RedeGN - Imprimir Matéria

OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DO PARANÁ, COM APOIO DA DELEGACIA DE PETROLINA, PRENDE MEMBROS DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

01 de Jul / 2021 às 18h45 | Policial

Na manhã desta quinta-feira (01/07/2021), a PCPR, por meio da Delegacia de Polícia de Andirá, sob a coordenação do Delegado titular da unidade, Matheus Prado Amuy Rodrigues, deflagrou a operação “Eclipse”, que visava o desmantelamento de uma organização criminosa sediada na cidade de Andirá, que mediante falsidades documentais e ideológicas, fraudava contratos de financiamento perante uma instituição financeira, simulando a existência de contratantes interessados na aquisição de placas de energia solar fabricadas por uma empresa catarinense.

Após a aprovação dos financiamentos, a instituição financeira efetuava o pagamento do valor contratado à empresa fabricante das placas fotovoltaicas, a qual, por sua vez, enviava as placas à sede da empresa investigada para que esta realizasse o serviço de instalação junto ao endereço dos clientes.  

Em posse dos referidos bens, a empresa investigada se apropriava dos produtos e os revendia para terceiros, acarretando prejuízos ao banco, já que os contratos de financiamentos não eram honrados. Em seguida, a organização criminosa emitia notas fiscais de prestação de serviço falsas, simulando a prestação do serviço de instalação nos endereços dos supostos clientes, recebendo os pagamentos por serviços que não efetuaram.

No total, foram cumpridos 09 mandados de busca e apreensão e 04 mandados de prisão preventiva no Estado do Paraná, nas cidades de Andirá, Londrina e Alto Piquiri, além de 02 mandados de busca e 01 de prisão no Estado do Pernambuco, com o apoio da Polícia Civil de Pernambuco, mais precisamente da 214ª Delegacia de Petrolina/PE, sob a coordenação do Delegado de Polícia Gregório Lucas Ribeiro Santos, também prestou apoio, efetuando a captura de um dos líderes da organização criminosa que se encontrava na cidade e cumprindo os mandados de busca e apreensão respectivos.

Inicialmente, Estima-se que o grupo criminoso tenha auferido vantagens ilícitas na ordem R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais). A organização criminosa ainda está sendo investigada por ter lesado o patrimônio de pessoas em todo o Brasil, praticando golpes por meio da venda de placas de energia solar.

Ascom PC-PE Foto: PC do Paraná

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.