RedeGN - APLB Sindicato em Juazeiro alerta mais uma vez para o risco das aulas presenciais após alunos do Colégio da Polícia Militar terem confirmação de Covid e aulas serem suspensas

APLB Sindicato em Juazeiro alerta mais uma vez para o risco das aulas presenciais após alunos do Colégio da Polícia Militar terem confirmação de Covid e aulas serem suspensas

Mais uma unidade de ensino da rede estadual em Juazeiro suspendeu as atividades escolares depois que alunos tiveram confirmação para a Covid-19 - mesmo já tendo recebido a primeira dose do imunizante - e foram colocados em isolamento. Desta vez foi o Colégio da Polícia Militar (CPM), que já comunicou o fato aos órgãos de saúde competentes para que as medidas sanitárias sejam tomadas.

De acordo com informações do CPM, os alunos estão sendo acompanhados e, ao fim do período determinado e teste negativo apresentado, as aulas devem ser retomadas novamente, em data prevista para dia 22 de novembro. 

Esse retorno é firmemente rebatido pela APLB Sindicato em Juazeiro que já informou que, desde a volta às aulas presenciais no dia 18 de Outubro, já são mais de 10 escolas fechadas na região, devido casos confirmados da Covid-19 e ainda há o risco da presença de uma nova cepa mais letal que leva ameaça à vida de quem está na escola.

A APLB já acionou o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público Federal quanto ao perigo que todos estão correndo, inclusive diante da possibilidade de uma variante que pode afetar também aqueles que já tomaram a segunda dose da vacina.

"Mais uma vez chamamos atenção de toda a sociedade juazeirense e região, para o perigo que os trabalhadores em educação e seus alunos estão correndo com o retorno das aulas 100% presenciais, imposta pelo governo do Estado da Bahia, pelo governador Rui Costa. Estamos tendo a cada dia casos e suspeitas de trabalhadores, funcionários e alunos com suspeita de Covid-19 e escolas são fechadas. O perigo aumenta quando sabemos que alguns trabalhadores da educação se recusaram a tomar a vacina e continuam no ambiente escolar", alerta Gilmar Nery, diretor da APLB Sindicato em Juazeiro.

Ele se mostra não só preocupado com a saúde de quem está nas unidades escolares, mas com o fato de os hospitais do município, estarem com leitos destinados a pacientes com Covid lotados e ressalta: "Fazemos um apelo a todos os trabalhadores em educação que usem os equipamentos de proteção, obedeçam às normas de afastamento e uso de álcool em gel, pois o momento é de muita cautela. A Covid-19 não acabou e ainda está matando muita gente no país".

Até o momento dez escolas tiveram suas atividades interrompidas: Juazeiro (Colégio Estadual Rui Barbosa, Colégio Modelo, Pedro Moreira Rêgo, CETEP, Artur Oliveira, CEEP e Colégio da Polícia Militar), Sobradinho (Escola Modelo Jorge Khoury e a Vila São Joaquim), Pilão Arcado (Escola Estadual Sofia Mascarenhas).

Ascom-Aplb Foto Geraldo José