RedeGN - 'Está achando pouco as quase 500 mil mortes', diz Rui Costa após Bolsonaro defender desobrigação de máscara para vacinados

'Está achando pouco as quase 500 mil mortes', diz Rui Costa após Bolsonaro defender desobrigação de máscara para vacinados

O governador da Bahia, Rui Costa, afirmou nesta sexta-feira (11) que "quem pede para o povo tirar a máscara é porque está achando pouco as quase mil mortes" no Brasil. A declaração foi feita após o presidente Jair Bolsonaro voltar a defender a desobrigação do uso de máscaras para vacinados.

Segundo Rui Costa, a defesa da desobrigação das máscaras, feita pelo presidente, em um momento em que a maioria dos estados brasileiro está com mais de 80% de lotação de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19, é não ter sensibilidade com a dor e a vida humana.

“Quem pede para o povo tirar a máscara é porque está achando pouco as quase 500 mil mortes. Num momento em que a maioria dos estados está com mais de 80% de lotação de UTI, o presidente da República falar em retirar máscaras é ser alguém que não tem absolutamente nenhuma sensibilidade com a dor e a vida humana", disse o governador durante a entrega da iluminação de trecho da BR-242 e do novo sistema de abastecimento de água, na cidade de Ibotirama.

Rui Costa ainda afirmou que a desobrigação do uso de máscaras é algo que ele não consegue entender.

"Foge de qualquer racionalidade alguém que representa um país com esse comportamento”, afirmou. Após voltar a defender a desobrigação das máscaras, Bolsonaro disse que a decisão final será de governadores e prefeitos. "Eu não apito nada", ironizou.

Bolsonaro já havia informado na quinta (10) que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, um parecer para liberar vacinados e recuperados da Covid de usar máscaras.

A ideia foi prontamente rebatida por especialistas, que alertam que mesmo quem foi vacinado ou teve a doença pode transmitir o vírus para outras pessoas. Além disso, quem já teve Covid pode ter de novo, e quem foi vacinado pode ter a doença de forma mais leve.

Nesta sexta, ao voltar a desencorajar o uso de máscaras por vacinados e recuperados, Bolsonaro voltou a dizer que a responsabilidade é de estados e municípios. Ele falou a veículos de imprensa na porta do Palácio da Alvorada.

"Quem já foi infectado e quem tomou vacina não precisa usar máscara. Quem vai decidir é ele [ministro Queiroga], dar um o parecer. Se bem que quem decide na ponta da linha é o governador e prefeito, eu não apito nada. É ou não é? Segundo o Supremo, quem manda são eles. Nada como você estar em paz com a sua consciência", afirmou.
Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no ano passado, que estados e municípios têm direito de tomar medidas para conter a pandemia, Bolsonaro alega que o governo federal foi proibido de liderar ações contra a Covid.

Ministros do STF vêm explicando que o argumento do presidente não tem fundamento. E que a decisão da Corte determina que a União é a responsável por coordenar as ações. Na época da decisão do STF, Bolsonaro queria derrubar medidas de uso de máscara e de isolamento social, impostas por estados e municípios.

G1 Bahia