RedeGN - Imprimir Matéria

"Tráfico drogas, tortura e uso de crueldade marcam morte dos dois irmãos, de 13 e 10 anos em Petrolina", revela delegado

05 de Apr / 2019 às 11h00 | Policial

O assassinato dos irmãos menores de idade,  Gustavo Vitor Souza dos Santos, de 13 anos, e Manoel Carlos Souza dos Santos, de 10, segundo as investigações de Polícia foi motivada "para que o tráfico mostrasse poder e por isto eliminaram as crianças." As crianças assassinadas foram acusadas de "roubar" maconha e cerca de R$ 2.000,00 em cocaína e este teria sido o motivo dos crimes com requinte de crueldade".

“O crime foi praticado por dois adolescentes e nós temos a participação de outros investigados. Com relação à morte do Gustavo, ele foi levado pelos dois adolescentes por meio de um veículo Gol, que foi apreendido. O menor foi agredido fisicamente e um dos adolescentes efetuou quatro disparos na cabeça do Gustavo. Imediatamente, eles retornaram ao bairro Cacheado, um permaneceu no bairro e o outro foi em direção a Emanoel e o levou no veículo para o N-9, onde efetuou dois disparos na cabeça.

A elucidação do caso foi divulgado durante entrevista coletiva, realizada na sala de reuniões da Diretoria Integrada do Interior 2, na manhã desta sexta-feira (5), em Petrolina.  Os delegados da Polícia Civil de Pernambuco Isabella Cabral, Magno Neves, Gabriel Sapucaia e Jairo Marinho mostraram detelhes da ação dos criminosos.

Segundo eles, os menores foram mortos no mesmo dia 29 na sexta-feira. Os acusados pelos tiros dados nas vítimas são outros dois menores que já foram levados para a FUNASE/PE - Fundação de Atendimento Socioeducativo e ficam agora na guarda da Justiça da Criança e Adolescentes, Ministério Público de Petrolina. A polícia apresentou a foto do ex-presidiário Francieldo  da Costa Brito, maior de idade, como um dos envolvidos no crime. Francieldo agora é considerado foragido.

De acordo com a polícia o motivo do crime "foi a acusação dos dois menores terem roubado uma certa quantia de maconha e cocaína e por isto foram mortos com requintes de crueldade". Os menores confessaram o crime e revelaram "que jogaram a arma um revolver 38 dentro das águas do rio São Francisco". Um outro suspeito de participar do crime é Francieldo; ex-presidiário e estava na condição de semiaberto e usava uma tornozeleira. "Ele é um individuo de alta periculosidade e nós vamos prendê-lo. A investigação é que o Francieldo seja o dono das drogas", disse o delegado Magno.

A mãe das vitimas, a trabalhadora rural Francineide dos Santos Souza concedeu entrevista a este Blog Geraldo José, emociada pediu justiça. "Eu conheço os dois menores acusados pelo crime e o Francieldo conheço só de vista", disse Francineide. Os vereadores da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara de Petrolina participaram da entrevista.

Gustavo Vitor Souza dos Santos, de 13 anos, e Manoel Carlos Souza dos Santos, de 10, brincavam com amigos no bairro Cacheado quando sumiram.  Segundo parentes, os dois irmãos saíram no fim da manhã da sexta-feira (29), por volta das 11h e ficaram pela vizinhança brincando com outras crianças. A última vez que eles foram vistos juntos e com vida foi por volta das 14h, no mesmo dia.

O corpo do mais velho foi localizado nas imediações do Pátio de evento Ana das Carrancas, na Zona Oeste de Petrolina, na sexta-feira (29). O mais novo acabou sendo localizado na última segunda-feira (1º) no N 9 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, na zona rural.

As crianças foram assassinadas com tiros na cabeça, o que característica de crime de execução. O garoto de 13 anos seria usuário de drogas e os irmãos viviam em condições de vulnerabilidade social. O tio das vítimas, Wanderson Luiz dos Santos critica a falta de apoio no sentido de garantir os direitos da família. Ele participou de uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Petrolina na quinta (4).

Redação Blog Fotos: Ney Vital

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.