RedeGN - OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DO PARANÁ, COM APOIO DA DELEGACIA DE PETROLINA, PRENDE MEMBROS DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL DO PARANÁ, COM APOIO DA DELEGACIA DE PETROLINA, PRENDE MEMBROS DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Na manhã desta quinta-feira (01/07/2021), a PCPR, por meio da Delegacia de Polícia de Andirá, sob a coordenação do Delegado titular da unidade, Matheus Prado Amuy Rodrigues, deflagrou a operação “Eclipse”, que visava o desmantelamento de uma organização criminosa sediada na cidade de Andirá, que mediante falsidades documentais e ideológicas, fraudava contratos de financiamento perante uma instituição financeira, simulando a existência de contratantes interessados na aquisição de placas de energia solar fabricadas por uma empresa catarinense.

Após a aprovação dos financiamentos, a instituição financeira efetuava o pagamento do valor contratado à empresa fabricante das placas fotovoltaicas, a qual, por sua vez, enviava as placas à sede da empresa investigada para que esta realizasse o serviço de instalação junto ao endereço dos clientes.  

Em posse dos referidos bens, a empresa investigada se apropriava dos produtos e os revendia para terceiros, acarretando prejuízos ao banco, já que os contratos de financiamentos não eram honrados. Em seguida, a organização criminosa emitia notas fiscais de prestação de serviço falsas, simulando a prestação do serviço de instalação nos endereços dos supostos clientes, recebendo os pagamentos por serviços que não efetuaram.

No total, foram cumpridos 09 mandados de busca e apreensão e 04 mandados de prisão preventiva no Estado do Paraná, nas cidades de Andirá, Londrina e Alto Piquiri, além de 02 mandados de busca e 01 de prisão no Estado do Pernambuco, com o apoio da Polícia Civil de Pernambuco, mais precisamente da 214ª Delegacia de Petrolina/PE, sob a coordenação do Delegado de Polícia Gregório Lucas Ribeiro Santos, também prestou apoio, efetuando a captura de um dos líderes da organização criminosa que se encontrava na cidade e cumprindo os mandados de busca e apreensão respectivos.

Inicialmente, Estima-se que o grupo criminoso tenha auferido vantagens ilícitas na ordem R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais). A organização criminosa ainda está sendo investigada por ter lesado o patrimônio de pessoas em todo o Brasil, praticando golpes por meio da venda de placas de energia solar.

Ascom PC-PE Foto: PC do Paraná