RedeGN - Capitão Tadeu não é beneficiado com recálculo de votos e caso vai para Alba

Capitão Tadeu não é beneficiado com recálculo de votos e caso vai para Alba

Sem os votos de Wank, Capitão Tadeu pode perder mandato.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) comunicou, nesta quarta-feira (16), à Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que invalida os votos obtidos por Wank Medrado (PSL), e que foram direcionados ao deputado Antônio Tadeu Nascimento, conhecido como Capitão Tadeu (PSB), que integrava a mesma coligação nas eleições de 2010. A presidência pediu a recontagem de votos à Coordenadoria de Eleições, que confirmou que ele não seria eleito com os votos anulados. A cassação vai ser decidida pela Mesa Diretora da Alba. Se for julgado procedente, quem assume o cargo é o primeiro suplente, Carlos Brasileiro (PT). O TRE tomou conhecimento oficial da decisão da ministra Luciana Lóssio no dia 10 de julho, na última quinta-feira. A defesa do parlamentar tem até o dia 4 de agosto para entrar com recurso e enviar o caso para ser julgado pelo plenário do TSE.

Saiba mais

Em contato na segunda-feira (14), o deputado considerou que a decisão de invalidar os votos é uma "imoralidade". Segundo ele, uma procuração falsa foi usada pelo advogado de Wank durante o processo, o que teria sido constatado em 2011 pela Polícia Federal, conforme conta, e anularia a ação iniciada pelo político do PSL e beneficiaria ele. "O inquérito foi enviado ao TSE. Mas a ministra ignorou esse inquérito que considerou a falsidade do documento e considerou válido, dando seguimento à ação. Ela toma a decisão isoladamente. Não levou ao plenário e já envia o processo para o TRE cumprir a decisão. Mas a Constituição diz que tem que passar pela Mesa Diretora [da Alba]. Estamos de recesso e só vamos voltar em agosto", relatou.

Entenda o caso

Na época da eleição, o TRE já havia invalidado os votos do candidato do PSL que colaboraram para a eleição do Capitão Tadeu. O motivo foi a ausência de quitação eleitoral de Wank Medrado, devido a desaprovação das contas da campanha dele do pleito de 2008. Ainda em 2010, Capitão Tadeu e a Coligação Frente 2 de Julho entraram com pedido de medida liminar contra o ato do TRE e, após julgamento do TSE, ficou decidido que os votos de Wank seriam contabilizados temporariamente ao Capitão Tadeu, mantendo o deputado no cargo durante os quatro anos. Esse acórdão foi impugnado com a interposição de recurso especial do TSE, divulgado no Diário Oficial da União do dia 25 de junho, que determina que os votos de Wank não serão válidos e que Tadeu deve entregar o cargo.

Com informações do G1 Bahia