RedeGN - Pró-reitoria de Ensino da Univasf repudia atraso de bolsas dos programas PIBID e RP

Pró-reitoria de Ensino da Univasf repudia atraso de bolsas dos programas PIBID e RP

A Pró-reitoria de Ensino (PROEN)  emitiu uma nota pública contra o atraso de pagamento de bolsas referente ao mês de setembro de 2021 dos Programas Institucionais PIBID e RP. Segundo o documento, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) havia afirmado que o atraso se daria por causa da necessidade de aprovação do Projeto de Lei 17/2021, e o valor ainda não foi repassado.

"Reforçarmos que o atraso no pagamento das bolsas implica na impossibilidade de manutenção da vida de grande parte dos bolsistas de ambos os programas, uma vez que o valor da bolsa, apesar de insuficiente, funciona como subsídio para os pagamentos de aluguéis, alimentação, internet, energia elétrica, transporte, entre tantas outras atividades cotidianas", diz um trecho do documento [leia na íntegra abaixo].

O projeto de lei citado acima abre aos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, em favor de diversos Órgãos do Poder Executivo e de Operações Oficiais de Crédito, crédito suplementar no valor de R$ 4.113.646.125,00, para reforço de dotações constantes da Lei Orçamentária vigente.

Leia na íntegra:

NOTA

No dia 07/10 a CAPES publicou uma nota informando que os pagamentos das bolsas dos Programas PIBID e RP iriam ser adiados por causa da necessidade de aprovação do Projeto de Lei 17/2021. No entanto, os bolsistas até o presente momento se encontram sem o recebimento das bolsas de setembro e sem previsão de pagamento.

Nós, coletivo de docentes dos Programas Institucionais PIBID e RP conjuntamente com a Pró-Reitoria de Ensino da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) expressamos o nosso repúdio ao atraso de pagamento de bolsas referente ao mês de setembro de 2021. Reforçarmos que o atraso no pagamento das bolsas implica na impossibilidade de manutenção da vida de grande parte dos bolsistas de ambos os programas, uma vez que o valor da bolsa, apesar de insuficiente, funciona como subsídio para os pagamentos de aluguéis, alimentação, internet, energia elétrica, transporte, entre tantas outras atividades cotidianas. A suspensão do pagamento implica no esvaziamento dos programas e o distanciamento dos estudantes e professores colaboradores, gerando uma lacuna na relação entre a Universidade e a Escola Básica.

Ademais, registramos o nosso apoio aos movimentos, às ações e tomadas de decisões do FORPIBID-RP e nos unimos nessa luta não só em prol do pagamento das bolsas em atraso, mas também pela garantia dos pagamentos das bolsas até o final dos editais vigentes e pela continuidade desses dois importantes Programas, que além de contribuir de forma articulada na formação inicial de futuros docentes e na formação continuada dos professores envolvidos, fortalece a parceria entre estes dois nichos de educação que são fundamentais para a formação escolar, cidadã e acadêmica.

Continuamos na luta para o fortalecimento de uma sociedade reflexiva que tenha uma escola básica forte e uma universidade pública inclusiva, democrática e conectada com as questões sociais.

Da Redação RedeGN