RedeGN - Aulas 100% presenciais começam na próxima segunda-feira na rede municipal de Petrolina

Aulas 100% presenciais começam na próxima segunda-feira na rede municipal de Petrolina

A partir da próxima segunda-feira (7) mais de 8 mil estudantes, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II e 3° e 4° fase da Educação de Jovens e Adultos (EJA), voltam à rotina normal depois das férias.

Para esse retorno, e em virtude da pandemia da Covid-19 e dos casos de síndromes respiratórias, a Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, inicia o ano letivo de 2022 em apenas 31 Unidades Educacionais. Já a partir do dia 14 de fevereiro, retomam as salas de aula os estudantes do 1º ao 5º ano (Fundamental I) e toda a Educação Infantil.

Este ano, o retorno será 100% presencial e obrigatório, todos os protocolos de biossegurança serão seguidos conforme orientação das autoridades sanitárias. Serão mantidos o uso de álcool em gel e máscaras, aferição de temperatura, higienização constante dos ambientes e mãos, monitoramento, identificação e afastamento imediato em casos suspeitos ou confirmados da doença. A recomendação da Secretaria de Educação é que os pais e responsáveis dos estudantes, que tenham a partir de 5 anos, apresentem a carteira de vacinação do aluno nas unidades de ensino, inclusive com o comprovante da vacina contra a Covid-19. No entanto, quem não tiver o documento, não será impedido de frequentar a escola.

"Temos uma nota técnica do Conselho Nacional de Procuradores Gerais do Brasil, que faz a recomendação aos sistemas de ensino de exigir, durante o momento da matrícula, a carteira de vacinação, inclusive com a dose contra Covid-19 para a população a partir de 5 anos. Isso não quer dizer que a criança não terá direito a matrícula, nem o acesso à unidade, porque a educação é um direito fundamental do cidadão. Mas temos a obrigação de comunicar ao Conselho Tutelar, para que eles busquem realizar um trabalho de conscientização com as famílias que se opuserem a vacinar seus filhos. Reforçamos aqui que a imunização tem sido o caminho mais seguro que a ciência nos oferece", explicou o secretário de Educação, Cultura e Esportes, Plínio Amorim.
 

Ascom PMP