RedeGN - Imprimir Matéria

ESPAÇO DO LEITOR: UM PODER PERVERSO E VERGONHOSO...

06 de Jan / 2020 às 15h00 | Espaço do Leitor

É domingo, primeiro do ano, e eu aqui lembrando meus tempos quando tinha um tempinho e, como digo, juntava umas e outras palavras e o blog gentilmente publicava em atenção ao seu modesto leitor assíduo como gosto e faço questão de dizer onde quer que eu vá...

De repente, lendo algumas postagens de uma rede social da qual faço parte, deparo-me com essa foto acima, e as seguintes palavras: “Escravizados na colheita do café, Rio de Janeiro em 1882.” Fiquei olhando bem a imagem, lendo e relendo a frase descrita, e lá também deixei meu comentário: Só VERGONHA. Poder SACANA!

Mas, não foi só o meu comentário que foi duro, verdadeiro e contundente. Até o momento, enquanto escrevo esse texto, já se vão centenas de curtidas e comentários, e daí escolhi o que disseram alguns, entre tantos, para compartilhar com vocês a indignação geral:

“Sempre me chama a atenção o olhar dessas pessoas. A escravidão foi algo corriqueiro na história da humanidade, infelizmente. Nós fomos o último país a abolir o absurdo, as consequências estão aí.”

“Nada mudou de lá pra cá.”

“Período podre de nossa história. Vergonha!”

Nesses dias, quando ainda vivemos da euforia e da alegria pela passagem de Ano Novo, faço-me a seguinte pergunta: Será que os escravizados sabiam ao menos quais eram os dias de um ano, ou apenas sabiam o que era dia e noite, porque o dia era claro e a noite escura...? Suas vestes, suas ferramentas de trabalho, a gente fica olhando e analisando como era aquela forma de viver sem direito a NADA, a não ser um prato de comida, ou sei lá se ao menos isso existia...

E minha mente vai divagando por esse triste cenário, querendo entender como era o asseio, as viagens nos porões dos navios, a saúde daquele povo... Existia saúde ou era vida ou morte? Falar nisso, como era o nascer e o morrer daquelas pessoas...

Imagino as exigências sem leis que amparassem aquelas vidas. Se hoje o trabalhador der bobeira é sugado e minado, posso ver como era o tratamento daquele poder perverso sobre aquele povo dominado e escravizado de forma totalmente dominante, onde os seus senhores, além de tudo detinham o poder sobre as suas vidas para dar ou vender ao seu bel prazer... Quanta vergonha, humanidade!

Quanta desonra é ainda hoje ouvir alguns relatos de alguns trabalhadores dentre eles algumas mulheres, comentando tratamentos indignos que ainda existem em certos empregos de mão de obra em massa, onde a necessidade pelo pão de cada dia oprime e deixa em silencio alguns escravizados, apesar das leis vigentes, e dos órgãos e entidades responsáveis pela defesa das condições humanas da maioria dos trabalhadores...

Se fizermos uma leitura da imagem ilustrativa, vamos realmente convir de que o olhar de tristeza e incerteza daquelas pessoas era algo doloroso para o Ser Humano. Sem nada na vida além da roupa do corpo, porque muitas vezes nem o próprio corpo lhes pertencia, e mesmo assim viviam, mesmo assim davam o máximo de si, mesmo assim colhiam não só café, mas exauriam as suas forças em tudo que o patrão queria ou mandava...

Foi sob esse olhar que não resisti e tomei o teclado para digitar essas palavras plenas de verdade, não a minha verdade, mas de um assunto passado, que a todos nos enche de VERGONHA pela tamanha PERVERSIDADE dos seus atrozes atores...

DICA DE VIDA: “Se eu ajudar apenas uma pessoa a ter esperança, não terei vivido em vão.” (M. L. King). Feliz 2020!

Acord@dinho – Apaixonado por Juazeiro e leitor assíduo do Blog.

© Copyright RedeGN. 2009 - 2020. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.