RedeGN - Cenário da Ilha do Rodeadouro muda com cheia do Rio São Francisco. Água avança com aumento da vazão da barragem Sobradinho

Cenário da Ilha do Rodeadouro muda com cheia do Rio São Francisco. Água avança com aumento da vazão da barragem Sobradinho

A ilha do Rodeadouro continua dando sinais da cheia do Rio São Francisco.  Nesta sexta-feira (14), A REDEGN acompanha a evolução da cheia. A água sobe a cada minuto tornando o cenário do local completamente diferente. Várias barracas que estão instaladas na calha do rio agora tem o espaço ocupadas pelas águas que aumentam. 

A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) anunciou o aumento da vazão da água da barragem do Sobradinho desde a última quarta-feira (12). O objetivo é liberar mais água por causa das cheias no rio São Francisco e isto vem provocando mudanças na vida e também no cotidiano dos comerciantes, a exemplo da Ilha do Rodeadouro que sobrevivem do turismo local.

A situação também preocupa moradores do bairro Angari local considerado de risco neste período de cheia do Velho Chico.

Por causa do aumento do nível do rio a quantidade de água que entra na barragem é de 4.700 m³ por segundo.

Com a recomendação do operador nacional do sistema elétrico, que oficializou a situação de cheia nos reservatórios da bacia do São Francisco, serão liberados 1.300 m³ por segundo de água, com aumento gradativo de 500 m³ por segundo a cada dois dias.

Em 2020, uma cheia no Rio São Francisco provocou alagamento nas regiões ribeirinhas e moradores de alguns bairros, como o Angari, precisaram deixar os imóveis para evitar acidentes.

Depois de 12 anos, as regiões do Submédio e do Baixo São Francisco terão vazões em patamares elevados. A vazão está subindo e deve alcançar 4.000 metros cúbicos por segundo (m³/s) no próximo dia 24. 

Ao longo dos anos, a Chesf mapeou pontos mais sensíveis à elevação de vazão em decorrência de ocupações irregulares na calha do Rio São Francisco, que deve ser mantida livre para o curso natural das águas.  A Companhia já está em contato com prefeituras e defesas civis oferecendo todas as informações disponíveis.

Como os últimos 10 anos foram de estiagem no Velho Chico, a Chesf avalia que, atualmente, mais localidades devem apresentar pontos sensíveis a vazões da ordem de 2.500 a 4.000 m³/s, sendo fundamental a avaliação das prefeituras e defesas civis.

Confira, abaixo, alguns desses locais mapeados pela Chesf, por estado.

Trecho entre as usinas de Sobradinho e Luiz Gonzaga (Submédio São Francisco)
Pernambuco-Petrolina: possui áreas sujeitas à inundação com vazões a partir de 4.000 m³/s. As ilhas situadas a jusante de USB começam a ser inundadas com vazões acima de 3.000 m³/s. Destaque para o Balneário da Ilha do Rodeadouro, famoso ponto turístico da região.
Santa Maria da Boa Vista: Balneário da Ilha da Coroa sofre inundação com vazões acima de 3.500 m³/s. Olarias a montante do centro de Santa Maria, sofrem inundações com vazões de 4.000 m³/s.

Bahia-Juazeiro: possui áreas sujeitas à inundação com vazões a partir de 4.000 m³/s. Destaque para o bairro do Angari, situado abaixo do dique de proteção, sujeito à inundações com vazões a partir de 3.000 m³/s.

Abaré: Captação construída abaixo do nível da cidade e sujeita a inundação com a ocorrência de vazões superiores a 4.000 m³/s;
Trecho Usina de Xingó até a Foz (Baixo São Francisco).

Alagoas-Piranhas: Bares construídos dentro da calha do rio sofrem inundação com 2.500 m³/s;
Pão de Açúcar: Balneários sofrem inundação a partir de 3.000 m³/s;
Belo Monte: Balneários sofrem inundação a partir de 4.000 m³/s;
Traipu: Prainha inunda com vazões de 3.500 m³/s;
São Brás: Vazões acima de 4.000 m³/s causam inundações em construções próximas a calha do rio.

Sergipe-Canindé do São Francisco: Orla sofre inundações com vazões a partir de 3.000 m³/s;
Amparo do São Francisco: Balneários sofrem inundações com vazões a partir de 3.000 m³/s;
Porto de Folha: Povoados próximos a calha do rio sofrem inundação com vazões a partir de 3.000 m³/s;
Gararu: Balneários sofrem inundação com vazões a partir de 3.000 m³/s;
Telha: Balneário apresenta inundação com vazões superiores a 2.500 m³/s;
Propriá: Balneário apresenta inundação com vazões superiores a 3.500 m³/s;
Santana do São Francisco: Balneário apresenta inundação com vazões superiores a 2.500 m³/s.

Redação redeGN / Fotos: Rodolfo