RedeGN - Imprimir Matéria

Falta de sinalização náutica no Rio São Francisco, em Juazeiro/Petrolina, é prenúncio de tragédia

17 de Dec / 2018 às 10h01 | Política

Navegar pelas águas do Rio São Francisco já não é, nos últimos anos, uma tarefa muito fácil, inclusive para os habilitados pela Marinha do Brasil, tamanha é a ausência das imprescindíveis boias sinalizadoras que aos poucos foram sumindo da visão dos condutores de embarcações.

Com a baixa vazão do Rio São Francisco e o “sumiço das boias”, navegar entre Juazeiro/Petrolina/Rodeadouro transformou-se num verdadeiro exercício de sorte, já que boa parte da sinalização orientava os navegantes simplesmente desapareceu, aumentando os riscos de acidentes.

Na área do Rodeadouro, onde o fluxo de embarcações, incluindo os barcos de transporte de passageiros, as lanchas e as motos náuticas são vistas com mais intensidade nos finais de semana, é comum ver navegadores reclamando da falta de atenção para esta questão e dos prejuízos que se sucedem, com danificação de rabetas, hélices e avarias perigosas em cascos. “Se persistir esse descaso não tardará um acidente com maior gravidade naquela área”, alertou um proprietário de moto náutica à equipe do Blog.

Navegar nos dias de hoje é uma tarefa para poucos e um risco muito alto para quem acha que conhece o rio e acelera um pouco mais”, disse outro navegador, cobrando providências urgentes para esta questão. A baixa vazão e o assoreamento aumentam ainda mais os riscos de acidentes.

Na área do Rodeadouro a grande maioria das bóias sinalizadoras desapareceu, sobrando aqui e ali um balde plástico, precário, colocado por voluntários, segundo informaram ao Blog, que só aparecem na visão dos condutores quando já estão muito próximos da área de risco.

Após uma denúncia, realizada em julho deste ano, a AHSFRA – Administração Hidroviária do São Francisco, ligada ao DNIT, chegou a se manifestar sobre o assunto, compartilhando “a necessidade de urgência na regularização da sinalização náutica em todo trecho navegável da hidrovia”, mas passados aproximadamente seis meses, nenhuma providência foi tomada e a situação piora a cada dia, deixando anunciada a clara possibilidade de uma tragédia nas águas rasas do nosso rio. 

Pelo que o Blog Geraldo José apurou neste final de semana, as bóias necessárias não chegaram e algumas das que restavam sumiram. O que esperam?

Da redação Blog Geraldo José

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.