RedeGN - PRESIDENTE DO SINSERP QUER PRESTAÇÃO DE CONTAS DA GESTÃO ANTERIOR

PRESIDENTE DO SINSERP QUER PRESTAÇÃO DE CONTAS DA GESTÃO ANTERIOR

O presidente do Sinserp, eleito no dia 18 de julho deste ano, Cícero Sales, diz que impetrará uma ação na Justiça para que a administração anterior preste as contas da gestão. Dois ofícios foram enviados com o pedido oficial da transição de cargos, mas até o momento a atual gestão não recebeu resposta. O extrato bancário confirma que a gestão anterior, cuja presidente era Marasélia Cesar, deixou em caixa cerca de R$ 30 mil, mas as notas a pagar superam este valor.

Notas fiscais apontam que o Sinserp acumulou dívidas no SAAE, referentes ao consumo mensal do Clube de Campo de R$ 355 e de contas atrasadas que totalizam R$ 7.131,69. Além de despesas para pagar o Plano Odontológico no valor de R$ 7.074,74, vencidos no último dia 20, dois dias depois da posse da atual gestão. No início do mês de maio, disse Sales, o Sinserp recebeu R$ 135.825,08, referente ao Imposto Sindical Anual, que invés de ser utilizado para sanar pendências foram investidos para a construção de uma brinquedoteca, um parque infantil e a ampliação da cobertura na área de festa do Clube. “Também não foi apresentada a prestação de contas dos serviços”, reclama o atual presidente.

A contribuição mensal sindical soma um montante de R$ 9 mil, que deveria ser utilizado para o pagamento do Plano Odontológico dos servidores (R$ 7.074,74), mas segundo Sales, foi necessário pedir a prorrogação do débito porque não tinha dinheiro para saldar a dívida. “Com os R$ 30 mil que eles [administração anterior] deixaram em caixa, pagamos a fatura do Plano de Saúde no valor de R$ 28.522,65, sobrando apenas R$ 2.179,51 faltando quase R$ 5 mil para pagar o Plano Odontológico”, explica, acrescentando que o dinheiro em caixa foi utilizado para pagar as despesas prioritárias para que não reflita negativamente nos servidores. “Os R$ 30 mil estão sendo utilizados para a quitação de despesas e consignados”, refere-se ao consignado mensal que tem com o Plano de Saúde [HGU Saúde], no valor total de R$ 30.700, valor descontado no contracheque e repassado ao Plano pelo sindicato.

Esta semana será impetrada uma ação na Justiça pedindo a prestação de contas e será feita uma auditoria também nas contas da gestão anterior, já que nas pastas do sindicato foram encontradas várias notas em duplicidade, e ainda notas irregulares, como a de uma funerária de Carapicuíba-SP no valor de R$ 1.800. (Por Mônia Ramos-Assessoria Sinserp)