RedeGN - Em operação conjunta com a Polícia Civil, Coelba desativa "gatos de energia" em fazendas do Norte da Bahia

Em operação conjunta com a Polícia Civil, Coelba desativa "gatos de energia" em fazendas do Norte da Bahia

Em operação conjunta da Coelba com a Polícia Civil,  realizada na localidade de Chanché, no município de Jeremoabo, no norte da Bahia, duas fazendas produtoras de bananas foram flagradas com furto de energia. As fraudes, que eram utilizadas para a irrigação, foram desativadas e os equipamentos irregulares recolhidos para investigação. Foram 50 mil quilowatts-hora recuperados, energia que seria suficiente para abastecer mais de 430 residências durante um mês.

Segundo a Coelba, no trabalho realizado com técnicos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), foram retirados 60 metros de cabos e um medidor irregular que eram utilizados para o desvio da energia. O valor da energia furtada foi negociado e o fornecimento de energia regularizado nas duas unidades. Os valores recuperados dos desvios implicarão em arrecadação de impostos Estaduais e Federais que são revertidos para sociedade.

A Coelba informou ainda que os alvos desta operação foram mapeados através de análises com softwares da Coelba, associados a sensores inteligentes que controlam o fluxo de energia elétrica na rede de distribuição, e que auxiliaram as ações de investigação em campo.  A distribuidora reforça que os "gatos" representam riscos para a segurança de quem os realiza e da população. Além disso, o furto de energia prejudica o fornecimento de energia da região, podendo causar graves problemas para a rede elétrica,  causam, também, a interrupção do serviço.

Crime e denúncias

O furto de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, com pena de até a oito anos de reclusão pela prática ilegal. Por isso é importante a denúncia de fraudes e furtos de energia. O apoio da comunidade é essencial para identificar os desvios e acionar a distribuidora. As denúncias são feitas de forma anônima através do telefone 116 ou pelo site www.coelba.com.br, na parte de Serviços, na aba Denúncia de Irregularidade. 

Da Redação RedeGN