RedeGN - Carne, óleo, leite e açúcar foram os vilões da cesta básica em agosto; em Petrolina, alimentos acumulam alta de quase 30%

Carne, óleo, leite e açúcar foram os vilões da cesta básica em agosto; em Petrolina, alimentos acumulam alta de quase 30%

A Faculdade de Petrolina divulgou o boletim da cesta básica do mês de agosto. A pesquisa do Colegiado de Economia da FACAPE, aponta um custo maior em Petrolina, comparado a Juazeiro. Enquando a cesta básica está custando R$ 476,32 na cidade pernambucana, no lado baiano, o valor é de R$ 412,50.

Segundo a pesquisa, Juazeiro também foi a cidade que mais reduziu os preços em relação ao mês de julho, com uma baixa de -3,08%, enquanto em Petrolina essa queda foi de -0,4%, gerando a deflação no período de -1,47%.

De acordo com a pesquisa, todos os itens da cesta, nas duas cidades, têm valores acumulados positivos, apresentando aumentos nos últimos 12 meses, tendo em vista a carne como o item que mais custa na cesta. Porém o óleo de soja é o campeão de aumento de preços em Petrolina e Juazeiro, foi cerca de 53,87% no mesmo período.

O que provocou o aumento: Nos últimos 12 meses, em Juazeiro os alimentos acumulam alta de 13,77%. Em Petrolina, o acumulado é de 29,88%. Nas duas cidades praticamente todos os itens que compõem o custo da cesta básica têm valores acumulados positivos, ou seja, apresentaram aumento de preços nos últimos 12 meses. Entre os violões do aumento no custo estão a carne, o arroz, a farinha, o óleo de soja, o feijão, o leite, o açúcar e a banana.

"Com a taxa de câmbio atual, favorecendo as exportações, muitos produtores de soja decidiram aumentar as exportações de soja e isso reduziu a quantidade disponível no mercado interno para fazer produtos derivados como o óleo'', explicou o coordenador da pesquisa, professor João Ricardo Lima.

Maria Rozeane de Oliveira percebeu aumento em itens como o café em pó. "A gente comprava café de 7 reais. Hoje a gente encontra 11 reais. Está muito caro. A mesma situação está acontecendo com a carne. Todo mês é um susto," relatou a dona de casa.

Uma geada em Minas Gerais atrapalhou a safra do grão e isso fez cair a oferta do produto no mercado. O aumento no preço da carne é por causa das exportações do Brasil para a China que reduziu a quantidade no mercado interno, provocando o aumento de preços. O  professor João Ricardo orienta que o consumidor pesquise antes de comprar porque a diferença de valores pode exceder os 200%. 

Da Redação RedeGN