RedeGN - Pesquisa da Univasf, UEFS e FTC investiga impactos psicossociais da pandemia na vida de gestantes e puérperas

Pesquisa da Univasf, UEFS e FTC investiga impactos psicossociais da pandemia na vida de gestantes e puérperas

Pesquisadoras da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), de Petrolina (PE), estão coletando dados para a pesquisa “Impactos psicossociais da pandemia de Covid-19 na vida de gestantes e mulheres no pós-parto”. Podem participar do estudo mulheres grávidas ou que pariram durante a pandemia, que tenham 18 anos ou mais. A pesquisa será realizada de forma virtual, por meio de formulário on-line, que estará disponível até 20 de janeiro de 2022.

As mulheres interessadas em participar devem responder o formulário neste link. As participantes irão responder a 59 perguntas, que vão desde informações sociodemográficas a questões sobre gravidez, pré-natal, informações que possuem sobre os riscos da Covid-19, suas medidas de proteção, vacinação, questões de saúde mental nesse período de pandemia, entre outras. Ao final do questionário, a mulher poderá relatar sua experiência com a Covid-19. As pesquisadoras irão desenvolver o estudo com base nesses dados, entendendo melhor sobre o processo durante e pós-gestação, para ajudar a construir uma rede de colaboração e estratégias de apoio às mulheres neste cenário pandêmico.

A professora do Colegiado de Psicologia (Cpsi) Sâmella Vieira de Menezes, coordenadora do estudo na Univasf, conta que a pesquisa surgiu no ano passado, quando um grupo de pesquisadoras, da qual ela faz parte, percebeu a necessidade de compreender como as mulheres grávidas e puérperas foram impactadas pela pandemia. “Estas mulheres precisavam ser escutadas para que as ações em saúde fossem mais efetivas nesse momento pandêmico”, explica.

As pesquisadoras lançaram seu primeiro questionário em setembro de 2020, porém, como a pandemia de Covid-19 não acabou, o grupo prosseguiu com o trabalho para entender como as questões abordadas anteriormente estão atualmente e o que mudou com a chegada da vacinação para este público de gestantes e puérperas, que só foi considerado grupo de risco neste ano. A pesquisa já conta com a participação de 675 mulheres de todo o país.

Sâmella enfatiza que o estudo é importante partindo do ponto do avanço do conhecimento científico na área. “O trabalho está coerente com estudos que vêm acontecendo nos grandes centros acadêmicos, no Brasil e no mundo, em resposta à Covid-19, no que diz respeito à garantia de direitos reprodutivos às mulheres, combatendo as iniquidades de gênero para possibilitar o acesso à saúde física e mental de qualidade no ciclo gravídico-puerperal”, destaca.

Além da professora Sâmella, a equipe de pesquisadoras é formada pela professora Gleice de Oliveira Cordeiro, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS); a professora Jackelline Maria de Souza, da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC); as discentes de Psicologia Thalita Nascimento Gazar e Dalila de Matos Carneiro, da UEFS; e Aléxia Tayla Amaral Ferreira e Eralina de Lima Ferreira, da Univasf. O grupo também conta com a parceria do professor colaborador da disciplina de Ginecologia da Univasf, Tarcísio Menezes. Os resultados do estudo serão divulgados por meio de publicações científicas, eventos e nas páginas da Univasf e UEFS.

Ascom Univasf / foto: Valdecir Galor/SMCS