RedeGN - PRÉDIO DA SOCIEDADE 28 DE SETEMBRO FOI LEILOADO

PRÉDIO DA SOCIEDADE 28 DE SETEMBRO FOI LEILOADO

O leilão no dia 15 de junho do prédio-sede da Sociedade 28 de Setembro, pela Justiça do Trabalho na Cidade de Senhor do Bonfim, deixou o cidadão Roberto Palma indignado. Ele protestou na tarde desta quinta-feira (07), durante o programa Revista da Cidade com o radialista Valtermário Pimentel.

“Parece que esta cidade não tem autoridade. É inconcebível que uma entidade centenária cuja história se identifica com o histórico de Juazeiro, seja desfeita desta forma, adquirida por um empresário por apenas R$ 140 mil reais”, lamentou Roberto.

No dia primeiro de maio deste ano, o ex-diretor da “setembrina”, Gilmar Vitor Guimarães já previa o sepultamento do referido clube social em email ao blog. “Fundada em 28 de setembro de 1897 pela respeitável família juazeirense Evangelista de Mello, fruto, principalmente do idealismo dos membros daquela constelação familiar, a “28” marcou época, sobretudo, nos tempos de regentes seus, da melhor qualidade, como Zeca Viana, Angelim, Laranjeiras e Armindo Oliveira que conduziram sua Banda para apresentações musicais verdadeiramente inesquecíveis. Hoje se viva estivesse estaria completando no próximo 28 de setembro 114 anos, mas a mesma está morta e será sepultada no próximo dia 15 de junho, em leilão que será realizado pela Justiça do Trabalho na Cidade de Senhor do Bonfim - Ba, lance inicial R$ 250.0000 (duzentos e cinquenta mil reais)”.

No dia 06 de maio, o prefeito Isaac Carvalho decretou a Sociedade 28 de Setembro como de utilidade pública. Relembre: “Diante da iminente perda de um patrimônio histórico do município, a sede da Sociedade 28 de Setembro ameaçada de ir a leilão para pagamento de causa trabalhista, o Prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho, tornou de utilidade pública o imóvel onde funcionou um dos clubes mais importantes da história da cidade, localizado à Rua Coronel Evangelista, número 9, no centro da cidade. O decreto de nº 386/2011, publicado no Diário Oficial do Município na última sexta-feira (06), visa “preservar e conservar o monumento histórico com a finalidade de desenvolver atividades administrativas de natureza artística e cultural”.

O leilão foi realizado e o prédio adquirido pelo empresário Eduardo Gama, entretanto, o Procurador Geral do Município Carlos Luciano confirmou ao blog que o mesmo deve ser anulado pelo fato de que a prefeitura de Juazeiro já tinha manifestado interesse na desapropriação do imóvel, antes mesmo da realização do leilão. Cópia da certidão emitida pela Vara da Fazenda Pública da Comarca de Juazeiro, um dia antes do leilão ratifica o processo de desapropriação. “A Justiça do Trabalho foi comunicada do nosso interesse e do processo de desapropriação do imóvel. Ela não teve tempo hábil para suspender o leilão, porém, o adquirente do imóvel tem conhecimento e até já nos procurou para discutir a situação do prédio”, explicou o Procurador.

Ainda segundo Carlos Luciano, o prefeito Isaac Carvalho não abre mão do prédio dada a sua importância para Juazeiro.