seguro. E como outros os chamam, os pais são as verdadeiras cumeeiras de suas casas, onde, na hora mais difícil, são eles a grande esperança para a solução dos mais variados problemas que a família venha a enfrentar.  

Que o carinho de Pais e Filhos nesse dia possa se constituir numa simbiose de amor e cumplicidade, unidos em defesa da vida, da felicidade e da valorização da família. Que as deficiências e fraquezas inerentes ao ser humano, sejam superadas pela humildade e confiança de que cada novo dia poderá significar a construção de um novo tempo, e a abertura de novos horizontes e novas conquistas. Não aquelas conquistas que no dia seguinte o vento leva, mas, as conquistas duradouras que o tempo jamais apaga, principalmente, quando esse pai é alguém exemplar.  Um FELIZ DIA DOS PAIS!

Autor: Adm. Agenor Santos, Pós-Graduação Lato Sensu em Controle, Monitoramento e Avaliação no Setor Público – Salvador-BA.

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.