RedeGN - OAB Juazeiro apoia caminhada de Sandro e Lucinha Mota e defende federalização do caso Beatriz; Polícia Civil de Pernambuco se manifesta

OAB Juazeiro apoia caminhada de Sandro e Lucinha Mota e defende federalização do caso Beatriz; Polícia Civil de Pernambuco se manifesta

Informações do advogado Jaime Badeca dão conta de que a OAB JUAZEIRO vem prestigiando, acompanhando e participando da Caminhada por Justiça liderada pelos pais da menina Beatriz, professor Sandro e Lucinha Mota e integrada por membros do movimento Somos Todos Beatriz.

No primeiro trecho de 37 km, de Petrolina ao povoado de Nova Descoberta, o advogado Jaime Badeca percorreu o trajeto com o grupo e na segunda etapa da peregrinação, acompanhado do advogado Clebernilton Rosas, também membro da Comissão Especial Beatriz Mota da OAB, e do professor Robério Arraes, fizeram uma visita de solidariedade ao grupo de peregrinos em hotel na cidade de Lagoa Grande-Pe.

A comitiva mais uma vez reforçou a importância da OAB na luta para federalizar o inquérito, abrindo a "caixa preta" das investigações.  Lucinha e Sandro destacaram a especial atenção com que o Presidente Rubinério Ferreira vem conduzindo esse apoio institucional.

Procurada pela reportagem da Rede GN a Polícia Civil de Pernambuco informa que segue comprometida com a investigação do caso da criança Beatriz Angélica Mota.

No final do último mês de maio, o Chefe e o Subchefe da Polícia Civil de Pernambuco, Nehemias Falcão e Darlson Macedo, respectivamente, receberam, em seu gabinete, uma comissão formada pelos pais da criança Beatriz Angélica Mota, pelo advogado da família e  pela coordenadora do Movimento Somos Todos Beatriz. Os  quatro delegados, que compõem a Força Tarefa criada pela Chefia de Polícia para investigar o caso, participaram da reunião, assim como a Diretoria de Inteligência da PCPE. A comissão pôde fazer os questionamentos necessários aos delegados e foi reafirmado, naquele momento, que todos seguem disponíveis para esclarecimentos.

Todo o material que compõe o Inquérito Policial em curso, disposto em 23 volumes, segue em análise constante e também estão sendo realizadas novas diligências. Importante destacar que o caso segue sob segredo de justiça.

Da redação