RedeGN - Sest Senat encerra comemorações do Outubro Rosa em Petrolina

Sest Senat encerra comemorações do Outubro Rosa em Petrolina

Uma vasta e concorrida programação, com palestras, panfletagem em semáforos no centro da cidade, apresentações culturais, exposição fotográfica e até uma manifestação espontânea de solidariedade com um grupo de homens raspando a cabeça, encerrou nesta quinta-feira (30), no Sest Senat de Petrolina o projeto Outubro Rosa.

O projeto, que movimentou o mês de outubro, mundialmente conhecido como o mês da luta contra o câncer de mama, teve como tema “A prevenção está em suas mãos” e envolveu todo o corpo de colaboradores da unidade, além de professores, alunos e o público em geral.  No dia da culminância do projeto, as atividades começaram logo nas primeiras horas da manhã, com os alunos dos programas Pronatec e Jovem Aprendiz apresentando danças e números musicais destacando mensagens de conscientização sobre o diagnóstico e prevenção da doença. Depois, a emoção tomou conta de todos com a palestra /depoimento de Ana Paula Moreira, que relatou sua experiência ao superar o câncer.

No período da tarde, o grande público que compareceu ao Sest Senat também pôde conferir as palestras de Lincon Rocha (Fundação Pio XII e Fundação Ivete Sangalo), e da representante da Apami, Lidiane Brito. A enfermeira Izabel Cristina do Ceonco/Apami encerrou o ciclo de palestras sensibilizando e conscientizando sobre as possibilidades de intervir previamente diante dos sintomas. Durante todo o dia, outra atração que chamou muita atenção do público foi uma exposição assinada pelo fotógrafo Geovani Cavalcanti. Uma mostra com expressivas imagens expõe o dia a dia de quatro modelos que vivenciam ou vivenciaram esta experiência.

Segundo avaliou o diretor do Sest Senat Petrolina, Marcílio Cavalcanti o projeto Outubro Rosa, que surgiu em 1990 com a Primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA), atingiu plenamente seus objetivos. “Toda a unidade se envolveu espontaneamente em cada uma das atividades. Seja produzindo cartazes, decorando as instalações ou raspando a cabeça em solidariedade a quem está em tratamento, o sentimento  cor de rosa estava em toda parte. O câncer de mama é uma doença grave, mas que pode ser curada. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será a sua cura”, concluiu Marcílio Cavalcanti.

CLAS Comunicação & Marketing