RedeGN - Imprimir Matéria

Petrolina sedia Projeto de Xadrez e Ciclismo para Deficientes Visuais

21 de Mar / 2011 às 15h10 | Política

 

Petrolina é a primeira cidade brasileira, depois de Brasília-DF, a receber o Projeto Xadrez e Ciclismo para Deficientes Visuais, que movimentou o Sesi com uma série de provas durante todo dia e noite deste sábado (19) e domingo (20).

O projeto, que está difundindo as técnicas especiais e a socialização do xadrez e o ciclismo para mais de 20 deficientes visuais de Petrolina e cidades circunvizinhas, começou apresentando as noções básicas, lenda, origem e movimentação das peças, com a meta inicial de trazer para o município, num futuro muito próximo, uma etapa do Brasileiro de Xadrez. Pelo menos esta é a intenção do coordenador do Projeto, Fernando Rodrigues, que trouxe de Brasília para o evento, 07 deficientes visuais, 02 instrutores e 01 condutor de ciclismo. Segundo Fernando Rodrigues as expectativas são as melhores possíveis tendo em vista o potencial e o interesse dos deficientes no crescimento das modalidades na região, principalmente pelo envolvimento da Associação dos Deficientes Visuais de Petrolina. “Nosso Projeto começou trabalhando somente com ciclismo, em 2004. No ano de 2008, ampliamos a área de atuação para o xadrez e a partir daí, não paramos mais de crescer em talentos e em multiplicação de novos interessados”.

Para o presidente da Associação dos Deficientes Visuais de Petrolina, Antonio Malan, a oportunidade tem sido muito proveitosa. “Aqueles que preferiram o xadrez estão muito satisfeitos, pois estão desenvolvendo várias habilidades, entre elas, concentração, raciocínio lógico e a melhora da autoestima. Já os colegas do ciclismo estão adorando a atividade, principalmente pela oportunidade da realização de um exercício saudável e prazeroso”.

O projeto Xadrez e Ciclismo para Deficientes Visuais vem chamando atenção entre os visitantes do Sesi pelas características e adaptações realizadas em cada uma das modalidades. O tabuleiro do xadrez apresenta as casas escuras com um relevo mais acentuado que as claras. As peças pretas tem uma parte de metal para diferenciar das brancas. Já a bicicleta do ciclismo é o dobro do tamanho da utilizada pelos atletas convencionais. Com uma estrutura própria para dois ciclistas (um atleta condutor à frente e um atleta deficiente visual), a modalidade desperta curiosidade pelo ineditismo e o desempenho surpreendente dos deficientes.

Clas Comunicação

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.