RedeGN - UFPE e outras seis instituições de ensino promovem o “Ato Pernambuco em Defesa da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação – CNPq: patrimônio nacional”.

UFPE e outras seis instituições de ensino promovem o “Ato Pernambuco em Defesa da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação – CNPq: patrimônio nacional”.

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e outras seis instituições de ensino do estado promovem o “Ato Pernambuco em Defesa da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação – CNPq: patrimônio nacional”.

A manifestação pública é realizada em apoio à mobilização nacional em defesa da ciência, e contará com a participação de reitores, vice-reitores, além de representantes de entidades científicas. O evento acontecerá nesta quarta-feira (20), a partir das 9h, com transmissão ao vivo pelo canal da UFPE no YouTube.

Além da UFPE, participam do ato a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Universidade de Pernambuco (UPE), a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), a Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape), o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE).

Em nota, a UFPE informou que "já convivendo com um cenário de falta de investimentos e sucessivos cortes, a ciência e a pesquisa brasileiras foram duramente impactadas por decisão recente do Ministério da Economia de retirar o crédito suplementar de R$ 690 milhões – aproximadamente 90% dos recursos disponíveis para a ciência no país".

De acordo com a organização do Ato Pernambuco, "a reversão dos cortes se faz necessária por eles colocarem em risco o funcionamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), entidade que promove o fortalecimento e consolidação dos grupos de pesquisa nacionais e que também apoia os laboratórios de pesquisa distribuídos pelo país".

Os cortes também inviabilizam o oferecimento de bolsas de pesquisa, de iniciação científica e de pós-doutorado, que já não possuíam expectativa de ampliação do quadro geral. Além disso, cerca de R$ 2 bilhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) seguem pendentes de destinação, prejudicando o desenvolvimento científico no Brasil.

Redação redeGN Foto Divulgação