RedeGN - AUDIÊNCIA PÚBLICA COLOCA GOVERNO DE PERNAMBUCO E PREFEITURA DE PETROLINA NA BRIGA PELO COMANDO DO SISTEMA DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO

AUDIÊNCIA PÚBLICA COLOCA GOVERNO DE PERNAMBUCO E PREFEITURA DE PETROLINA NA BRIGA PELO COMANDO DO SISTEMA DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO

 

“A prefeitura tem todo o direito de querer ter de volta os serviços de água e esgoto de Petrolina, mas para isso terá que pagar tudo o que a Compesa já investiu no município, cerca de R5$ 180 milhões, e ainda brigar na justiça para quebrar o contrato. O Governo do Estado não pensa em entregar nada para a Prefeitura e mesmo enfrentando uma batalha jurídica, estará realizando as obras previstas dentro do plano de trabalho já em andamento firmado em 2007 quando a cidade era governada pelo deputado Odacy Amorim”, disse o secretário de Recursos Hídricos do Estado, João Bosco Almeida, num recado duro do governador Eduardo Campos (PSB) para o prefeito de Petrolina, Julio Lóssio (PMDB).

Lossio mandou para a Câmara de Vereadores da cidade projeto de lei que pede de volta os serviços de água e agosto hoje comandados pela Compesa criando a Empresa Municipal Águas de Petrolina e colocando 45% do sistema para serem comandados pela iniciativa privada. A declaração de João Bosco aconteceu durante a audiência pública realizada na Câmara de Petrolina solicitada pela Comissão de Negócios Municipais da Assembleia Legislativa que é presidida pelo deputado estadual Odacy Amorim (PSB/PE).

O objetivo do debate foi esclarecer o que a Compesa vem fazendo dentro do plano de metas e por que a iniciativa do prefeito em querer quebrar o acordo firmado há três anos mandando um projeto que visa o rompimento do acordo. Alegando ter sido avisada 24 horas antes da realização da audiência a administração municipal chegou com o debate já em curso e o secretário municipal de Infraestrutura e Urbanismo, Geraldo Júnior, representou o prefeito Júlio Lóssio. O prefeito que está de férias mandou uma carta que foi lida pelo porta voz da Prefeitura. O texto critica a Compesa, a atitude do governo estadual com Petrolina em não cumprir as metas previstas para melhorar o abastecimento d´água na cidade e que por isso o levou a Prefeitura a pedir de volta o comando o sistema.

“A Compesa ostenta o titulo de pior empresa pública no Estado em matéria de atendimento e municipalizar o serviço de água e esgoto é um sonho antigo dos petrolinenses”, diz a carta que questiona porque o governo é contra terceirização no sistema quando celebra PPP o mesmo acordo para melhorar o abastecimento da Região Metropolitana do Recife; para terceirizar o comando dos hospitais do Estado, presídios. Lossio diz ainda na carta que achou um retrocesso o acordo firmado pelo ex-prefeito Odacy com a Compesa.

Odacy repondeu ao prefeito também de maneira dura. “Acho que o prefeito desrespeita a Assembleia Legislativa e a Câmara de Vereadores quando em vez de está aqui ou autorizar seu vice-prefeito a participar deste debate, manda um bilhete. Ele critica, mas deixou de executar obras já licitadas fazendo com que o município perdesse os recursos para ampliar os serviços de água e esgoto que não realizei porque estava concluindo meu mandato, mas deixei o dinheiro e o convenio celebrados. Se o senhor quiser responder a mim prefeito, pode mandar um bilhete que aceito”, ironizou o deputado. O debate trouxe também a Petrolina o presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchôa (PDT) que presidiu a audiência; o procurador geral do Estado, Thiago Arraes; Marcelo Canuto, secretário executivo da Casa Civil; o secreetário de Agricultura, Ranilson Ramos, além da presença dos deputados Edson Veira (PSDB), titular da Comissão de Negócios, além de Isabel Cristina (PT) e Adalberto Cavalcante (PHS).

Cinara Marques Ascom Dep. Odacy Amorim PSB/PE